Make your own free website on Tripod.com

Notícias de Abrill

30/04

Timão dá a cara para bater
(fonte: Gazeta Esportiva)

Agora é para valer. O Corinthians faz hoje a sua estréia na terceira fase do Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli, às 17h, e não pode mais tropeçar se quiser chegar à semifinal da competição. O técnico Oswaldo de Oliveira já tem a fórmula para a equipe começar com o pé direito. No Timão, a ordem é incorporar o estilo mulher de malandro, dando a cara para bater e surpreendendo nos contra-ataques.
“Eu gosto muito quando o adversário ataca bastante o Corinthians. O jogo fica mais franco”, diz o ‘masoquista’ treinador corintiano”. Curiosamente, o esquema defensivo é o que mais assusta o comandante alvinegro. “O time que arma uma retranca fica bem mais perigoso. Vê um empate como um bom resultado e dificulta as coisas”, comentou.
O volante Vampeta sabe que o Timão corre o risco de se machucar com os ataques do adversário e está longe de tratar a Macaca como um simples time do interior paulista. “Por jogar em casa, vão vir com tudo. O time deles é muito forte. Acabaram de vir de um empate com o Vasco lá no Rio.”
Oswaldo de Oliveira não viu o último jogo da Ponte, mas tem motivos de sobra para se preocupar. Ele teme que seus jogadores sintam um desgate físico anormal. O treinador admite que o fato de o rival estar disputando menos competições pode fazer diferença. “Eles só estão jogando no Paulistão e na Copa do Brasil e não têm feito viagens exaustivas e jogado dia sim, dia não, como nós”, comentou.
Vencer ou vencer — Empatar fora de casa pode ser bom para muitos treinadores e jogadores, mas não para Edílson, que vê o Corinthians na obrigação de vencer hoje. “Os jogos com a Ponte e o Rio Branco é que definirão as posições no grupo. Por isso, não podemos perder pontos para eles”, afirmou o Capetinha.

Carrasco da Macaca pronto para atacar
(fonte: Gazeta Esportiva)

O atacante Luizão, do Corinthians, mais conhecido como o ‘Carrasco da Macaca’ — sempre dá sorte enfrentando a Ponte Preta — está pronto para ir ao ataque outra vez.
“A minha vítima predileta é a rede”, ressalta o camisa 9 corintiano. Inclusive, Luizão marcou dois gols na vitória por 4 a 2 sobre a Ponte, no dia 1º de abril, em São Paulo.
A sorte contra o rival tem acompanhado o jogador desde o início de carreira, no Guarani. “Desde quando jogava no infantil faço gols na Ponte. Espero marcar mais um.”
Luizão promete nem ligar para a amizade que tem com o zagueiro Ronaldão. “Temos um respeito muito grande um pelo outro, mas na hora do jogo cada um defende a sua camisa”. Ele tem a receita para vencer o amigo. “O segredo é se movimentar bastante e procurar espaços.”
No último confronto, o técnico Oswaldo de Oliveira escalou um time misto e acabou perdendo por 1 a 0, em Campinas. “Agora vai ser diferente. É decisão e eu gosto muito de participar desses momentos.”
O meia Marcelinho tem o mesmo pensamento do atacante. “Todo mundo se prepara de forma diferente quando entra no ritmo de decisão. Quem faz gols pode acabar ficando marcado para sempre.”
Ele espera que o seu time jogue com inteligência em Campinas. “A Ponte Preta vai vir com tudo nos primeiros 15 minutos. É muito importante ter muita atenção e procurar, em contra-ataques, fazer os gols logo no início”.
O meia Ricardinho ressalta que o seu time está preparado para sair de Campinas com um resultado positivo. “Estamos prontos para enfrentar qualquer situação”.
Já o atacante Edílson garante que o Corinthians está tranquilo para este confronto. “A equipe vai com força total. Ainda mais que tivemos uma semana sem jogos. Estamos descansados”.

Fabiano preocupa Adílson
(fonte: Gazeta Esportiva)

O atacante Fabiano, da Ponte Preta, que vem desequilibrando nas últimas partidas (marcou no empate por 1 a 1 com o Vasco pela Copa do Brasil e no empate por 2 a 2 contra a Matonense) é a grande preocupação da defesa corintiana.
O zagueiro Adílson, que é experiente, garante que não pode dar espaços para o jovem jogador da Macaca. “Ele é muito rápido. Não se pode dar liberdade porque senão ele complica.”
Na opinião do xerifão, ele é um jogador de muito futuro. “Ele sabe se colocar bem tanto na área, quanto fora. E marca gols de qualquer lugar”, lembrou o camisa 3 corintiano.

Em boa fase, Ponte aposta em Fabiano
(fonte: Gazeta Esportiva)

A Ponte Preta tenta confirmar a boa fase, hoje, às 17h, contra o Corinthians, no Moisés Lucarelli. A Macaca reverteu uma diferença de cinco pontos em relação à Matonense e conquistou a classificação para a terceira fase do Paulistão. Na Copa do Brasil, basta um empate por 0 a 0 para a equipe eliminar o Vasco e passar para as oitavas-de-final.
Um dos responsáveis pelo bom momento pontepretano é o atacante Fabiano. O jogador é artilheiro do time no Campeonato Paulista, com cinco gols. O mais importante foi contra a Matonense, domingo passado. O gol aos 47 minutos do segundo tempo deu a vaga ao time de Campinas.
Para o jogo de hoje, o técnico Estevam Soares poderá contar com as voltas de Ronaldão, Adrianinho e Narcízio, que estavam contundidos. Porém, destes, apenas Ronaldão tem chances de ser titular.
Nos dois últimos confrontos em Campinas, houve uma vitória para cada lado. No Brasileiro de 98, o Timão venceu por 5 a 4 e, pelo Paulistão deste ano, a Ponte ganhou por 1 a 0.

29/04

Oswaldo pede aumento salarial
(fonte: Gazeta Esportiva)

Oswaldo de Oliveira quer ser valorizado. O treinador do Corinthians terá o seu contrato encerrado no próximo dia 30 de junho. E, para continuar no clube, pretende receber um substancial aumento.
O técnico, inclusive, já teve o primeiro encontro com os dirigentes corintianos para acertar a sua permanência no Parque São Jorge.
“Eu tenho interesse em continuar no clube que me projetou no Brasil e os dirigentes estão demonstrando desejo de acertar a renovação. Por esse motivo, eu acredito que não deverá haver nenhum obstáculo para o acerto”, explicou Oswaldo.
Desde que assumiu o elenco profissional, o treinador tem dado sequencia ao trabalho de Wanderley Luxemburgo. Os resultados foram traduzidos em conquistas de títulos, culminando com o Mundial de Clubes, em janeiro.
“Eu tenho procurado trabalhar muito. Estão ao meu lado profissionais de excelente capacidade. O clube tem se projetado cada vez mais no Brasil e no exterior. E o resultado desse crescimento deve ser recompensado. Uma coisa é contratar uma promessa, outra é contratar alguém que está acumulando títulos seguidos”, comparou o treinador.
Chuteira nova — O zagueiro Fábio Luciano, que hoje completa 25 anos, ganhou uma chuteira de um amigo. E deverá estreá-la amanhã, contra a Ponte Preta. “Com essa chuteira nova espero fazer um gol como aquele que marquei na segunda fase do Campeonato Paulista, quando vencemos por 4 a 2 a mesma Ponte Preta”, lembrou.
O contrato de empréstimo do zagueiro terminará em junho próximo e o técnico Oswaldo de Oliveira já recomendou a sua contratação em definitivo.
“Eu observei o Fábio Luciano no Brasileiro do ano passado, especialmente quando jogou contra o Corinthians. E não perdi tempo: logo recomendei para a diretoria a sua contratação.”

Marcelinho renova na próxima semana
(fonte: Gazeta Esportiva)

O meia Marcelinho vai assinar na semana que vem o seu novo contrato com o Corinthians. O clube apresentou a proposta ao procurador do atleta, o ex-jogador Bernardo, que encaminhou o esboço aos advogados do Pé de Anjo. “Demora uns dois dias para que o contrato seja analisado. Na terça ou quarta-feira que vem, o Marcelinho vai assinar”, disse Bernardo. “Só falta marcarmos o dia para definirmos tudo”, completou.
O contrato tem duração de quatro anos. Segundo Bernardo, Marcelinho vai ganhar o mesmo salário que vem recebendo. Ainda assim, vai ter um reforço extra em sua renda mensal. O Pé de Anjo vai receber os 15% a que tem direito de receber sobre os R$ 6 milhões pagos à FPF pelo seu passe. O meia já deu sinal verde e não pretende fazer uma contraproposta. O contrato atual do jogador vence no próximo dia 31 de julho.

Tranquilidade, a receita de Daniel
(fonte: Gazeta Esportiva)

O lateral direito Daniel, do Corinthians, cujo passe ainda pertence à Ponte Preta, tem a fórmula de como conseguir um bom resultado em Campinas.
“A tranqüilidade é nossa principal arma para sair de lá com a vitória”, explicou. “Como eles estarão jogando em casa, virão para cima nos primeiros minutos.”
Daniel lembra que, a exemplo da Fiel torcida, os pontepretanos são exigentes. “Se o gol não sair nos 20 primeiros minutos, ou se eles (a Ponte Preta) estiverem perdendo no intervalo, os torcedores acabam deixando os jogadores intranqüilos. O negócio é tocar bem a bola e administrar a partida”, disse.
O lateral não teme por vaias dos torcedores da ex-equipe. “Eles não vão pegar no meu pé, pois eles sabem do meu valor”, garantiu.
Durante toda a semana, Daniel fez treinamentos específicos de cruzamentos e adianta que está preparado para servir os companheiros. “Vou fazer de tudo para o Corinthians sair vitorioso”, prometeu.

A máquina não pode parar
(fonte: Gazeta Esportiva)

Uma das preocupações do técnico Oswaldo de Oliveira é espantar definitivamente o velho fantasma que tirava o "punch" do Corinthians nas competições internacionais, principalmente na Libertadores.
A derrota para o América do México, logo na estréia, no Estádio Azteca, reaqueceu o incômodo perigo, mas a reviravolta no torneio — Timão assegurou a liderança do Grupo 3 na espetacular vitória de 5 a 4 diante do Olimpia do Paraguai — mostrou que os demônios já não assustam mais. É possível que o título mundial tenha definido a nova cara do Corinthians e encerrado definitivamente a antiga polêmica.
Oliveira insiste em repassar ao grupo a idéia de que é preciso buscar novos desafios. Depois de conquistar três títulos na temporada 99/2000 — o paulista, o brasileiro e o mundial de clubes — ele admite que o time poderia se acomodar instintivamente. Segundo Oliveira, é normal que uma equipe, não necessariamente a dele, despenque depois de uma longa e cansativa maratona. “Trata-se de um risco. É algo inconsciente. Às vezes, aparece o desgaste natural, que se junta a outros fatores. Meus jogadores já sabem que não podemos relaxar. Agora, mais do que nunca, é fundamental trabalhar redobrado”, esclarece. Ao exemplificar a tese que defende, Oliveira cita o caso de Jairzinho, ex-ponta-direita da Seleção artilheiro do Brasil no Mundial do México, em 70. Logo após a conquista do tri, o craque entraria temporariamente em declínio. Já não repetia a mesma velocidade nem as fulminantes arrancadas nas jogadas de fundo ou nas entradas pelo meio que lhe renderam o apelido de Furacão.
O atacante demoraria para sair da má fase no Botafogo. “O rapaz, coitado, recebeu críticas de todos os lados”, lembra o treinador corintiano. É na hora do baixo-astral que Oliveira recorre à experiência de preparador físico e psicólogo autodidata, como ele se define ao conciliar múltiplas tarefas, para conferir os limites de um eventual retrocesso do grupo. “É preciso que o corpo e a mente estejam em ponto de bala. Caso contrário, não há fórmula mágica que funcione. Existem situações em que a prática é bem diferente das teorias que a gente prega nas palestras de vestiário ou nas concentrações”, acredita. Um dos perigos de quem ganha seguidamente, constata Oliveira, é a rotina que acomoda e distancia os atletas dos objetivos a alcançar nos futuros campeonatos. “Como nas demais atividades, o futebol obriga você a perseguir sucessivos horizontes. É uma frase comum na psicologia, mas bem original. Não se deve parar, mas olhar para a frente. O que importa é o alvo seguinte”, alerta.
Quando toca no tema da supermotivação, Oliveira diz que procura elevar a auto-estima de cada atleta e elimina do vocabulário palavras negativas, que sugerem derrotismo. “Abomino expressões do tipo tabu, azar, crise. Essas coisas te derrubam espiritualmente”.

Mello critica oportunistas
(fonte: Gazeta Esportiva)

O preparador físico do Corinthians e da Seleção, Antônio Mello, critica os oportunistas que, segundo ele, se aproveitam do episódio Ronaldo para aparecer. Mello, acusado de ter ignorado o quadro clínico do craque, decidiu quebrar o silêncio para se defender dos palpiteiros de plantão. “Não quero citar nomes. Disseram que o joelho do Ronaldinho era um alicerce para comportar um prédio de quadro andares, mas puseram cinco em cima dele. É mentira. São pessoas leigas que não sabem o que falam”, reage.
Mello conta que recebeu Ronalo na Copa América, mas, antes de orientá-lo fisicamente, analisou o relatórios dos médicos, especialmente os de Joaquim Grava. E lembra que o jogador apresentou bom desempenho no torneio. “Na prática, ele provou que não sentia nada.”
Mello admite que não acompanhou os trabalhos de fortalecimento muscular do Fenômeno na Europa, mas garante que a escola holandesa (o craque atuou no PSV) prioriza os fundamentos do futebol em relação aos treinos pesados. O que ocorre, segundo Mello, é que Ronaldo, dono de uma invejável força muscular, fica suscetível a contusões como essa que levou o médico francês Gerard Saillant a operá-lo de novo no tendão patelar. Lembra que nem sempre as articulações resistem ao superesforço. “Esportes como o futebol são bastante agressivos”.

28/04

Magali do Parque São Jorge
(fonte: Gazeta Esportiva)

Enquanto o atacante Ronaldinho Gaúcho, do Grêmio, brigava com a balança para conquistar uma vaga de titular na Seleção Brasileira, o meia Ricardinho, do Corinthians, precisa fazer o contrário: ganhar uns quilos a mais.
Ele está fazendo um tratamento especial com o fisiologista Renato Lotufo e o preparador físico assistente, Fábio Mahseredjian, que consiste em aumentar o peso. “Agora tenho que comer muito bem”, explicou. “Tenho que me alimentar de quatro a cinco vezes ao dia. Como de tudo, frutas e o que tiver para chegar ao ideal”, explicou Ricardinho, a Magali do Parque São Jorge.
O meia contou que já esteve quatro quilos abaixo, e ainda hoje sofre com a magreza do seu corpo. “Me recuperei bem. Hoje estou a apenas 1,5 quilo do meu peso”, garante.
Ricardinho explicou como conseguiu ficar fininho. “Acabei perdendo peso quando nós fomos para o Equador jogar com a Liga Deportiva Universitaria”, ressaltou. “Não tenho tendências para engordar, e com o desgaste das partidas, acaba acontecendo isso e acabo não retomando peso”, lamentou.
Ele, no entanto, procura deixar a Fiel Torcida corintiana despreocupada. “Não é a primeira vez que isso me acontece”. Apesar de alguns quilos a menos, o camisa 11 corintiano se mostra bem fisicamente. “Estou bem e tranquilo para encarar os próximos jogos”, garantiu.
Ricardinho também falou da importância de voltar de Campinas com uma vitória sobre a Ponte Preta, domingo, na estréia da terceira fase do Paulistão. “Com um bom resultado fora, podemos ter uma melhor oportunidade para conseguir a classificação em casa.”

"Temos direito de contestar", diz Nujud
(fonte: Gazeta Esportiva)

O departamento jurídico do Corinthians já está trabalhando para tentar tirar a multa imposta pela FPF ao técnico Oswaldo de Oliveira.
O treinador corintiano levou duas multas: uma de R$ 50 mil e outra de R$ 100 mil, como A Gazeta Esportiva antecipou na edição de ontem por ter dado declarações que, segundo a FPF, prejudicaram o Campeonato Paulista.
O diretor de futebol do clube, Carlos Nujud, confirmou que o caso está entregue ao departamento jurídico. “Nesse caso vai haver um recurso. A interpretação da FPF é uma e a visão do clube é outra. Temos o direito de contestar. Cada um vai defender a sua parte”.
Na opinião do dirigente, o Corinthians não cometeu infração. “Estamos dentro da lei porque escalamos todos os jogadores inscritos no Campeonato Paulista”.
O próprio Oswaldo não entendeu os motivos da punição. “Não fiz nada que seja digno de multa”, disse. “Além do mais, terminamos na primeira colocação do grupo.”

Com tempo livre para treinar. Enfim
(fonte: Gazeta Esportiva)

O técnico Oswaldo de Oliveira deu continuidade ontem aos trabalhos de fundamentos no futebol. Aproveitando a semana livre, sem jogos, ele procura aprimorar o seu time. “Trabalhamos num campo reduzido, com quatro turmas de quatro jogadores. Com isso acabei treinando a manutenção e a luta constante pela posse de bola.”Os jogadores também aprovaram esse sistema adotado pelo treinador. “É bom fazer esses trabalhos específicos para sempre estar bem nas competições”, disse Luizão. O zagueiro Adílson também ressalta esse trabalho. “Isso é muito bom para nós, que sempre necessitamos dos fundamentos”.

Dida lamenta vaias, mas se diz inocente
(fonte: Gazeta Esportiva)

De volta ao Corinthians, o goleiro Dida não deixou de mostrar seu ressentimento pelas vaias recebidas pela Seleção Brasileira, quarta-feira, durante a partida contra o Equador. “Na Seleção, foi a primeira vez que recebi vaias”, disse. “E nunca tinha sido vaiado jogando em casa, quando tinha a torcida a favor da minha equipe”.
O goleirão, porém, não tirou o direito do torcedor de manifestar sua insatisfação, mas garantiu que, ao contrário do que foi falado, não errou em nenhum dos dois gols marcados pelos equatorianos. “A meu ver, não errei, foi mais mérito de quem bateu. Mas não vou me abater por isto, vou continuar lutando para fazer um trabalho melhor para conseguir vitórias.”
Edílson garante que não se abalou com as vaias, mas entregou seus companheiros que atuam no futebol europeu. “Pra a gente foi normal, mas os jogadores que estão na Europa sentiram bastante porque eles não estão acostumados. Lá, a torcida é diferente”.

27/04

Marcelinho pede mais atenção aos árbitros
(fonte: Gazeta Esportiva)

O meia Marcelinho, do Corinthians, pede mais atenção da arbitragem para esta terceira fase do Paulistão, que vai começar no fim de semana Ele tem encontrado dificuldades, principalmente nas cobranças de falta, uma de suas especialidades. “Eles (os árbitros) não têm tido pulso para mudar a situação. As barreiras têm andado muito. Os adversários não têm respeitado os 9m15”, reclamou.
Na opinião do camisa 7 corintiano, nem a dupla arbitragem tem surtido efeito. “Falo, peço, grito, mas nada disso tem resolvido”, contou. Até ele tem modificado o seu treinamento para acertar o pé . “Estou cobrando faltas a uma distância de 7 ou 8 passos da barreira. Mas acontece que, nos treinos, a barreira de madeira fica imóvel. E, nas partidas, além das barreiras andarem, eles também pulam”.
Ele garante que, se isso for resolvido, os gols voltarão a acontecer. “Quando foi respeitado o limite da barreira, eu fiz o gol na vitória de 4 a 2 sobre a Portuguesa”.
Troco — Ninguém fala abertamente em revanche, mas os jogadores do Corinthians garantem que vão com tudo para cima da Ponte Preta . Na última partida entre ambos, a Macaca venceu por 1 a 0, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, no último dia 16.
O meia Edu ressalta que o Timão estará completo. “Agora será diferente do último jogo. Teremos todos os jogadores à disposição.”O atacante Luizão também concorda com o volante. “Naquela ocasião, eles estavam mais motivados, porque precisavam de uma vitória para ter chances de classificação.”O camisa 9 do Timão, que sempre marca contra a Macaca desde os tempos do Guarani, não promete gols, apenas empenho.

A mulher de César
(fonte: Gazeta Esportiva)

Se a situação está ruim para Oswaldo, para o Corinthians nem tanto. É que a Federação Paulista de Futebol zerou os cartões amarelos. Vale para todos os times. Só que o Corinthians tem maior vantagem. Eram nove pendurados, sendo cinco titulares absolutos: Daniel, Edílson, Kleber, Marcelinho e Ricardinho.
Não se sabe quais os jogadores de outros times que tiveram cartões zerados. O Departamento Técnico só informa se for feito o pedido por escrito. Ordens de Farah, disse a diligente funcionária, que está lá para cumprir ordens.
Mas voltemos ao Corinthians: com o time que tem, o Timão não precisa dessa ajuda. Os outros clubes não reclamam. Talvez seus jogadores pendurados sejam em menor número em relação ao Corinthians. O outro lado da moeda: sem cinco titulares, o time de Oswaldo teria muito mais dificuldades.
Era preciso um critério isonômico nessa questão de zerar cartões — uma prática casuística da FPF em outros campeonatos.
Além disso, questionamos, ontem, membros do TJD sobre as denúncias de suborno branco e de que a Matonense teria vendido seu jogo para o Araçatuba na primeira fase. Os procuradores ou auditores consultados alegaram desconhecer os fatos. Mas dois jornais registraram as denúncias, feitas pelo diretor-financeiro do Araçatuba, Sidinei Giron. E o que disse ele? Vamos lá:
1 - Um torcedor da Ponte, ou será um diretor ?, depositou R$ 73 mil na conta do Araçatuba. Dinheiro distribuído aos jogadores. Isto fere o artigo 289 da CBDF. Dá suspensão de 90 a 360 dias.
2 - O vice do Araçatuba disse também que o presidente da Matonense emprestou dinheiro ao seu clube, antes da viagem à África do Sul: “Sei que eles (da Matonense) facilitaram o jogo da primeira fase. Se tivéssemos perdido, cairíamos antes.”
Está na hora de se abrir um inquérito rigoroso para apuração do suborno branco e a história do primeiro jogo do Araçatuba com a Matonense. Como bem disse o dr. Naif Saad Neto, como delegado de Polícia, ele é pago para desconfiar. Como membro do TJD cabe-lhe mais ainda o direito de desconfiar do que andam fazendo.
Afinal, não basta a mulher de César ser honesta. Ela precisa parecer honesta. O campeonato é honesto, mas é preciso que ele pareça mesmo honesto.

26/04

Federação ajuda o Corinthians
(fonte: Gazeta Esportiva)

A Federação Paulista de Futebol resolveu uma dor de cabeça do técnico do Corinthians, Oswaldo de Oliveira, ao zerar os cartões amarelos para o início da terceira fase do Paulistão. O Timão tinha nove jogadores pendurados com um cartão amarelo: Batata, Daniel, Edílson, Gilmar, Kléber, Marcelinho, Marcos Sena, Ricardinho e Rodrigo Pontes. “É ótimo”, festejou Oswaldão. “Foi uma medida coerente tomada pela FPF, já que isso aconteceu da primeira para a segunda fase. Entendo que esse processo seja natural.” Com todos os jogadores à disposição, ele escalará força máxima no Paulistão. O treinador não teme o aumento da violência em razão da anistia aos pendurados. “A suspensão pelo segundo cartão amarelo tem inibido a violência”, disse o treinador.
A medida da FPF agradou também aos jogadores. O lateral esquerdo Kléber não jogaria domingo contra a Ponte Preta, em Campinas, na estréia do Timão na terceira fase. “Essa medida foi muito boa, ainda mais para mim, que estava suspenso, mas beneficiou todos os jogadores”, disse. “Ninguém gosta de ficar de fora numa fase decisiva”, declarou o lateral.
O zagueiro Batata, que está readquirindo ritmo de jogo após longo período parado por contusão, está animado com a decisão da FPF. “Nessa fase decisiva é importante que todos estejam à disposição do treinador”, afirmou.
Para Batata, a suspensão pelos cartões depende do rigor das arbitragens. “O Fábio Luciano jogou várias partidas com um amarelo”, disse o zagueiro, que espera uma chance entre os titulares.
O técnico Oswaldo de Oliveira espera os retornos de Dida, Vampeta e Edílson, que estão na Seleção Brasileira, para definir a equipe que enfrenta a Ponte, no “Moisés Lucarelli”.

Luizão vibra com início da 3ª fase
(fonte: Gazeta Esportiva)

Chegou o momento que Luizão mais gosta: o da decisão. Com o início da terceira fase do Campeonato Paulista, todo jogo é fundamental e era isso que o atacante estava esperando. “Agora vai começar pra valer. A adrenalina sobe e os jogos são decisivos”, disse o atacante. “Todo mundo já descansou e agora os jogadores vão encarar o Paulistão com a devida importância”, completou Luizão.
O jogador discorda de quem acha o grupo do Corinthians mais fácil e para justificar sua opinião analisa os adversários. “O Palmeiras é o clássico de sempre, a Ponte Preta, desde que voltou para a Primeira Divisão, vem surpreendendo, e o Rio Branco não podemos esquecer que venceu o Palmeiras”, avaliou.
De acordo com as tabelas das competições disputadas pelo Corinthians, o Timão jogará três dias seguidos em maio. Dia 9, pega o Rosário Central, em São Paulo; dia 10 joga pela Copa do Brasil; e no dia 11 enfrenta o Rio Branco. “É imposssível agüentar esse ritmo”, comentou o atacante.

Luciano alerta para perigos da Macaca
(fonte: Gazeta Esportiva)

O zagueiro Fábio Luciano, do Corinthians, tem a receita certa para conter o meia Adrianinho e o atacante Fabiano, que no último domingo foram os destaques da Ponte Preta no empate por 2 a 2, em Matão, contra a Matonense.
O jogador conhece bem ambos os adversários, já que atuou ao lado deles no time de Campinas. “O Adrianinho é um jogador muito habilidoso, por isso o Vampeta e o Edu devem ficar em cima dele para evitar surpresas”, disse.
O camisa 4 corintiano também ressalta o perigo que será enfrentar o atacante Fabiano. “Ele é um atacante rápido e, por ser jovem, é bastante veloz. É um jogador que se posiciona muito bem na área”, disse. “Ele é bom tanto nas jogadas pelo alto e como também com a bola dominada. Por isso não pode dar espaço para ele”.
Para Fábio Luciano, esse jogo será especial, já que sábado ele faz 25 anos. “Quero receber o presente e comemorar com uma vitória”, brincou.

25/04

Indefinição atrapalha Oswaldo
(fonte: Gazeta Esportiva)

A indefinição da Federação Paulista de Futebol em não divulgar oficialmente a tabela do Campeonato Paulista, atrapalhou os planos do técnico Oswaldo de Oliveira, do Corinthians. “Claro que esta indefinição atrapalhou os meus planos. Preciso saber quem eu vou enfrentar o quanto antes. Para mim facilitaria o trabalho, porque analiso cada equipe a cada partida”. Apenas no final desta tarde, foram confirmados data e local do jogo: O Corinthians pega a Ponte neste domingo, dia 30 de abril, em Campinas.
Oswaldo, no entanto, procurou analisar o Grupo 8, que o seu time vai enfrentar na próxima fase: Rio Branco, Ponte Preta e Palmeiras. “É um grupo bastante difícil. Além de enfrentarmos o Palmeiras, os outros times também estão bem preparados e fizeram por merecer estar nesta fase”.
A partir de agora, o treinador corintiano descartou a possibilidade de colocar o mistão, como fez na primeira fase. “Agora não dá. Fizemos aquilo porque tínhamos a classificação garantida e uma boa vantagem. Agora, tanto na Libertadores quanto no Paulista precisaremos buscar os resultados e a classificação”, completou.
Já os jogadores se mostraram indiferente à divulgação da tabela pela FPF. Para o meia Ricardinho, nessa fase do Paulistão o mais importante é manter a regularidade. “Serão dois jogos de qualquer maneira. Isso não muda em nada. Mais do que nunca, o importante é a regularidade”.
Segundo o camisa 11 corintiano, a definição da primeira rodada só importaria para os torcedores. “A única coisa de diferente é a rivalidade com o Palmeiras. Mas todos os jogos serão difíceis e a equipe tem que estar preparada”.
Ricardinho ficou surpreso com as equipes classificadas. “Normalmente são os grandes clubes. O que diferenciou em relação ao ano passado foi a entrada do Rio Branco e a saída do União Barbarense. No restante são quase os mesmos”.
Para o experiente zagueiro Adílson, nesta fase não existe jogo fácil. “Agora não dá para ficar escolhendo adversários. Não vamos ter moleza, é certo”, disse.

Gil é uma festa só
(fonte: Gazeta Esportiva)

“A primeira vez a gente nunca esquece”. Esse ditado é velho e conhecido de todos. Para o atacante Gil, de 19 anos, do Corinthians, vai ficar guardado para sempre na memória. Na vitória por 3 a 0 sobre o Araçatuba, no último domingo, no Canindé, pelo Paulistão, ele entrou aos quatro minutos do segundo tempo no lugar de Luís Mário, contundido, e fez o primeiro gol de sua carreira profissional. “Nunca mais vou esquecer aquele gol, nem a data”, ressalta. “Já fiz gols jogando pelos juniores, mas no profissional é diferente, a emoção é maior”, disse o jogador.
E foi graças a esta emoção que Gil fez uma coisa inusitada em sua carreira: deixou o seu pai Cremil parado na estrada. Ele é caminhoneiro e estava viajando de Curitiba para Bahia. “Ele me ligou parabenizando pelo gol, e me disse que estava ouvindo o jogo pelo rádio. Quando soube que era o meu gol, ele parou o caminhão na estrada, de tanta emoção”.
Além do incentivo do pai, a mãe Rosângela e o irmão Renan, que moram em Andradina-SP (sua cidade natal) também o parabenizaram. “Minha mãe me ligou à noite. Ela viu o gol pela televisão e me disse que era o mais bonito de todos. Ela me desejou sorte e disse que este seria o primeiro de muitos que eu iria fazer”.

24/04

Paulistão agora é para valer
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Paulistão-2000 terá no próximo final de semana o seu verdadeiro início. Depois de uma primeira fase sem a presença dos quatro clubes grandes e de uma segunda etapa com jogos desinteressantes, os torcedores assistirão agora a vários confrontos realmente decisivos.
Os times de maior força no Estado estão classificados. São Paulo (equipe com melhor campanha na segunda fase), Santos, Portuguesa e Guarani integram o Grupo 7. Corinthians, Palmeiras, Rio Branco e Ponte Preta formam o Grupo 8. Os times se enfrentarão em turno e returno dentro da própria chave e os dois primeiros de cada grupo passam para as semifinais do torneio.
A Federação Paulista de Futebol divulgará hoje ou amanhã a tabela completa das duas chaves. Há grandes chances de o clássico entre Corinthians e Palmeiras abrirem a terceira fase, no próximo sábado, no Morumbi.
Os treinadores sabem que as dificuldades serão enormes daqui para frente. "Ponte Preta e Rio Branco não chegaram de graça até agora. Não será nada fácil derrotá-los", comentou Oswaldo de Oliveira, do Corinthians. O palmeirense Luiz Felipe Scolari não vê favoritos no Grupo 8. "Vamos ver se haverá algum favoritismo dos grandes nas partidas em Campinas e Americana."
O são-paulino Levir Culpi lembra que a melhor campanha da segunda fase, com 25 pontos, não importa. "Estamos num grupo com outros dois clubes grandes", ressaltou.

Corinthians vence sem fazer esforço
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians não precisou se esforçar muito para bater o Araçatuba por 3 a 0, ontem à tarde, no Canindé. O jogo só serviu para o treinador Oswaldo de Oliveira dar mais ritmo aos jogadores reservas. Os gols foram marcados por Gil, Marcelinho e Índio.
“É uma emoção enorme marcar o primeiro gol como profissional. Não vou esquecer até o dia que morrer”, contou o garoto Gil, que abriu o placar, aos nove minutos do segundo tempo.
Com dois jogadores a menos na segunda etapa (Pichetti e Fábio Vidal foram expulsos), o Araçatuba não ofereceu resistência ao Corinthians, que procurou só tocar a bola para fazer o tempo passar.
O segundo gol saiu de uma jogada de Dinei pela esquerda, aos 31 minutos. O atacante cruzou rasteiro e Marcelinho, livre na pequena área, só completou para as redes. O placar foi definido aos 47, em um lance de Índio, que driblou um zagueiro antes de marcar.

23/04

Timão sem nenhum compromisso
(fonte: Gazeta Esportiva)

Uma partida sem importância e, portanto, sem nenhum compromisso para o Corinthians. É dessa maneira que jogadores e comissão técnica estão encarando o compromisso de hoje contra o rebaixado Araçatuba, às 16 horas, no Canindé, o último desta fase do Campeonato Paulista.
O objetivo do treinador Oswaldo de Oliveira é dar mais ritmo de jogo para os reservas por causa da maratona de partidas que o Timão enfrentará daqui para frente em três competições — Paulistão, Libertadores e Copa do Brasil. Dos titulares, apenas Marcelinho e Ricardinho estarão em campo. Luizão e Edu estão suspensos; Dida, Vampeta e Edílson se apresentaram à Seleção Brasileira; e Fábio Luciano, Adílson, Kléber e Daniel podem ficar no banco.
“Todos têm de estar preparados para a sequência desgastante que teremos nos três torneios. Esse jogo contra o Araçatuba só é importante por esse lado”, contou Oswaldo. “O Batata, por exemplo, não jogava há um ano e já melhorou de rendimento nos dois jogos (Matonense e Ponte Preta) dos quais participou. Ganhou mais cancha de campo.”
O mais ansioso para a partida é o lateral-esquerdo Edson, que fará sua estréia no Corinthians. Contratado do Sport Recife há um mês, o jogador teve, primeiro, de se recuperar de uma contratura na coxa esquerda. “Por isso, não estou 100% fisicamente. Acho que uns 80%.
Preciso também de ritmo, pois fiquei 25 dias parado”, comentou. Edson só quer ficar de bem com a Fiel Torcida, coisa que não aconteceu com Augusto. “Para jogar com confiança, o jogador tem que ficar sempre de bem com os torcedores”, explicou o lateral-esquerdo.

CORINTHIANS
Maurício; Índio, João Carlos, Batata e Edson; Márcio Costa, Marcos Senna, Marcelinho e Ricardinho; Dinei e Luís Mário.Técnico: Oswaldo de Oliveira.

ARAÇATUBA
Gilberto; Fábio Vidal, Renato Carioca, Omar Ríos e Robinho; Rodriguez, Perez, Carlos Alberto e Pichetti; Marco Antônio e Marcelo Rocha.Técnico: Luís Antônio Zaluar.

Local: Estádio Oswaldo Teixeira Duarte (Canindé), em São Paulo (SP).
Data: 23/4/2000.
Horário: 16h.
Árbitros: Vladimir Vassoler e Paulo Robertode Almeida.
Assistentes: Adriano Augusto Lucas e Dante Mesquita Junior.

Oswaldo manda espião à Argentina
(fonte: Gazeta Esportiva)

O jogo contra o Rosario Central, pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores, já está merecendo cuidados especiais por parte da comissão técnica do Corinthians. No próximo fim de semana, o treinador Oswaldo de Oliveira mandará seu auxiliar, Edson Cegonha, para ver o jogo do rival no Campeonato Argentino.
“Reconheço que não vejo o Rosario Central jogar há algum tempo. Tenho também os vídeos dos jogos deles nesta Libertadores. Vou estar bem preparado para o primeiro jogo, lá na Argentina”, afirmou o técnico corintiano.
Araçatuba — O adversário de hoje do Timão entrará em campo com algumas mudanças. O volante Sidney e o meia Gílson, que eram titulares, já saíram do clube. Pichetti e Carlos Alberto devem ser os substitutos. O treinador Luís Antônio Zaluar se despede do comando da equipe, já que assumirá o Rio Preto

22/04

Procuram-se clones
(fonte: Gazeta Esportiva)

O calendário maluco do mundo do futebol continua aprontando das suas com o Corinthians. Como se não bastasse a maratona de partidas à qual a equipe está sendo submetida nesse semestre, jogadores e comissão técnica ganharam um grande abacaxi nas mãos.
Em algumas datas do mês de maio, como no dia 10, o Timão tem três partidas marcadas em competições diferentes — jogo da volta contra o Rosario Central, em São Paulo, pela Copa Libertadores; compromisso pela terceira rodada da 3ª fase do Paulistão (sem adversário definido); e estréia na Copa do Brasil contra Botafogo-RJ ou Inter-RS. O que fazer com um problemão desses? O ideal seria fazer dois ‘clones‘ dos jogadores para jogar os três campeonatos com o mesmo rendimento e importância. Como isso — é claro — é impossível, a diretoria já estuda o remanejamento dos compromissos com o objetivo de prejudicar, o menos possível, os atletas. “Vamos tentar um meio de não atrapalhar o trabalho do treinador. A situação é bem difícil, pois são poucas datas disponíveis e muitos jogos”, disse o diretor de futebol, Carlos Nujud.
Oswaldo de Oliveira faz até cara feia quando toca nesse assunto. O técnico não vê outra alternativa a não ser poupar alguns jogadores em partidas de menor importância no momento. “Não tem outro jeito. Vou ter que escalar um time diferente a cada compromisso. É impossível os mesmos jogadores atuarem em todos os jogos”, comentou.
Ricardinho destaca que o revezamento feito pela comissão técnica nesta fase do Paulistão — o Corinthians conseguiu a classificação com quatro rodadas de antecedência — é importante. “Claro que eles vão ter de fazer uma manipulação e mudar essas datas. Mas isso mostra a maratona que teremos pela frente. Por isso, o Oswaldo poupou alguns jogadores contra a Ponte Preta e vai fazer o mesmo agora contra o Araçatuba”, ressaltou o meia, um dos dois titulares (o outro é Marcelinho) que entrará amanhã em campo, no Canindé.
A utilização dos reservas também é elogiada pelo Pé de Anjo. “Eles não têm muita oportunidade de jogar. A presença de alguns titulares vai ajudar bastante, já que se sentirão mais motivados. Com tantas partidas, vai chegar uma hora que teremos de usar duas equipes. E eles precisarão estar preparados para esse momento”, afirmou Marcelinho.
O abacaxi do Corinthians não pára por aí. Caso elimine o Rosario Central, o problema das datas acontecerá novamente no dia 17. A equipe terá mais três compromissos nas três competições que disputa nesse semestre.
libertadoresDia 10 de maio, quarta-feira: o Corinthians já tem compromisso marcado, em São Paulo, contra o Rosario Central, da Argentina.
Dia 10 de maio,quarta-feira: o Timão tem outro jogo na agenda. É a terceira rodada da terceira fase do Paulistão. O adversário ainda não foi definido, mas a partida sim. Dia 10 de maio, quarta-feira: o time estréia na Copa do Brasil, contra o Inter-RS ou o Botafogo-RJ.

Só dois titulares entrarão em campo
(fonte: Gazeta Esportiva)

O jogo de amanhã contra o já rebaixado Araçatuba, no Canindé, não tem nenhuma importância para o Corinthians, classificado antecipadamente no Paulistão. Menos para Marcelinho, que entrará em campo com o objetivo de não perder o embalo das últimas partidas.
“Se ficar muito tempo sem jogar, vou perder o ritmo. E não temos partidas na próxima semana. Por isso, estou à disposição do Oswaldo para enfrentar o Araçatuba. Nada vai tirar minha motivação”, comentou o meia.
O treinador Oswaldo de Oliveira definiu que apenas Marcelinho e Ricardinho serão os titulares que entrarão em campo. O lateral-esquerdo Edson, contratado junto ao Sport Recife há um mês, fará sua estréia. “É importante ele adquirir ritmo de jogo. Faz tempo que não atua e esta é uma boa chance”, disse Oswaldo.
A equipe que começará a partida é: Maurício; Índio, João Carlos, Batata e Edson; Márcio Costa, Marcos Senna, Marcelinho e Ricardinho; Dinei e Luís Mário.

Milan pode liberar Dida para o Timão
(fonte: Gazeta Esportiva)

O perdão dos dirigentes do Milan ao goleiro italiano Rossi pode ajudar o Corinthians a manter Dida em definitivo no elenco. Em função do ocorrido em Milão, a diretoria retomou as negociações com o clube da Itália para ficar com o goleiro. “Agora surge um novo alento. O perdão de Rossi é um ingrediente importante para ajudar na negociação. Nossa intenção é que o Dida fique no Corinthians”, disse o diretor de futebol, Carlos Nujud.
O Timão já depositou US$ 4 milhões na conta do Milan para ter o passe do goleiro, mas o clube italiano tem o direito de recompra até o dia 31 de maio, devolvendo a quantia e pagando mais US$ 1 milhão. “Agora a situação é outra. Não está nada certo, mas não vamos perder essa chance de ficar com o Dida”, afirmou Nujud.
Araçatuba — O treinador Luís Antônio Zaluar comanda amanhã, pela última vez, o time do interior, já rebaixado para a Série A-2. Zaluar acertou esta semana com o Rio Preto. A equipe perdeu 15 pontos no torneio por ter utilizado três jogadores de forma irregular.

21/04

Luizão, matador das Américas
(fonte: Gazeta Esportiva)

Luizão se sente em casa quando joga pela Copa Libertadores da América. E está provando isso a cada jogo do Corinthians na competição. O centroavante se tornou um autêntico matador de gringos. Marcou três gols na vitória do Timão sobre o Olimpia por 5 a 4, anteontem, no Pacaembu, e já é um dos principais artilheiros do torneio, com oito gols.
“Jogar a Libertadores é muito gostoso. Todos as partidas são como decisões e eu adoro participar de jogos deste tipo. Tenho sorte também de sempre marcar gols”, disse Luizão. “O negócio é entrar em campo com muita determinação e não desistir nunca das jogadas. Assim fica mais fácil marcar gols.” No seu terceiro gol na partida, o centroavante usou até o nariz e comemorou com o rosto sangrando.
Além da sorte e da garra, o matador admite que é preciso um pouco de malandragem para estufar as redes dos adversários, como aconteceu no segundo gol do Corinthians sobre o Olimpia. “Dentro da área é um empurra-empurra danado. Ninguém te dá moleza. Então, empurrei o cara deles (o atacante Báez) e marquei o gol de cabeça. A gente tem de ser um pouco malandro nessas horas, né?”, contou.
O adversário do Timão nas oitavas-de-final da Copa Libertadores será o Rosario Central. No dia 3 de maio, a partida será na Argentina. A volta, marcada para 10 de maio, será no Pacaembu. Luizão comemorou que o Corinthians evitou um confronto com o América de Cali, considerado mais forte, na altitude da Colômbia. “Eles formam a base da seleção nacional e jogariam a decisão contra nós em Bogotá. Mas vamos enfrentar o Rosario, que também é muito perigoso. Não será nada fácil derrotá-los”, afirmou.
Como está suspenso pelo segundo cartão amarelo, Luizão não enfrentará o Araçatuba, domingo, no Canindé, pela última rodada da segunda fase do Paulistão. O centroavante ganhou uma folga de quatro dias e só voltará aos treinamentos na segunda-feira, no Parque São Jorge. O jogador estará hoje em São José do Rio Preto, onde participará da inauguração de uma escolinha de futebol, de 12 mil metros quadrados, para 1.200 crianças.

Equipe teve outra lição
(fonte: Gazeta Esportiva)

O sufoco passado contra o Olimpia, anteontem, no Pacaembu, servirá de exemplo para Oswaldo de Oliveira nas próximas partidas do Corinthians pela Copa Libertadores. A sofrida vitória de 5 a 4 mostrou vários erros no setor defensivo da equipe, mas a dura experiência será usada como uma lição pelo treinador.
“Esse jogo foi mais uma página importante para nós na luta pela conquista da Libertadores. Tiramos uma boa lição. Mostramos que temos capacidade de reverter um resultado negativo e com o adversário jogando muito”, contou Oswaldo de Oliveira, que lembrou da vitória sobre o América do México, também no Pacaembu. “Aquele jogo também foi importante. Conseguimos uma virada muito difícil.”
Contra os paraguaios, o ataque corintiano manteve a média de gols das primeiras partidas do Paulistão. A defesa, no entanto, deixou o treinador de cabelo em pé. “Fiquei surpreso com o rendimento do nosso setor defensivo. Cometemos algumas falhas, mas o Olimpia também teve um pouco de sorte”, comentou.
A rivalidade entre brasileiros e argentinos será um dos pontos que Oswaldo utilizará para motivar os jogadores para o confronto com o Rosario Central, pelas oitavas-de-final da Libertadores. “Brasil contra Argentina é o ímpeto da rivalidade futebolística. Mesmo que o jogo fosse Íbis contra o Boca Juniors, a vontade de ganhar o duelo seria igual para os dois times. Será assim contra o Rosario”, disse o técnico.

Titulares têm folga
(fonte: Gazeta Esportiva)

O treinador Oswaldo de Oliveira não pensou duas vezes. Após a vitória sobre o Olimpia, os onze titulares do Corinthians ganharam uma folga de quatro dias.
Dida, Vampeta e Edílson se apresentam domingo pela manhã à Seleção Brasileira. Luizão e Edu, suspensos, só voltam na segunda-feira. Dependendo da necessidade de Oswaldo, os outros seis titulares, entre eles Ricardinho, poderão ficar no banco contra o Araçatuba, domingo, no Canindé. O time que começará jogando será formado pelos reservas.
Com a folga garantida, o meia Marcelinho aproveitou para ajudar crianças carentes. O Pé-de-Anjo esteve ontem no Hospital do Câncer distribuindo ovos de Páscoa.

Bola aérea é a maior preocupação
(fonte: Gazeta Esportiva)

Na vitória sobre o Olimpia, o Corinthians sofreu um gol e cometeu um pênalti em jogadas aéreas. Essa a maior preocupação do time para a próxima fase da Libertadores.
“Estamos tomando muitos gols de cabeça. Precisamos treinar mais as bolas alçadas na área. Não podemos mais bobeira dessa maneira”, contou o lateral-direito Daniel.
O meia Ricardinho ressaltou que a equipe poderá agora corrigir esses erros. “Teremos uma semana inteira para treinar antes de começar a outra fase do Paulistão e o confronto com o Rosario Central, pela Libertadores. Poderemos ver o que aconteceu de errado e arrumar as coisas”, comentou.

20/04

Timão B volta contra o Araçatuba
(fonte: Gazeta Esportiva)

O técnico Oswaldo de Oliveira não quer nem saber. Já avisou que o Corinthians vai enfrentar o Araçatuba, domingo, no Canindé, com um time reserva. E será difícil tirar essa idéia da sua cabeça. “Só se a diretoria tiver um argumento muito forte para que eu escale os titulares nessa partida.”
Mesmo que tenha que colocar a equipe principal no último jogo desta fase do Paulistão — que, aliás, não vale nada, pois o Corinthians está classificado e o Araçatuba já foi rebaixado para a Série A-2 —, será difícil os torcedores verem os craques do Timão. Oswaldo de Oliveira já planejou uma folga de quatro dias no feriado de Páscoa para os jogadores principais do elenco.
“Vamos ter uma sequência massacrante de partidas daqui para frente. Não teremos compromisso na semana que vem, por causa da Seleção Brasileira, e vou aproveitar para dar um descanso para alguns atletas mais exigidos até o momento”, explicou o treinador, que deverá liberar Vampeta, Edílson, Ricardinho, Marcelinho, Fábio Luciano, Adílson, Kléber, Dida e Luizão.
Por ter utilizado os reservas na partida contra a Matonense, em Matão, o Corinthians recebeu uma multa de R$ 200 mil da Federação Paulista de Futebol, conforme a cláusula contratual entre a entidade e os clubes que disputam a competição. O técnico assumiu a responsabilidade pela punição. “Sou realmente o responsável. Eu escalo minha equipe, tenho duas competições importantes para jogar e meu time já estava classificado no Paulista. Além disso, escolho os jogadores que quiser”, disse.
Expectativa — O treinador da Seleção, Wanderley Luxemburgo, convoca hoje, por fax, os jogadores que atuam no País para o jogo contra o Equador, semana que vem, pelas Eliminatórias (leia mais na página 7), e a expectativa tomou conta dos corintianos. Cinco têm grandes chances de ser chamados — Dida, Vampeta, Edílson, Ricardinho e Marcelinho. “Não vou comemorar nada antes da divulgação. Jogar pela Seleção é maravilhoso, mas só posso comentar alguma coisa se realmente for convocado. É melhor esperar”, comentou Edílson.

19/04

Tudo pelo primeiro lugar
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians promete fazer das tripas coração para ficar com o primeiro lugar do Grupo 3 da Copa Libertadores da América. Para isso, precisa vencer o Olimpia, hoje, às 21h40, no Pacaembu.
Atualmente, o time do Parque São Jorge está na ponta da tabela, com dez pontos. Com mais três, garante a liderança isolada e se classifica para as oitavas-de-final, contra o Rosário Central, da Argentina, com a vantagem de decidir a vaga para as quartas-de-final no segundo jogo, em casa.
A vitória é muito bem-vinda, pois em caso de empate, o Timão corre o risco de terminar essa fase em segundo lugar do grupo, o que o obrigaria a jogar contra o América de Cali. O problema, então, seria a altitude de 2.500 metros, da cidade de Bogotá.
Edu garante que o time vai lutar para conquistar o objetivo, que é a vitória. “Decidir em casa, na outra fase, não deixa de ser uma boa vantagem, ainda mais numa competição difícil como a Libertadores.” Outro que concorda com Edu é Marcelinho. “Temos que impor o nosso ritmo. O objetivo é fechar bem essa fase, com uma vitória”.
O atacante Luizão está motivado para o jogo. Ele é o atual artilheiro da equipe, com cinco gols. “Não prometo gols, apenas vou lutar para ajudar o Corinthians a vencer.” Ricardinho acha que a partida vai ser mais complicada. “A situação é difícil para eles, que precisam da vitória para continuar na competição. Temos que estar preparados”, alerta.

Ficha técnica

Corinthians
Dida; Daniel, Fábio Luciano, Adilson e Kleber; Vampeta, Edu, Ricardinho e Marcelinho; Edílson e Luizão. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Olimpia (Par)
Tavarelli; Esteche, Fretes, Zelaya e Da Silva; Quintana, Paredes, Adolfo Esteche e Monzón; Yegros e Báez (Avalos). Técnico: Alicio Solalinde.


Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP). Data: 19/04/2000. Horário: 21h40.
Árbitro: Horacio Elizondo, da Argentina.
Assistentes: Oscar Sequeira e Gilberto Tadeo.

Zagueiro destaca seriedade
(fonte: Gazeta Esportiva)

Para o zagueiro Fábio Luciano, o Corinthians terá que jogar com muita seriedade se quiser conquistar a vitória contra o Olimpia. “Temos que jogar como se estivéssemos em uma decisão. O jogo vai definir o primeiro lugar do grupo. É importante decidir os jogos da próxima fase em casa.”
Segundo o camisa 3 corintiano, o adversário vai dar muito trabalho. “Não é porque eles foram goleados que o jogo vai ser fácil. Ao contrário; será mais difícil ainda.”
Fábio Luciano analisou o Olímpia. “Eles usam bastante a força. Os jogadores de ataque sabem proteger bem a bola e tem atletas habilidosos no meio de campo. Temos que ter muita atenção.” Ele aproveita para pedir o comparecimento em massa da Fiel. “Lá eles contaram com o apoio da torcida. Aqui não vai ser diferente.”
Ingressos — Foram colocados à venda 37.195 ingressos. Estarão à venda no Pacaembu, às 10 horas, e Parque São Jorge, das 9 às 17 horas. Os preços: arquibancada R$ 10, tobogã R$5 e cadeira R$ 20. Estudante paga metade.

Olimpia - Paraguaios querem resgatar prestígio
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Olimpia enfrenta o Corinthians nesta noite com dois objetivos: vencer e resgatar o prestígio perdido na última derrota, por goleada de 8 a 2, contra o América do México.
Só a vitória interessa ao time paraguaio, hoje, no Pacaembu. O técnico Alicio Solalinde ainda tem uma dúvida para confirmar a equipe e é no ataque. Avalos e Baéz disputam a camisa titular.
O time está embalado, já que vem de um empate por 2 a 2 com o Cerro Porteño e está na liderança do Torneio Abertura do Campeonato Paraguaio.
Em 98, pela Copa Mercosul, o Olimpia derrotou o Corinthians por 2 a 1.
Além do jogo entre Corinthians e Olimpia, pelo Grupo 3, a Liga Deportiva Universitaria, já desclassificada, enfrentará o América do México. A partida será às 19h40, em Quito, no Equador.
Outros jogos marcados para hoje: No Grupo 2, Universidade Católica x Blooming, às 20 horas, em Santiago; e Boca Junios x Peñarol, às 21 horas, em Buenos Aires, Argentina. No Grupo 6, Sporting Cristal x América de Cali, às 16 horas, em Lima, no Peru; Atlético Colegiales x Rosário Central, às 17 horas, em Ciudad Del Este, no Paraguai.

18/04

Atenção é a ordem no Parque
(fonte: Gazeta Esportiva)

Atenção! Essa é a palavra de ordem no Corinthians para o jogo de amanhã contra o Olimpia, pela última rodada da primeira fase da Libertadores, no Pacaembu.
O volante Vampeta, que conquistou vários títulos no clube, faz esse alerta: “Temos de ter atenção, principalmente nos primeiros minutos do jogo, para não tomarmos gols bobos”, ressaltou.
“Não podemos nos descuidar. Contra o América do México, eles marcaram no início e quase complicaram a nossa vida na competição”, disse o meio-campista, que fez o gol do empate na vitória por 2 a 1.
“No Campeonato Brasileiro também levamos um gol a 15 segundos de partida do Atlético Mineiro e por pouco não perdemos o título do ano passado. Amanhã faremos um jogo decisivo e qualquer erro pode ser fatal.”
O meia Ricardinho também ressalta que o adversário virá para cima do Timão, já que perdeu por 8 a 2 na rodada anterior para o América, no México. “É uma situação difícil para eles, que vão querer descontar aquela goleada a qualquer custo na gente. Temos de estar preparados para enfrentar essa situação”.
O atacante Edílson acha que o Corinthians precisa ser ofensivo amanhã, já que a vitória assegura a primeira colocação no grupo e, caso isso ocorra, vai enfrentar o Rosário Central da Argentina. A primeira partida acontecerá fora de casa, e a segunda em São Paulo. “Os três pontos serão muito importante para nós e vão garantir o primeiro lugar. Ainda jogaremos com a vantagem de decidir em casa a outra fase. Mesmo assim, não podemos menosprezar a vantagem que temos do empate, pois nossa meta é a classificação.”
O técnico Oswaldo de Oliveira também espera um adversário com atitude bem diferente de outras vezes. “Agora, precisando da vitória, eles devem vir mais ofensivos. Para mim é uma situação nova porque normalmente eles vêm para jogar nos contra-ataques.”

Herói Dinei quer muito mais
(fonte: Gazeta Esportiva)

O atacante Dinei, do Corinthians, está preparado para mais uma batalha na Copa Libertadores, amanhã, contra o Olímpia, às 21h40, no estádio do Pacaembu.
Grande herói dos dois últimos jogos, quando marcou gols decisivos, contra o América por 2 a 1 e Liga Deportiva por 2 a 0, o matador, no entanto, não promete gols.
“Só espero que o Corinthians saia vencedor. Mas, se o Oswaldo de Oliveira precisar, estarei no banco para ajudar.”
O Gavião ressalta a importância da vitória, que assegura a classificação da equipe para a próxima fase. “Esses três pontos nos garantirão a primeira colocação no grupo, e na etapa seguinte, teremos a vantagem de jogar a segunda partida em casa”, explicou.
O meia Edu tem o mesmo pensamento. “Acho que a vitória é muito importante para a gente.” Ele acredita que o Corinthians, por jogar em casa, deve continuar da mesma maneira que vem atuando, ou seja, no ataque, como fez contra o América do México. “O Timão tem que usar a inteligência acima de tudo para conseguir um bom resultado. Saber atacar e também se defender na hora certa.”
Ingressos - Os ingressos para Corinthians x Olímpia só serão vendidos amanhã. Arquibancadas: R$ 10,00; Tobogã: R$ 5,00; Cadeira: R$ 20. Serão colocados 37.195 ingressos à venda para a partida do Pacaembu.

17/04

Timão dá força à Macaca
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians é a mãe do ano. Depois de ajudar a Matonense, ontem foi a vez de dar uma força à Ponte Preta, que se aproveitou e venceu por 1 a 0, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, gol de Dionísio aos 15 minutos do segundo tempo. Nas duas únicas derrotas neste Paulistão, ambas fora de casa, o técnico Oswaldo de Oliveira escalou time misto.
“Deixei apenas três titulares em campo hoje (ontem)”, ressaltou Oswaldo. “Só não deixei mais porque, com as suspensões de João Carlos e Marcelinho, tive que lançar mão de alguns titulares.”
No segundo tempo, ele colocou Edílson, Vampeta e Daniel em campo. “Tínhamos combinado que eles entrariam para não perder um dia de inatividade, já que temos um jogo importante pela Libertadores, quarta-feira, contra o Olímpia”, lembrou.
Oswaldo, no entanto, gostou da movimentação do time. “A equipe esteve bem melhor do que a que jogou em Matão. O Batata estava mais solto, enquanto que o Gilmar e o Edu coordenaram as jogadas no meio-campo.”
Tentativa — O técnico corintiano confirmou que o Timão está tentando antecipar a partida contra o Araçatuba, de domingo para sábado, no Interior, já que o Corinthians já conseguiu classificação antecipada no Paulistão e o Araçatuba foi rebaixado para a Série A-2 no ano que vem.

Ponte dá um grande passo rumo à vaga
(fonte: Gazeta Esportiva)

A Ponte Preta derrotou o mistão do Corinthians por 1 a 0, ontem à tarde, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Com este resultado, o time de Campinas assumiu a vice-liderança do Grupo 4 do Campeonato Paulista com 14 pontos — o Timão continua líder, com 21 pontos.
Como no outro jogo, o Araçatuba ganhou da Matonense por 2 a 1, a Ponte Preta vai precisar de um empate no próximo domingo, contra a Matonense, em Matão, para conseguir a sua classificação.
No primeiro tempo, a equipe campineira, precisando dos três pontos, foi à frente, mas desperdiçou várias jogadas com Macedo, Vânder e Mineiro. O meia Dionísio ainda carimbou uma bola na trave e o Corinthians respondeu com uma jogada semelhante através do meia Andrezinho.
No segundo tempo, surgiu o gol, aos 15 minutos: Dionísio recebeu pelo lado esquerdo e abriu o placar.
Mesmo com as alterações promovidas pelo técnico Oswaldo de Oliveira — as entradas de Daniel, Vampeta e Edílson, nos lugares de Índio, Marcos Senna e Luís Mário, aos 22 minutos —, o Timão não reagiu e voltou de Campinas com a segunda derrota.

Ficha técnica

Ponte Preta 1
Adriano; Roberto Silveira (Zé Carlos), Alex, André Santos e André Silva; Roberto, Mineiro, Vânder e Dionísio (Claudinho); Macedo e Narcízio (Clodoaldo). Técnico: Estevam Soares.

Corinthians 0
Maurício; Índio (Daniel), Fábio Luciano, Batata e Márcio Costa; Gilmar, Edu, Marcos Senna (Vampeta) e Andrezinho; Luís Mário (Edílson) e Luizão. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).
Data: 16/4/2000. Horário: 16h.
Árbitros: Edílson Pereira de Carvalho e Luciano Quilichini.
Assistentes: Roberto Villaça e Gilberto Corrale.
Renda e Público: Não divulgados.
Gol: Dionísio aos 15 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Batata, Luizão, Edu e Gilmar (Corinthians) Alex e Macedo (Ponte Preta).

16/04

Pela honra no Moisés Lucarelli
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians está classificado para a próxima fase do Paulistão e já garantiu matematicamente a primeira colocação do Grupo 4. Então, qual a importância da partida de hoje contra a Ponte Preta, às 16 horas, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas? Teoricamente, nenhuma. Só que, na prática, o objetivo de todos os jogadores nas duas partidas que restam (a outra é contra o Araçatuba, no próximo domingo) é defender a honra de ser a melhor equipe do Campeonato Paulista. Nessas horas, segundo os jogadores, o profissionalismo está acima de tudo. “A motivação para um jogo como esse vem do lado profissional. Para jogar no Corinthians é preciso estar sempre motivado”, afirmou o zagueiro Adílson. “Temos que jogar em todas as oportunidades que surgirem. O revezamento é importante e nosso elenco é grande e qualificado, mas é preciso estar sempre atuando”, comentou Edílson. Apesar do discurso profissional dos jogadores, o importante confronto com o Olimpia (Paraguai), que vale vaga nas oitavas-de-final da Copa Libertadores da América, está sendo tratado com cautela pelo treinador Oswaldo de Oliveira. Em Campinas, Marcelinho, suspenso, será substituído por Luís Mário. E na reavaliação do técnico sobre a condição física de seus atletas depois dos jogos desta semana contra a Liga Deportiva Universitaria (em Quito) e Matonense, ele resolveu poupar o goleiro Dida e o meia Ricardinho. Entram Maurício e Andrezinho. “Se a gente atuasse uma vez por semana, não mudaria a equipe. Mas o calendário apertado me obrigou a fazer essas trocas”, disse Oliveira. Um dos mais motivados para encarar a Ponte Preta é Luizão. Ele é o carrasco da Macaca desde os tempos em que jogava pelo rival Guarani. “O gol mais bonito da minha carreira foi contra eles num clássico de Campinas, no Moisés Lucarelli. Gosto de enfrentar a Ponte. Sempre dou sorte”, contou o jogador, que marcou dois gols no adversário na vitória por 4 a 2 do Corinthians, no Canindé, pelo primeiro turno.

Fábio Luciano e Daniel numa fria
(fonte: Gazeta Esportiva)

O zagueiro Fábio Luciano e o lateral-direito Daniel, do Corinthians, toda vez que enfrentam a Ponte Preta vivem uma verdadeira sinuca de bico. E hoje não vai ser diferente. Ambos estão emprestados e o passe ainda pertence à equipe campineira até junho e têm de jogar bem para satisfazer os dois lados. O lateral, que ficou um ano e meio no time de Campinas, faz questão de dizer que hoje é 100% Timão. “Sou profissional e vou lutar para o Corinthians vencer. Além do mais, preciso mostrar serviço para ser contratado.” Daniel dá a receita para o Timão voltar com os três pontos do Interior. “A equipe tem que entrar muito determinada, roubando a bola rapidamente no meio-campo e explorando os contra-ataques rápidos”. Daniel também assegura que jogar no Estádio Moisés Lucarelli é uma grande pressão para o time da casa. “Quando o gol não sai nos primeiros 20 minutos, a torcida acaba se enervando e atrapalhando os jogadores em campo.” Daniel, que na vitória corintiana por 4 a 2, no Pacaembu, ajudou a construir o placar, cruzando na medida para Fábio Luciano marcar, espera a retribuição do amigo nesse jogo. “É só ele cruzar a bola para mim que vai ficar mais fácil para eu fazer o gol”, brincou. Ele não teme que a torcida da Macaca vá pegar no seu pé.

Edu receita concentração
(fonte: Gazeta Esportiva)

Concentração. Essa é a palavra de ordem que Edu recomenda para que o Corinthians saia com mais uma vitória no Campeonato Paulista. “O time vai precisar estar concentrado o tempo todo para evitar qualquer surpresa”, disse o meia. “Temos que entrar muito atentos, principalmente na marcação, para eliminar as principais jogadas de ataque”. Na opinião do volante, a Ponte Preta, precisando da vitória para conseguir a classificação e jogando em casa, entrará com muita disposição para tentar conquistar os três pontos. “No início eles deverão vir com tudo para cima da gente. Ai é hora de saber aproveitar os rápidos contra-ataques”. O zagueiro Adílson ressalta que o jogo não vai ser nada fácil. “Em São Paulo, a partida foi muito disputada. Não podemos dar espaço para eles”. Segundo o xerifão, a Ponte Preta tem atacantes habilidosos. “Eles protegem bem a bola, além de serem rápidos”. Mestres — Os jogadores mais experientes do Corinthians, além de executarem o serviço em campo, estão auxiliando os mais novos. O atacante Edílson confirma que vem fazendo esse papel. “O técnico Oswaldo de Oliveira vem me alertando durante as partidas para ajudar os jogadores menos experientes a se posicionar melhor em campo”, ressaltou o Capetinha.

15/04

Luís Mário renasce no Timão
(fonte: Gazeta Esportiva)

O gol marcado contra a Matonense, o segundo da vitória do Corinthians por 2 a 0, anteontem, no Canindé, rendeu bons frutos para Luís Mário. Como Marcelinho está suspenso pelo segundo cartão amarelo, o atacante ganha mais uma chance no time titular contra a Ponte Preta, amanhã, em Campinas.
O jogador, de 23 anos, não pensa em hipótese alguma perder essa oportunidade de ouro no Timão. “Não posso perder essas chances. Agora que fiz meu primeiro gol no Corinthians, vou jogar tudo contra a Ponte. O trabalho realizado nos treinamentos vem dando certo”, contou Luís Mário.
Contratado junto ao Mogi Mirim, em julho do ano passado, o atacante sempre é um dos destaques dos coletivos no Parque São Jorge. Velocista, dá muito trabalho para os zagueiros titulares e marca muitos gols, mas vinha decepcionando nos jogos. “Espero que esse gol contra a Matonense seja o primeiro de muitos pelo Corinthians e que eu possa ter sorte em atuar mais vezes no time titular.”
Luís Mário conta com o apoio de todos no clube. Uma prova foi na hora do seu gol. Vários jogadores foram abraçá-lo na comemoração. “Eles têm um carinho enorme por mim. Isso dá mais motivação para jogar aqui”, disse o atacante, que fez questão de elogiar o companheiro Marcelinho. “Ele falou um monte de coisas legais para mim quando me abraçou. O Marcelo sempre ajuda a todos e comigo não é diferente.”
O treinador Oswaldo de Oliveira sabe que tem no banco de reservas uma boa opção para o meio-campo e para o ataque da equipe. “O Luís Mário é um jogador rápido e inteligente. Posso utilizá-lo tanto pelo lado esquerdo quanto pelo direito. Além dos titulares, uma equipe forte tem que ter atletas do estilo do Luís, que é versátil, para ter sucesso”, ressaltou.

Capetinha completa 150 jogos e quer mais
(fonte: Gazeta Esportiva)

O atacante Edílson não tem motivos para ficar triste no Corinthians. Além dos gols decisivos que marca e dos dribles desconcertantes, o Capetinha tem mais um motivo para comemorar. Contra a Matonense, anteontem, o jogador completou 150 jogos pelo Timão e ressaltou que pretende atuar por muito mais tempo. “Só soube depois da partida. Não é qualquer um que chega a essa marca importante. Espero fazer até mil jogos pelo Corinthians”, exagerou Edílson.
Mesmo com a maratona de partidas, o Capetinha não quer saber de ficar de fora contra a Ponte Preta, amanhã, em Campinas. “Além do Oswaldo precisar de atacantes, preciso estar jogando por causa da Seleção”, contou.
Mistão — O treinador Oswaldo de Oliveira resolveu poupar alguns titulares contra a Ponte. Além de Marcelinho e João Carlos, que estão suspensos, Dida e Ricardinho serão poupados. O time que deverá começar a partida: Maurício; Daniel, Fábio Luciano, Adílson e Kleber; Vampeta, Edu, Luís Mário e Andrezinho; Edílson e Luizão.

14/04

Corinthians derruba último invicto
(fonte: Gazeta Esportiva)

Não tem mais nenhum time invicto no Campeonato Paulista. O Corinthians venceu a Matonense por 2 a 0 e acabou com o último dos moicanos, ontem à noite, no estádio do Canindé. Mais do que a vitória, o Timão está vingado e devolveu com a mesma moeda a derrota sofrida diante do mesmo adversário, sábado, em Matão, pelo mesmo placar.
O Corinthians só precisou do segundo tempo para conseguir mais três pontos e seguir líder isolado do Grupo 4, com 21 pontos. Os gols da vitória foram feitos por Marcelinho, de pênalti, aos 11 minutos, enquanto que Luís Mário ampliou aos 42 minutos.
O primeiro tempo foi ruim, com as duas equipes produzindo pouco em campo. O Corinthians teve três chances desperdiçadas: duas vezes com o meia Marcelinho e outra com o atacante Luizão.
Mas no segundo tempo o time melhorou e chegou ao primeiro gol aos 11 minutos. Adeílson derrubou Luizão na área. Pênalti que a arbitragem marcou e Marcelinho não vacilou, tocando a bola no canto direito do goleiro Hiran: 1a 0.
A Matonense foi atrás do prejuízo e por duas vezes carimbou a trave de Dida, com Gílson Batata numa cobrança de falta, e também com Juari.
Mas o Corinthians ampliou o placar aos 42 minutos. Num rápido contra-ataque, Luís Mário, que havia entrado no lugar de Luizão, arrancou do meio-campo. Na entrada da área, ele driblou o goleiro Hiran e completou com tranquilidade para o gol vazio.

CORINTHIANS 2
Dida; Daniel, Fábio Luciano, João Carlos e Kleber (Márcio Costa); Vampeta, Edu, Marcelinho e Ricardinho (Gilmar); Edílson e Luizão (Luís Mário).Técnico: Oswaldo de Oliveira.

MATONENSE 0
Hiran; Nelsinho, Gérson, Adeílson e Marcão (Tupãzinho); Guará, Alexandre Silva (Juari), Piá e Marco Aurélio (Esquerdinha); Gílson Batata e Júlio César.Técnico: Luís Carlos Ferreira.

Local: Estádio Oswaldo Teixeira Duarte (Canindé), em São Paulo (SP).
Data: 13/4/2000.
Horário: 20h30.
Árbitros: Élcio Paschoal Borborema e Robério Pereira Pires.
Assistentes: Manoel Gil Gomes e Cláudio de Oliveira Logullo.
Renda e Público: Não divulgados.
Gols: Marcelinho (pênalti), aos 11, e Luís Mário, aos 42 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Luizão, Marcelinho, Kléber, Edu, Ricardinho, Edílson e João Carlos (Corinthians) Piá e Júlio César (Matonense).

Edson pronto pra Libertadores
(fonte: Gazeta Esportiva)

Até pouco tempo atrás, a Copa Libertadores da América era apenas um sonho bem distante para o lateral-esquerdo Edson, de 23 anos. Jogando pelo Sport Recife, via as partidas apenas através da televisão e nem imaginava que um dia estaria disputando a tradicional competição sul-americana.
De uma hora para outra, veio o interesse do Corinthians e a sua contratação. E, com a saída de Augusto para o Botafogo-RJ, ele vai ser inscrito para disputar o seu primeiro jogo internacional, com a camisa de número 16.
“Jogar aqui em São Paulo vai ser uma grata surpresa. Eu sabia que atuando no futebol do Nordeste seria mais difícil disputar uma Libertadores. Quando fiquei sabendo do interesse do Corinthians, acabei torcendo muito para que o negócio fosse concretizado, porque São Paulo é uma grande vitrine para o futebol brasileiro”, confessou. “Dentro do futebol pode-se esperar tudo. A qualquer momento as coisas podem mudar”, disse o recém-contratado.
Para Edson, a Libertadores é uma competição muito mais difícil que as outras. “É uma pedreira, porque reúne os principais times sul-americanos.”
Mas o jogador sabe que não vai ser nada fácil para entrar no time titular do Timão, já que Kleber vem fazendo boas partidas. “Aqui no Corinthians, todos são titulares. Lógico que eu terei que batalhar muito para conseguir jogar, mas é o meu objetivo.”
O lateral, por sinal, estava com uma contratura muscular na perna esquerda, mas já está recuperado. Além de Kleber, outro obstáculo é Márcio Costa, que às vezes ganha a preferência do técnico Oswaldo de Oliveira, como aconteceu na derrota de 2 a 0 para a Matonense, sábado, em Matão.
Apesar de entrar só na segunda fase da Libertadores, Edson mostra confiança. “Quanto mais difículdades, melhor é. Cada vez que passarmos pelos obstáculos, o sabor da conquista vai ser muito mais gostoso”.

Luís Mário festeja primeiro gol
(fonte: Gazeta Esportiva)

O atacante Luís Mário, do Timão, recebeu um passe perfeito de Vampeta, driblou o goleiro Hiran e fez o seu primeiro gol com a camisa do Corintihians, ontem, no Canindé
O atacante Luís Mário era só felicidade no vestiário do Corinthians. Ontem ele foi o principal destaque, fazendo o segundo gol do jogo, na vitória por 2 a 0 sobre a Matonense.
“Me sinto muito feliz por ter feito o primeiro gol com a camisa do Corinthians. Espero que seja o início de vários que ainda vou fazer”, disse empolgado . “Senti que os jogadores têm um carinho muito grande por mim. Na hora em que fiz o gol, todos vieram me cumprimentar”, salientou.
Luís Mário, que entrou no segundo tempo no lugar de Luizão, também comentou a jogada do gol. “O Vampeta tocou certo para mim. Eu só tive a tranqüilidade para driblar o goleiro e fazer o gol”.
Ele no entanto, ressalta que o gol não saiu por acaso.“A gente trabalha muito esse tipo de jogada com o professor Oswaldo de Oliveira.”
Luís Mário ressalta que o Corinthians saiu de campo vencedor porque entrou mais determinado em campo. “Hoje (ontem) não demos espaços para a Matonense. Eles vieram para cima da gente e nós aproveitamos os contra-ataques.”
O outro jogador bastante eufórico era Edílson. “Foi muito importante essa vitória. Agora abrimos oito pontos sobre o segundo colocado, que é a própria Matonense. Isso nos garantiu a primeira colocação no Grupo”, discursou.
O camisa 10 do Timão ressaltou também o espírito de luta da equipe. “Jogamos em Quito. Viajamos a noite inteira e depois enfrentamos hoje (ontem) a Matonense. Valeu pelo espírito de luta .”
O lateral Daniel também parabenizou o elenco. “Vencemos dois adversários: o cansaço e a Matonense. Estamos preparados para isso”.
O próximo jogo do Corinthians pelo Paulistão será domingo contra a Ponte Preta, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Para este jogo o técnico Oswaldo de Oliveira não poderá contar com o zagueiro João Carlos e o meia Marcelinho. Ambos estão suspensos pelo segundo cartão amarelo.

13/04

Com tudo para cima da Matonense
(fonte: Lance!)

Quando o técnico Oswaldo de Oliveira escalou o time B do Corinthians para enfrentar a Matonense, no último sábado, sabia que daria margem para reclamações, principalmente de ponte-pretanos, que lutam com o time de Matão pela segunda vaga do Grupo 4. Cinco dias depois, tudo indica que o treinador corintiano vá adotar a "lei da compensação" nas próximas duas partidas, escalando os titulares hoje, contra a mesma Matonense, e os reservas contra a Ponte Preta, no próximo domingo, em Campinas.

Oswaldo, entretanto, nega que esteja fazendo concessões. O treinador, aliás, diz justamente o contrário e chega a criticar qualquer tipo de choradeira da Ponte Preta.

– A reclamação não deveria ser com o Corinthians, mas com o calendário. No ano passado, a Ponte foi beneficiada no Brasileiro, quando nos enfrentou, e venceu, depois de uma seqüência de jogos desgastante. Agora aconteceu o contrário. Se o Corinthians ficar cedendo a pressões, não vai chegar a lugar algum.

Oswaldo só confirmou três jogadores para a partida desta noite: o goleiro Dida, o meio-campista Edu e o zagueiro João Carlos, que deve entrar no lugar de Adílson, mantendo assim o rodízio no setor. Embora o treinador não revele o restante da equipe, o preparador físico Antonio Mello, uma opinião de peso na comissão técnica, deixa claro o time mais provável.

– Não é um absurdo aproveitar a mesma equipe que jogou em Quito. Os atletas que jogaram contra a Matonense no sábado ficaram quatro dias sem treino. Temos de aproveitar os jogadores que estão em melhores condições – afirma Mello.

Ontem, os titulares tiveram folga e se apresentaram no final da noite na concentração. Os reservas fizeram apenas um treino leve no Parque São Jorge. Antes de decidir quem entra em campo, Oswaldo garante que vai consultar todos os membros da comissão técnica.

– O nosso interesse é nos beneficiar e não prejudicar a Ponte. Cada um vê o seu interesse. Estamos sendo coerentes e buscando o que é melhor para a gente. Vou sentir como estão os jogadores – garante o treinador do Timão.

Caso siga a estratégia mais provável e escale os titulares, Oswaldo certamente vai poupar a maioria da equipe na partida contra a Ponte por um motivo bem simples. No momento, a maior preocupação do técnico corintiano é em relação ao confronto com o Olimpia, do Paraguai, pela Libertadores, na próxima quarta-feira. Uma vitória nesse jogo deixa o Timão com o primeiro lugar do Grupo 3 da competição, o que garantiria o direito de decidir o confronto da segunda fase em casa.

– A nossa preocupação é somente com o nosso planejamento e a comissão técnica tem autonomia ampla e irrestrita da diretoria – diz o diretor de futebol Carlos Nujud.

20h30min: Sportv (pay-per-view)

O talismã do Talismã
(fonte: Lance!)

Autor de dois gols nas duas últimas partidas do Corinthians pela Copa Libertadores, o atacante Dinei se considera um sujeito de sorte. E atribui à camisa 18 parte dessa característica.

– Sou um sujeito supersticioso. Sempre tenho de ser o último a subir no ônibus, sempre tenho de entrar em campo com o pé direito e, desde as finais do Brasileiro-98, não uso mais outra camisa. Não mudo nem se eu for escalado como titular – avisa o atacante, que está com um pequeno problema muscular e não deve ser aproveitado na partida de hoje, contra a Matonense, no Canindé.

– A camisa 18 virou uma marca minha. Em toda parte, ou me chamam de Talismã ou de Camisa 18.

Dinei não é o primeiro a adotar a camisa 18 como talismã. Por motivos distintos, o alemão Klinsmann e o chileno Zamorano também não abriam mão do número às costas (veja quadro ao lado).

– O pessoal da loja aqui do Parque São Jorge diz que a camisa 18 é a segunda mais vendida. Só perde para a 7 do Marcelinho. Nada mal para um jogador que é reserva, né? – orgulha-se.

– É o meu símbolo e me considero um cara que tem sorte.

Não há corintiano que discorde.

Um alerta vermelho
(fonte: Lance!)

Cinco jogos em 13 dias e a comissão técnica do Corinthians, preocupada com o desgaste físico dos atletas, ligou o alerta vermelho para a primeira minimaratona do ano.

– Essa é uma fase crítica. No nosso gráfico, está marcado em vermelho – revela o preparador físico do Timão, Antônio Mello.

Dentro do planejamento corintiano, há até uma previsão de queda de rendimento durante o semestre. Além do Paulistão e da Libertadores, a programação do Timão no primeiro semestre inclui também a participação na Copa do Brasil.

– Quando começar essa quantidade monstruosa de jogos, o time vai começar a cair. Mas isso está planejado – garante Mello.

O técnico Oswaldo de Oliveira segue o mesmo pensamento.

– Normalmente, quando se acumula muitas partidas, o jogador não se recupera – diz o técnico, um defensor permanente de mudanças no calendário do futebol.

Um exemplo muito usado pela comissão técnica corintiana é o caso do cabeça-de-área Vampeta, que caiu de produção no final da temporada passada por causa do excesso de partidas.

– O atleta começa a perder o poder de concentração. Aí, já era – afirma Antonio Mello.

12/04

Corinthians manda tabu para o espaço
(fonte: Gazeta Esportiva)

Que altitude, que nada! O Corinthians derrotou ontem a Liga Deportiva Universitaria por 2 a 0 (gols de Luizão e Dinei), no estádio Casa Blanca, em Quito, e acabou com o tabu das equipes brasileiras (inclusive o Timão) de não vencer em lugares com altitude acima de 2.500 metros nesta Libertadores da América. Foram sete derrotas antes do Corinthians ganhar nos 2.800 metros de altura da capital equatoriana.
O resultado colocou o Timão na liderança do Grupo 3, com dez pontos. Caso o Olimpia vença hoje o América, no México, a classificação à próxima fase estará assegurada. Com qualquer outro placar, bastará um empate do Timão com os paraguaios, dia 19, no estádio do Pacaembu. Jogadores e comissão técnica não querem apenas uma vaga para as oitavas-de-final. O objetivo maior é derrotar o Olimpia para garantir o primeiro lugar da chave. Com isso, o Corinthians enfrentará o Rosario Central (Argentina) e terá a vantagem de decidir a classificação em casa. Se ficar na segunda colocação, terá de encarar o América de Cali e a decisão da vaga será na altitude da Colômbia.
“Queremos a liderança. É fundamental jogar a segunda partida da próxima fase no Pacaembu. Vamos lutar por essa vantagem”, admitiu o treinador Oswaldo de Oliveira, que ficou satisfeito com o desempenho do time em campo. “Saiu tudo como tínhamos planejado. Os jogadores chegaram antes, se adaptaram à altitude e jogaram bem. Fico feliz pelas coisas terem dado certo.”
Luizão abriu o placar e chegou à vice-liderança da artilharia da Libertadores, com cinco gols. O atacante contou que sempre se dá bem em jogos por esta competição. “Acho que nasci para jogar a Libertadores. Sempre tenho boas atuações e espero ter a mesma sorte que tive no Vasco, em 98, quando fomos campeões”, afirmou Luizão, que fez um desafio para os próximos adversários. “Em condições normais, sem altitude ou outra coisa, será muito difícil alguém vencer o Corinthians.”

LIGA UNIVERSITARIA-EQU 0
Espinosa; De la Cruz, Puente (B. Hurtado), Capurro e Reasco (Escobar); Carcelén, González, Ambrosi e Cardona; P. Hurtado (Navarro) e Córdova.Técnico: Manuel Pellegrini.

CORINTHIANS 2
Dida; Daniel, Fábio Luciano, Adílson e Kleber (Márcio Costa); Vampeta, Gilmar, Marcelinho e Ricardinho (Marcos Senna); Edílson e Luizão (Dinei).Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Local: Estádio Casa Blanca, em Quito (EQU).
Data: 11/4/2000.
Horário: 14h30 (Brasília).
Árbitro: Luis Solórzano (Venezuela).
Assistentes: Edison Ibarra e Francesco Romano, ambos venezuelanos.
Renda e público: Não divulgados.
Gols: Luizão, aos 18 minutos do primeiro tempo; Dinei, aos 44 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Fábio Luciano e Adílson (Corinthians).

São Dida salva a pátria mais uma vez
(fonte: Gazeta Esportiva)

A vitória do Corinthians sobre a Liga Deportiva Universitaria por 2 a 0, em Quito, não foi tão fácil como pareceu. Por várias vezes, o goleiro Dida se encarregou de salvar o Timão. Com menos de cinco minutos de partida, São Dida já tinha feito duas defesas milagrosas à queima-roupa.
O primeiro gol veio aos 18 minutos. Marcelinho cruzou da direita, a zaga falhou na hora de cortar a bola e Luizão ficou livre para completar para as redes. O gol diminuiu o ímpeto dos equatorianos, que só criaram uma chance no último minuto, em um chute de fora da área de Carcelén.
A Liga Universitaria voltou com tudo no segundo tempo, mas esbarrou na segurança de Dida, que fez mais três defesas difíceis. Com o jogo chegando ao final, o time equatoriano foi todo para a frente e abriu espaços para os contra-ataques corintianos. Aos 44, Dinei aproveitou um deles e marcou o segundo gol num chute cruzado pela direita.
Mesmo sendo considerado o melhor em campo, Dida fez questão de parabenizar toda a equipe. “Fico contente em ajudar o time. Mas a vitória é fruto do conjunto. Além disso, esse tempo de adaptação de cinco dias foi importante”, contou.

11/04

Timão luta contra tabu da altitude
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians encara hoje um desafio e tanto nas alturas de Quito, a capital do Equador. Vencer a Liga Deportiva Universitaria, às 14h30, no estádio Casa Blanca, significa ficar bem próximo de uma vaga do Grupo 3 para a próxima fase da Copa Libertadores e acabar com um tabu que persegue os times brasileiros nessa competição. Nas sete partidas disputadas em altitudes acima de 2.500 metros, nenhum clube arrancou um ponto sequer. Palmeiras, Atlético-MG e Juventude perderam duas vezes e o próprio timão caiu uma vez, no México.
Para derrotar a Liga Universitaria nos 2.800 metros de altitude da capital equatoriana, o Timão mudou o planejamento de chegar ao local no mesmo dia da partida e mandou seus titulares para Quito cinco dias antes do jogo. O objetivo foi amenizar os efeitos que a altitude provoca. “Para se adaptar totalmente, é preciso uns 30 dias. Esse tempo que usamos foi importante para os jogadores conhecerem e conviverem com a altitude”, disse o técnico Oswaldo de Oliveira.
Com sete pontos, o Corinthians está em segundo lugar no grupo. O líder é o Olimpia, do Paraguai, com oito. O América do México tem seis pontos e a LDU somou apenas um.

Ficha técnica

LIGA UNIVERSITARIA-EQU
Espinosa; De la Cruz, Puente, Capurro e Reascos; Carcelén, González, Obregón e Córdova; Escobar e Cardona.Técnico: Manuel Pellegrini.

CORINTHIANS
Dida; Daniel, Fábio Luciano, Adílson e Kleber; Vampeta, Gilmar, Marcelinho e Ricardinho; Edílson e Luizão.Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Local: Estádio Casa Blanca, em Quito (Equador).
Data: 11/4/2000. Horário: 14h30 (Brasília).
Árbitro: Luis Solórzano (Venezuela).
Assistentes: Edison Ibarra e Francesco Romano, ambos venezuelanos.

Marcelinho tenta novas táticas
(fonte: Gazeta Esportiva)

O meia Marcelinho, do Corinthians, resolveu adotar novas táticas para derrotar os equatorianos da Liga Deportiva Universitaria. Sabendo que as cobranças de faltas sempre foram um dos seus grandes trunfos para fazer gols, o camisa 7 garante que tem a fórmula do sucesso. “Treinei diferente para bater na bola. Aqui e em outras cidades altas, não adianta chutar com efeito que não funciona”, garante o Pé-de-Anjo.
Na opinião de Marcelinho, as cobranças de faltas podem acabar enganando os adversários. “Isso vai ser uma arma para tentar surpreendê-los”.
O meia corintiano vai mais além. Ele prevê que a partida pode ser decidida nesse tipo de jogada. “Acho que esse jogo vai ser decidido em bola parada porque na altitude a bola fica mais rápida”, disse Marcelinho.
No caminho certo — Paulo Roberto Flores, físico do Departamento do Laboratório de Demonstração do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), garante que o Pé-de-Anjo não está falando nenhuma besteira.
“Em países com baixa altitude a trajetória da bola depende de vários fatores, como a ação do vento, porque há muitas correntes e a densidade do ar é maior”, explicou. “Em países onde a altitude é elevada, há menor corrente de vento, e a bola pega menos efeito porque enfrenta menos resistência do ar”, disse o físico. “Por isso, a trajetória que a bola toma é mais reta e suave”, acrescentou. “Com pouco gás na atmosfera, o efeito da ação da resistência do ar é menor.”
Segundo o físico, “em altitudes elevadas, a resistência que o ar oferece ao movimento da bola é menor do que em baixas altitudes, devido à densidade da atmosfera.”

Oswaldo prevê jogo equilibrado
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians goleou a Liga Deportiva Universitaria por 6 a 0, em São Paulo, mas o treinador Oswaldo de Oliveira tem certeza de que hoje, em Quito, a partida será bem mais equilibrada. “Eles têm as mesmas características que nós. Tocam bem a bola e privilegiam o ataque. Como a grama está baixa, os dois times serão beneficiados e a partida terá vários lances de gol”, contou.
O técnico está preocupado com dois fatores: a velocidade da bola e o horário do jogo (12h30, hora local). “Essas serão nossas maiores dificuldades. A bola corre mais e a umidade do ar quando começar a partida é baixa. Atrapalha o rendimento”, afirmou Oswaldo, que definiu Gilmar para o lugar do suspenso Edu.
Quem não parece estar ligando para a altitude é o atacante Luizão, que promete correr até quando puder. “Jogar nessas condições é fogo. Mas vou desempenhar minha função até acabar o fôlego.”
O meia Ricardinho ressalta que o Corinthians tem que jogar com inteligência para driblar os efeitos da altitude. “Temos que evitar a correria porque o cansaço deve bater no segundo tempo. A vitória é importante para não dependermos do jogo contra o Olimpia”, contou.
Orgulho ferido — Com poucas chances de classificação, a Liga Universitaria encara o Timão disposto a devolver a goleada sofrida no Pacaembu. “É um compromisso de honra na Libertadores. Queremos ganhar para descontar o que aconteceu no Brasil. Vamos recuperar nosso orgulho”, disse o volante Obregón.

10/04

Corinthians não teme só a altitude
(fonte: Gazeta Esportiva)

A goleada de 6 a 0 sobre a Liga Deportiva Universitaria, em São Paulo, não ilude ninguém no Corinthians. Jogadores e comissão técnica concordam que a história será bem diferente amanhã. E não é porque o jogo será disputado nos 2.800 metros de altitude de Quito, a capital equatoriana. A preocupação tem um motivo mais forte: a melhora de rendimento da LDU na Libertadores. Após sofrer o massacre no Pacaembu, o time do Equador perdeu para o América por 1 a 0, na Cidade do México, e arrancou um empate por 1 a 1 contra o Olimpia, em Assunção, a capital paraguaia.
“Quem acompanha a Libertadores sabe que a LDU está num estágio bem melhor do que antes. Por isso, não será fácil derrotá-la em Quito. O time deles não é bobo e teremos também a altitude para atrapalhar”, disse o treinador Oswaldo de Oliveira.
Projeção - O Corinthians já sabe que rumo tomar se conseguir a classificação para a próxima fase da Libertadores. Faltando duas rodadas para o fim da primeira etapa, o Timão ocupa a segunda colocação do Grupo 3, com sete pontos.
A liderança está com o Olimpia, com oito. O América do México é o terceiro colocado, com um ponto a menos que o Corinthians. A lanterna está com a Liga Deportiva Universitaria, do Equador, com apenas um ponto ganho.
Caso o Timão termine em primeiro lugar, o adversário nas oitavas-de-final será o Rosario Central. O primeiro jogo acontecerá na Argentina e o segundo em São Paulo. Se ficar com a segunda colocação, a vaga para as quartas-de-final será decidida contra o América de Cali. Nesse caso, a vantagem será da equipe colombiana, que jogará a partida de volta em sua casa.
Estaleiro - Fernando Baiano está fora dos planos do Corinthians para as disputas do Paulistão e da Libertadores. O atacante, que sentia dores no tornozelo esquerdo, foi operado ontem pelo médico Joaquim Grava, no Hospital São Luiz. O jogador começará imediatamente o trabalho de recuperação.

Reservas terão nova oportunidade
(fonte: Gazeta Esportiva)

Os jogadores reservas do Corinthians terão uma chance para se redimir do fiasco apresentado na derrota para a Matonense por 2 a 0, que acabou com a invencibilidade do Timão no Campeonato Paulista.
O treinador Oswaldo de Oliveira declarou que o pensamento da equipe no momento é a Copa Libertadores. “Tudo está planejado. Estamos classificados no Paulista, mas não na Libertadores. Precisamos acumular forças para conseguir essa vaga”, disse o técnico, que viajou ontem de manhã para Quito com nove jogadores (Maurício, Índio, João Carlos, Márcio Costa, Marcos Senna, Luís Mário, Dinei, Andrezinho e Rodrigo Pontes).

09/04

Timão cai em Matão
(fonte: Gazeta Esportiva)

A invencibilidade do Corinthians no Campeonato Paulista foi para o espaço. Neste sábado, jogando com os reservas, o Timão foi derrotado pela Matonense, por 2 a 0, em Matão, acabando com a série de seis vitórias consecutivas.
O time do Interior, que permanece invicto na segunda fase da competição, dominou completamente a partida. A dupla de ataque Gílson Batata e Júlio César levou perigo ao gol de Maurício desde o princípio do jogo. A defesa corintiana, que contou com a volta de Batata, sentiu a falta de ritmo de jogo e foi envolvida pelo adversário.
Apesar da pressão, o time de Matão só abriu o placar aos 26 minutos de jogo, com Gílson Batata antecipando de cabeça o cruzamento de Nelsinho pela direita.
O técnico Oswaldo de Oliveira, que escalou apenas um titular (Edu), resolveu tirar o inoperante Andreznho para colocar Rodrigo Pontes, tentando arrumar a defesa. Mesmo assim, a Matonense continuou pressionando, e quase chegou ao segundo gol.
Na segunda etapa, o Corinthians voltou ainda mais perdido em campo. Logo aos cinco minutos, Marco Aurélio aproveitou um cruzamento de Piá pela direita e, de cabeça, marcou o segundo da Matonense.
Após o gol, o jogo esfriou um pouco. Mesmo assim os donos da casa só não ampliaram o placar graças ao juiz, que não marcou um pênalti claro de Batata em cima de Nelsinho, aos 14 minutos.
O Timão até que tentou alguns ataques, mas Dinei e Edu, em péssima tarde, impediram que o melhor time do campeonato marcasse o gol.
A vitória da Matonense serviu para acabar com um tabu de três anos em que o Corinthians não perdia no Interior do Estado.

Careta valeu a pena
(fonte: Gazeta Esportiva)

O volante Gilmar mostrou há algumas semanas que morre de medo de tomar injeção, principalmente se for no braço. No dia em que alguns jogadores do Corinthians tomaram a vacina contra a febre amarela para viajarem a Quito, onde o Timão enfrenta terça-feira a LDU, pela Libertadores, o Fubá fez várias caretas.
No final, o sacrifício do volante foi recompensado. Com a expulsão de Edu na vitória por 2 a 1 sobre o América do México, na última quarta-feira, no estádio do Pacaembu, o volante ganhou a condição de titular contra os equatorianos.
No embarque, no entanto, Gilmar estava enfrentando um dilema. Feliz porque vai entrar em campo terça-feira, mas temeroso por causa da esposa. “Ela ficou p. da vida quando ficou sabendo que eu iria ficar cinco dias fora do Brasil”, disse, em tom de brincadeira.
Brincadeiras à parte, ele garante que esses dias de adaptação estão sendo proveitosos. “Isso vai ajudar e muito na hora do jogo, já que estaremos mais adaptados à altitude e ao clima do Equador. Com isso vamos buscar a vitória e a liderança no Grupo 3 da Libertadores”. Gilmar espera aproveitar a oportunidade para tentar se firmar como titular dar equipe.
Completo - Hoje pela manhã, os jogadores reservas (Maurício, Índio, João Carlos, Márcio Costa, Marcos Senna, Rodrigo Pontes, Luís Mário, Andrezinho e Dinei) viajam juntamente com o técnico. Oswaldo de Oliveira, o consultor técnico, Valdir Joaquim de Moraes, além do médico Paulo de Farias.
O preparador físico, Antônio Mello, garante que mesmo após a longa viagem — aproximadamente sete horas — os jogadores também vão ao trabalho. “Lógico que vai ser numa intensidade bem menor. Mas os trabalhos iniciais precisam ser feitos.”

Marcelinho abatido com cara de diabo
(fonte: Gazeta Esportiva)

O meia Marcelinho viajou para Quito, onde o Corinthians joga contra a Liga Universitaria, na terça-feira, pela Copa Libertadores, muito abatido com a divulgação de uma pesquisa de uma revista esportiva, que o retratou na capa com cara de diabo. Na pesquisa, o jogador é apontado como o mais odiado entre os torcedores e o segundo entre os colegas de profissão.
Para deixar as coisas ainda piores, o Pé de Anjo teve péssima atuação contra o América do México e perdeu uma cobrança de pênalti. A sorte foi que o Timão venceu o jogo.
O treinador Oswaldo de Oliveira saiu em defesa de Marcelinho. “Ninguém gosta de ser citado numa coisa dessas. O Marcelo ficou triste com a notícia, mas ele já está bem melhor”, afirmou.
Convocação - O Corinthians teve dois jogadores (o goleiro Marcelo e o zagueiro Wendel) convocados para a Seleção Brasileira Sub-17, que disputará a Copa Monterrey-2000, no México, entre os dias 16 e 23 deste mês.

08/04

Corinthians B defende tabu em Matão
(fonte: Gazeta Esportiva)

Os titulares do Corinthians estão em Quito para o jogo decisivo contra a Liga Universitaria, pela Copa Libertadores, e deixaram uma grande responsabilidade hoje para os reservas contra a Matonense, às 16 horas, em Matão, pelo Campeonato Paulista. Uma não, duas responsabilidades. Além de tentar manter os 100% de aproveitamento (em seis partidas), o ‘Timão B’ defende uma invencibilidade de 14 jogos sem perder no interior. A última derrota aconteceu em abril de 1997, quando foi derrotado por 2 a 0 pelo São José.
“Nós sabemos que é difícil uma equipe conseguir manter os 100% num campeonato. É uma vez a cada 20 ou 30 anos. O Palmeiras quase conseguiu em 96, mas eu não deixei”, brincou Dinei, que jogava naquele ano pelo Guarani, único time que venceu o Verdão naquele Paulistão.
O atacante ressalta que o ‘Timão 100% reserva’ pode derrotar a Matonense. “Todos os que estão aqui têm potencial para defender a camisa do clube. Sabemos que jogar em Matão não é fácil, mas acredito nesse grupo”, afirmou o Gavião Dinei.
Por jogar apenas com um titular, o volante Edu, o Timão corre o risco de ser multado em R$ 200 mil de sua cota pela Globo Esportes, que comprou os direitos do Paulistão. O diretor da empresa, Marcelo Campos Pinto, que poderia esclarecer o caso, está em Zurique (Suíça) e volta ao Brasil na terça-feira. A diretoria do clube se defende. “Os 18 atletas em Matão estão dentro do regulamento. Não há problema”, disse o diretor Carlos Nujud.

MATONENSE
Hiran; Nelsinho, Gérson, Adeilson, Marcão e Guará; Alexandre Silva, Piá e Marco Aurélio; Gílson Batata e Júlio César. Técnico: Luís Carlos Ferreira.

CORINTHIANS
Maurício; Índio, João Carlos, Batata e Márcio Costa; Edu, Marcos Sena, Luís Mário e Andrezinho; Dinei e Gil. Técnico: Osvaldo de Oliveira.

Local: Estádio Hudson Buck Ferreira, em Matão (SP)
Horário: 16 horas
Data: 08/04/2000
Árbitros: Ílson Honorato Santos e Sálvio Espínola Fagundes Filho.
Auxiliares: Jovair de Miranda e Paulo Ferreira Runcoleta.

Matonense joga de olho na vaga
(fonte: Gazeta Esportiva)

Uma vitória da Matonense diante do Corinthians e uma derrota da Ponte Preta para o Araçatuba deixará a equipe de Matão praticamente classificada para a próxima fase do Paulistão.
Somente momentos antes do início do jogo é que o técnico Luís Carlos Ferreira, da Matonense, definirá a equipe que enfrentará o Corinthians hoje à tarde.
Adeílson, expulso contra a Ponte, retorna à quarta-zaga, saindo Maurício. Essa mudança está confirmada, mas Ferreira tem duas dúvidas: Gérson ou Carlinhos, na zaga central, e Alexandre Silva ou Marcelinho, como segundo volante.

Titulares já treinam em Quito
(fonte: Gazeta Esportiva)

Os jogadores titulares do Corinthians, que viajaram à Quito na última quinta-feira, para se adaptarem melhor à altitude, estão treinando sob o comando do preparador físico Antônio Mello.
Este último destacou que o elenco está bem e, por enquanto, não sentiu problemas. “Chegamos na noite de quinta. Fizemos apenas um trabalho de sauna, piscina e hidromassagem para se ambientar ao clima equatoriano”, revelou.
Ontem, no entanto, acabou a moleza e os jogadores treinaram em dois períodos. “Estamos fazendo um trabalho físico-técnico com a bola”, explicou o preparador físico.

Gil sonha com vaga
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians enfrenta hoje a Matonense apenas com um titular, o volante Edu. Dos reservas, quem mais está ansioso pela chance que está ganhando no time de cima é o atacante Gil, de 19 anos. O garoto não vê a hora de começar jogando (será a segunda vez na carreira que será titular no Timão), ainda mais tendo Dinei, seu ‘guru‘ no Parque São Jorge, como companheiro de ataque.
“Sabia que, mais cedo ou mais tarde, essa oportunidade apareceria. O negócio é jogar bem contra a Matonense para o Oswaldo me colocar outras vezes na equipe”, explicou Gil. “Como jogarei ao lado do Dinei, as coisas podem ficar mais fáceis. Ele toca bem a bola e tem muita visão de jogo.”
O atacante conta que, apesar da ansiedade, está com a cabeça boa para encarar a Matonense. “Venho jogando com os juniores e, por isso, estou com ritmo. Tenho certeza de que farei uma boa partida”, disse o garoto, que terá o apoio, apesar de bem distante, de sua família. “Os meus familiares são de Andradina e eles vão assistir ao jogo pela televisão. Claro que com todos torcerão muito pelo Corinthians.”
Outro que comemora a chance de jogar entre os titulares é Batata. O zagueiro não começa jogando desde março do ano passado, quando sofreu uma grave lesão. “Espero ter uma sequência de jogos para, no futuro, conseguir uma vaga no time”, afirmou.

07/04

Marcelinho: a estrela cai
(fonte: Gazeta Esportiva)

“Foi a minha pior partida com a camisa do Corinthians.” Com essa declaração, ontem pela manhã, no Aeroporto Internacional de Cumbica, antes do embarque para Quito, o meia Marcelinho resumiu a sua desastrosa participação na vitória por 2 a 1 sobre o América do México, na última quarta-feira.
Para apagar essa partida da memória, o Pé-de-Anjo está contando os minutos para o jogo de terça-feira, às 14h30, contra a Liga Deportiva, na capital do Equador. “Nada melhor que um dia após o outro para me recuperar”, disse o atacante, que prometeu voltar a jogar bem.
Marcelinho acredita que o jogo vai ser bem mais difícil do que a goleada de 6 a 0 sobre o mesmo adversário, no Pacaembu. “Lá eles estarão com a torcida a favor”. A altitude, outro obstáculo que o Timão terá pela frente, não chega a preocupar o jogador. “É ótimo essa viagem antecipada para conseguirmos, no dia, jogar bem”, comentou.
Marcelinho, porém, tem outro desafio no Equador. Ele guarda um trauma em Quito. Apesar de o Corinthians ter vencido o Espoli por 3 a 1, na Libertadores de 96, o time teve problemas fora do gramado. O avião que trazia a delegação de volta ao Brasil teve problemas na decolagem. A aeronave saiu da pista, bateu em um muro de proteção e o fogo se espalhou. “Não dá para esquecer”, conta. “Toda vez que mencionam Quito, lembro daquele dia.”
Crédito — Mesmo com vários erros contra o América, o Pé-de-Anjo parece estar com saldo positivo com o técnico Oswaldo de Oliveira. “Ele tem o direito de errar”, defendeu o treinador. “Ele é um ser humano, não uma máquina.” O camisa 7 do Timão pressentiu que não estava numa boa noite e achou que foi bem substituído por Dinei. “Senti que não estava bem. O Dinei entrou, e o mais importante é que conseguimos a vitória.”
Marcelinho, sexto maior artilheiro da história do clube, com 175 gols em 358 partidas, disse que compreendeu as vaias da torcida. “Eles vivem da emoção e têm o direito de cobrar”, disse. “Mas no fundo os torcedores sabem com quem pode contar.”

Operação Quito
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians “rachou” novamente. Como aconteceu depois de ter conquistado o Mundial de Clubes, em janeiro, o elenco foi dividido em dois. A equipe titular — com exceção do volante Edu, expulso contra o América — viajou ontem pela manhã para Quito, onde o Timão enfrentará a Liga Deportiva Universitaria, terça-feira, às 14h30 (horário de Brasília), pela quinta rodada da Copa Libertadores da América.
O objetivo é fazer com que os atletas se adaptem melhor à altitude de 2.800 metros da capital equatoriana. Junto com o elenco, viajaram quatro membros da comissão técnica: o preparador de goleiros Paulo César Gusmão, o fisiologista Renato Lotufo, o fisioterapeuta José Alberto Fregnani Gonçalves e o preparador físico Antônio Mello, que fez questão de explicar o motivo da antecipação da viagem.
“Eu não gosto de chegar no dia ou na véspera do jogo, por causa dos problemas de adaptação com clima, alimentação e fuso horário. Fizemos um planejamento antecipado”, garante Mello. “Até os jogadores, quando deparam com o problema da altitude, ficam encolhidos”, completou.
ParaMello, os jogadores estarão preparados até terça-feira. “Nós teremos quatro dias que antecedem ao jogo contra a Liga para superar todas as dificuldades”, afirmou.
O preparador físico do Timão garante que até alguns fundamentos básicos no futebol terão de ser melhor trabalhados na altitude. “Temos que nos adaptar ao domínio, dribles, tempo de bola, já que aumenta a velocidade.”
O fisiologista Renato Lotufo ressalta que precisaria de um tempo para uma adaptação ideal. “Uma adaptação completa seria impossível, já que isso demandaria de 20 a 30 dias”, contou. Ele acredita que os seis dias serão bem aproveitados. “Os jogadores vão conhecer melhor as suas reações na altitude”, finalizou.

Com a expulsão de Edu, Gilmar ganha vaga
(fonte: Gazeta Esportiva)

Gilmar era um dos jogadores mais eufóricos no embarque para Quito. Com a expulsão de Edu, ele vai ser um dos titulares do meio-campo corintiano, contra a LDU. “Estou pronto para jogar”, disse. “É mais uma oportunidade para mostrar o meu futebol.”.
Ele até brincou. Disse que quem não gostou da história da viagem foi a sua mulher. “Ela ficou p. da vida porque vou ficar cinco dias fora de casa.”
Euforia — O empate do Olímpia com a Liga Deportiva por 1 a 1, anteontem em Assunção, foi comemorado pelos corintianos. Com o resultado, o Timão está na vice-liderança do Grupo 3 com sete pontos, um a menos que o líder Olímpia. “O resultado daquela partida foi bom para nós”, comentou Marcelinho. “Agora vamos em busca da liderança, mesmo fora de casa.”
O zagueiro Fábio Luciano também comemorou. “O resultado foi importante para o time”, disse. “Agora temos que fazer a nossa parte, vencendo os dois jogos que restam nesta fase, para não ficar dependendo de ninguém.” Ele acredita que o jogo não vai ser tão fácil como foi na goleada de 6 a 0, no Pacaembu. “Naquele jogo conseguimos o resultado porque fizemos dois gols rápidos, e eles precisaram se abrir em campo”.

Dinei deve comandar a equipe
(fonte: Gazeta Esportiva)

Depois de ser o grande herói do Corinthians, ao marcar o gol da vitória sobre o América, o atacante Dinei já está pronto para mais um desafio: ser o comandante da equipe contra a Matonense, amanhã, em Matão. “Acho que sou um dos mais experientes do time. Para mim, é uma grande satisfação, mas estarei em campo como se fosse um menino”, garante.
Dinei acredita que não haverá falta de entrosamento. “Fizemos vários coletivos juntos. Um conhece o posicionameno do outro em campo. O que pode acontecer é a falta de ritmo de jogo”, alerta. Dinei descarta o rótulo de herói. “Não sei o que é isso. Para mim todo dia é igual”.
Treino — O técnico Osvaldo de Oliveira não confirmou no treino de ontem, mas o provável time contra a Matonense é este: Maurício; Índio, Batata, João Carlos e Márcio Costa; Edu, Marcos Senna, Andrezinho e Luís Mário. Dinei e Fernando Baiano (Gil). Baiano sentiu a antiga contusão na perna esquerda e é dúvida.

06/04

Corinthians sofre mas vence no fim
(fonte: Gazeta Esportiva)

Foi um verdadeiro martírio para a Fiel Torcida. Mas no sufoco, o Corinthians venceu de virada o América do México por 2 a 1, ontem à noite, no Pacaembu, e continua vivo na Copa Libertadores. O Timão subiu para sete pontos no Grupo 3, um a mais do que a própria equipe mexicana.
Os torcedores começaram a se assustar logo aos dois minutos de jogo. A zaga corintiana falhou na bola aérea e Blanco marcou o gol de cabeça.
Em desvantagem, os jogadores do Timão se desesperavam e não conseguiam chegar à meta mexicana. Para piorar, Marcelinho perdeu um pênalti (Becerra defendeu) aos 30 minutos de jogo.
Na segunda etapa, o Corinthians continuou sufocando o América, mas de forma muito desorganizada. Vários cruzamentos foram tentados sem sucesso. De tanto insistir, o gol de empate saiu em um rebote, aos 31 minutos. Vampeta bateu forte da entrada da área.
A salvação corintiana veio dos pés de um predestinado. Aos 37, Dinei tirou a equipe do sufoco ao marcar o gol da virada - Ricardinho cruzou da esquerda, Becerra tentou tirar e o atacante teve calma para empurrar a bola para as redes.
“O Corinthians é assim: as vitórias sempre vêm com sofrimento. Dedico o gol ao Marcelinho, que já nos deu muitos títulos”, disse Dinei.

CORINTHIANS 2
Dida; Daniel, Fábio Luciano, Adílson (João Carlos) e Kleber; Vampeta, Edu, Marcelinho (Dinei) e Ricardinho (Gilmar); Edílson e Luizão.Técnico: Oswaldo de Oliveira.

AMÉRICA-MEX 1
Becerra; Pardo, Davino, Joel Sánchez e Santibañez; Luna, Lara, Estay (Terrazas) e Calderón; Blanco e Berti (Marcelo).Técnico: Alfredo Tena.

Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP).
Data: 5/4/2000.
Horário: 20h30.
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai).
Assistentes: Olivier Viera e Jorge Galati,ambos uruguaios.
Renda e público: Não divulgados.
Gols: Blanco aos 2 minutos do primeiro tempo; Vampeta aos 31 e Dinei aos 37 da etapa final.
Cartões amarelos: Fábio Luciano, Daniel, Marcelinho e Kleber (Corinthians); Pardo, Santibañez e Davino (América).
Cartões vermelhos: Edu (Corinthians); Terrazas (América).

Garotada também dá show
(fonte: Gazeta Esportiva)

O time de estrelas comandado pelo técnico Oswaldo de Oliveira é líder do Grupo 3, com 18 pontos, com 100% de aproveitamento em seis jogos. A equipe do treinador José Carlos Serrão, por seu lado, não deixa a desejar. Em seis jogos obteve cinco vitórias, muitas por goleadas (7 a 2 sobre a Ponte Preta; 4 a 0 contra a Inter) e sofreu apenas uma derrota, para o Santos, por 2 a 0.
A boa campanha despertou interesse de Oswaldo de Oliveira, que sempre olhou as equipes de base com carinho, desde que era auxiliar de Wanderley Luxemburgo, em 98. “Sempre procurei ter o maior cuidado com o trabalho, que nos rendeu Edu, Fernando Baiano, Índio e Kleber.” Ele acha importante os jogadores formados no clube. “Com a convivência entre os profissionais, eles adquirem experiência”, diz. É o caso de Yamada, Andrezinho, Rodrigo Pontes, Gil e Ramon.
José Carlos Serrão está realizado com a boa campanha. “Estou surpreso com o resultado imediato. Mas Isso é fruto de um trabalho integrado que está acontecendo.” O meia Rodrigo Pontes mostra-se feliz com os aspirantes. “Procuro utilizar minha liderança e experiência. Vem dando certo.”

Sete jogadores viajam hoje para Quito
(fonte: Gazeta Esportiva)

Classificado para a próxima fase do Campeonato Paulista, o Corinthians resolveu que agora vai dar atenção total à Copa Libertadores da América.
Para tanto, o treinador Oswaldo de Oliveira decidiu mandar, com antecedência, sete jogadores - provavelmente titulares - para Quito, onde o time joga terça-feira contra a Liga Universitaria. A viagem será hoje de manhã. O objetivo é adaptar esses atletas à altitude de 2.800 metros da capital equatoriana.
“Queremos que os jogadores não sintam tanto os efeitos da altitude. Por isso, sete irão antes para Quito”, disse Oswaldo, que iria definir os atletas depois do jogo de ontem contra o América do México. O restante do elenco enfrenta a Matonense, no sábado, em Matão, e viaja ao Equador no domingo de manhã.

05/04

Timão: pra cima deles
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians não tem outra alternativa hoje contra o América do México, às 20h30, no Pacaembu, pela quarta rodada da Copa Libertadores, senão partir para cima do adversário e conseguir a vitória. O Timão concorre diretamente com os mexicanos por uma vaga no Grupo 3 e não pode nem pensar num empate.
Ao contrário do que aconteceu na partida de ida (2 a 0 para o América), em fevereiro, quando atuou com vários titulares sem as melhores condições físicas, o Corinthians promete encurralar os mexicanos na defesa. Todos garantem que jogarão da mesma forma que vem dando certo no Paulistão, onde o time tem 100% de aproveitamento. “Estamos jogando da mesma maneira que no ano passado. Só esperamos que eles também joguem no ataque. Aí, teremos espaços para os contra-golpes”, afirmou o volante Vampeta.
No Paulistão, os artilheiros do time são os meias Marcelinho e Ricardinho. Só que, na Libertadores, quem comanda a artilharia é Luizão, com quatro gols. O atacante, que ontem recebeu um apoio da Camisa 12 com uma faixa ‘Avante Luizão, estamos com você’, espera retribuir com uma vitória. “Acho legal o carinho da torcida. Sempre procurei fazer o melhor. O apoio dá mais confiança e vontade de correr em campo. Nesta competição é preciso ter força de vontade, garra e luta. Tudo isso tem a ver comigo”, contou.
A volta para o Pacaembu (o Corinthians está impedido de jogar no estádio pelo Paulistão por causa de problemas com placas publicitárias) é mais uma arma contra os mexicanos. “O América vai sentir a força da nossa torcida no Pacaembu. É onde mandamos as nossas principais partidas. Os torcedores gostam de ver o Corinthians jogar lá”, disse o Pé-de-Anjo Marcelinho.

Ficha técnica

CORINTHIANS
Dida; Daniel, Fábio Luciano, Adílson e Kleber; Vampeta, Edu, Marcelinho e Ricardinho; Edílson e Luizão. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

AMÉRICA-MEX
Becerra; Terrazas, Pardo, Salgado e Davino; Sánchez, Lara, Luna e Estay; Calderón e Blanco.Técnico: Alfredo Tena.

Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP).
Data: 5/4/2000. Horário: 20h30.
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai).
Assistentes: Olivier Viera e Jorge Galati, ambos uruguaios.

Xerifão retorna e destaca experiência
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians terá um grande reforço para a partida decisiva contra o América. Depois de ser poupado contra a Ponte Preta, o zagueiro Adílson volta ao time com toda a sua experiência em competições internacionais. “Na Libertadores, é importante e necessário ter jogadores com tarimba nesses tipos de jogos. O Oswaldo (treinador) sabe disso e foi bom não ter jogado no fim de semana”, disse o xerifão, que tem que conviver com dores no joelho esquerdo.
O técnico do Timão ressalta que a equipe está mentalmente preparada para a partida. “O time está com a cabeça boa e sabe que precisa vencer de qualquer maneira. Mas não haverá desespero. Se trabalharmos bem a bola e chegarmos conscientes ao ataque, os gols vão aparecer normalmente”, afirmou Oswaldo.
O Corinthians está em terceiro lugar no Grupo 3, com quatro pontos, dois a menos que o vice-líder América. O Olímpia lidera com sete.

América não tem medo do Corinthians
(fonte: Gazeta Esportiva)

O América do México não será uma equipe medrosa contra o Corinthians, no Pacaembu. O time mexicano quer a vitória para ficar bem próximo de uma das vagas do Grupo 3 da Copa Libertadores.
O treinador Alfredo Tena sabe que a primeira coisa que terá de fazer é bloquear o setor ofensivo do Timão. “Jogaremos com muita cautela, já que o nosso adversário tem um ataque perigoso. Depois de fechar os espaços, vamos para o ataque em busca do resultado positivo”, contou.
Tena tem problema apenas no gol. O goleiro titular Ríos está machucado e o reserva Martínez está servindo a seleção sub´23.
O meia chileno Fabian Estay acredita que o América terá de jogar com inteligência para derrotar o Corinthians. “Temos condições de vencê-los, mas devemos atuar com consciência. Não podemos nos descuidar no setor defensivo”, comentou o jogador.

04/04

Ricardinho: segredo é o futsal
(fonte: Gazeta Esportiva)

Está desvendado o segredo da habilidade de Ricardinho, um dos principais responsáveis pelos últimos títulos conquistados pelo Corinthians e pela boa campanha nesta temporada no Paulistão e na Copa Libertadores da América. O meia revelou ontem que sua forma de jogar vem de um esporte pouco divulgado, mas muito praticado em todo o Brasil: o futsal.
“O futebol de salão é a melhor escola para quem quer jogar futebol de campo. Boa porcentagem do meu jeito de atuar vem daí”, afirmou Ricardinho. “Joguei salão durante 11 anos, em Curitiba, e aprendi muita coisa que uso hoje.”
O artilheiro do Paulistão, com seis gols (ao lado de Marcelinho), destaca que, no futsal, o jogador aprende mais facilmente vários fundamentos. “Por causa das dimensões da quadra, que são menores, tudo tem de ser feito com mais precisão. Desde o passe até o chute para o gol.”
O meia corintiano contou que começou a jogar futsal por causa de dois grandes amigos, no Paraná. “Tinha seis anos e dois amigos do meu prédio, o Marcos e o Átila, jogavam futsal no Pinheiros (que se fundiu com o Colorado, em 1990, e surgiu o Paraná Clube). Vi um jogo deles e falei para o meu pai que queria jogar também. Daí, comecei a atuar na categoria fraldinha”, disse.
Ricardinho ressaltou que teve muito apoio da família para a prática do futsal. “A minha vó Lina, já falecida, não perdia uma partida. O meu pai era como um técnico, já que ficava gritando o tempo todo. Quando eu chutava de bico, ele mandava chutar com o peito do pé”, comentou o meia.
Além de Ricardinho, vários jogadores que se destacaram no campo vieram do salão, como Rivelino e Zé Elias. O meia corintiano acha que tem de haver um período de adaptação. Ele cita o caso de Manoel Tobias, o melhor jogador de futsal do mundo, hoje no Vasco. Ele passou pelo Grêmio, mas não foi aprovado. “Criaram uma grande expectativa, mas não deram tempo para que se adaptasse ao novo jeito de jogar”, disse Ricardinho.

Desta vez, a história será bem diferente
(fonte: Gazeta Esportiva)

Os jogadores do Corinthians estão certos de uma coisa para o jogo de amanhã contra o América do México, no Pacaembu, pela Copa Libertadores. A história será bem diferente da mostrada na partida de ida, na capital mexicana, em fevereiro, quando o Timão perdeu por 2 a 0.
“Eles vão sentir o nosso poder de fogo e a força da torcida. Naquele jogo, vários jogadores tinham voltado de férias e não estavam 100% fisicamente. Agora é diferente”, ressaltou Marcelinho.
O Pé-de-Anjo espera que o América do México jogue no ataque. Assim, o Corinthians terá espaços para sua arma mortal: o contra-golpe. “Tomara que eles venham para cima da gente. Nós vamos aproveitar isso e jogaremos do jeito que gostamos.”
Na terceira colocação do Grupo 3, com quatro pontos (dois a menos que o time mexicano, que está na vice-liderança), o Timão precisa vencer de qualquer maneira. O fato de jogar no Pacaembu é uma vantagem, segundo Vampeta. “Vamos jogar onde mandamos nossas partidas. O Canindé, apesar de ser um bom estádio, é desconfortável para a torcida corintiana. No Pacaembu, os torcedores se sentem melhor e, com certeza, vão nos apoiar o tempo todo.”

Edu quer continuar jogando
(fonte: Gazeta Esportiva)

Por causa da maratona de jogos, o treinador Oswaldo de Oliveira instituiu o sistema de rodízio com os jogadores, mas o meia Edu não quer saber de ser incluído na lista. “Esse é o meu momento e não quero deixar de jogar uma partida sequer. Se depender de mim, continuarei na equipe. Claro, se o Oswaldo quiser me poupar, não terá problema.”
Na partida contra a Ponte Preta, sábado passado, Edu foi substituído por causa de uma contratura leve na coxa direita. “Só que essa lesão não vai me tirar do time. O médico já me falou que não é nada grave. Só tenho que aquecer bem antes dos jogos”, contou o volante, um dos que mais atuou pelo Timão nesta temporada (18 vezes, ao lado do zagueiro Fábio Luciano). “Não posso parar de jogar agora. Todos confiam bastante em mim e tenho de mostrar o meu futebol.”

América cuidadoso contra o Timão
(fonte: Gazeta Esportiva)

O América do México já definiu sua estratégia para a partida de amanhã contra o Corinthians, no Pacaembu. “Viemos para ganhar o jogo, mas teremos muito cuidado. Vamos reduzir os espaços do Corinthians, mas não renunciaremos ao ataque”, disse o treinador Alfredo Tena.
A delegação do América chegou domingo pela manhã a São Paulo e treinou duas vezes na Academia do Palmeiras. “Sabemos que o Corinthians terá uma grande torcida a seu favor, mas temos jogadores experientes para conseguir a vitória e garantir a classificação”, afirmou Tena.

 

03/04

Ricardinho: gols não surpreendem
(fonte: Gazeta Esportiva)

Não é surpresa para ninguém que o Corinthians 100% no Paulistão já está classificado para a próxima fase do campeonato. Também não é novidade que o Timão vem arrasando todos os adversários que encontra pela frente, como a Ponte Preta, que foi goleada por 4 a 2, sábado, no Canindé.
O que surpreende mesmo é o meia Ricardinho, mais conhecido por deixar com seus passes os companheiros na cara do gol, estar entre os primeiros colocados na artilharia do Paulistão. Com seis gols, o jogador divide com Marcelinho a liderança dos maiores goleadores do Corinthians no torneio paulista.
O único que não fica surpreso com isso é o próprio Ricardinho, que credita ao entrosamento da equipe o seu sucesso como artilheiro. “Estou feliz pelos gols que faço. Com eles, estou ajudando o Corinthians a conseguir vitórias importantes no Paulistão. Acho que o segredo é o posicionamento do time. Todos se movimentam muito e tenho tido minhas chances no ataque”, contou o meia.
Ser um dos goleadores máximos de um campeonato não é novidade na carreira de Ricardinho. O jogador lembra que, quando atuava no Paraná Clube, passou várias rodadas do Paranaense de 1997 no topo da lista de artilheiros. “Foi uma época boa. Mas a dificuldade agora é bem diferente. Dá muito mais trabalho fazer gols no Paulistão”, afirmou.
Com tanta badalação em volta — foi até convocada, pela primeira vez, para a Seleção Brasileira —, o nome de Ricardinho começa a aparecer nas especulações para se transferir para o futebol europeu. O meia ressalta que será o primeiro a falar quando alguma proposta aparecer. “Sou transparente quanto a isso. Se houver alguma coisa, vou contar”, diz.

 

02/04

Timão continua arrasador
(fonte: Gazeta Esportiva)

O Corinthians deu mais um show, ontem, no Canindé e garantiu matematicamente a classificação para a próxima fase do Paulistão. Desta vez, o Timão 100% goleou a Ponte Preta por 4 a 2.
A equipe do Parque São Jorge começou a partida arrasadora. Aos dois minutos, Luizão aproveitou uma confusão na área e abriu o placar.
O Timão seguiu pressionando, enquanto a Ponte saiu bem nos contra-ataques. Curiosamente, o segundo gol do Corinthians surgiu de dois jogadores que vieram da Ponte Preta: Daniel e Fábio Luciano. Aos 38 minutos, o lateral-direito cruzou e o zagueiro ampliou, de cabeça, a vantagem da equipe do Parque São Jorge. Por ironia, os passes dos dois jogadores ainda pertencem ao time de Campinas.
Com dois gols de vantagem, o Corinthians se acomodou e acabou sendo surpreendido pela Ponte Preta, aos 41 minutos do primeiro tempo. André Silva, cobrando falta, fez um belíssimo gol: 2 a 1.
Abalado com a reação da Macaca, o Timão bobeou e acabou cedendo o empate, um minuto depois. Fabiano tomou a frente de Kleber e deixou tudo igual no Canindé.
Na etapa final, o Corinthians provou que não está para brincadeira. Ricardinho, aos 19, e Luizão, aos 32, completaram mais um show corintiano.

Ficha técnica

Corinthians 4
Dida; Daniel, Fábio Luciano, João Carlos e Kleber (Márcio Costa); Vampeta (Marcos Senna), Edu (Gilmar), Marcelinho e Ricardinho; Edílson e Luizão.Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Ponte Preta 2
Adriano; Alex, André Santos, Rodrigo e André Silva; Fabinho, Roberto, Mineiro e Dionísio (Claudinho); Adrianinho (Macedo) e Fabiano. Técnico: Estevam Soares.

Local: Estádio Dr. Oswaldo Teixeira Duarte (Canindé), em São Paulo (SP).
Data: 1/4/2000. Horário: 16h
Árbitros: Vladimir Vassoler e Paulo José Danelon.
Assistentes: Francisco Rubens Feitosa e Hilton Francisco Melo.
Gols: Luizão aos 2, Fábio Luciano aos 38, André Silva aos 41 e Fabiano aos 42 minutos do primeiro tempo; Ricardinho aos 19 e Luizão aos 32 da etapa final.
Cartões amarelos: Marcelinho e Daniel (Corinthians); André Santos, Fabinho e Mineiro (Ponte Preta).

Rodízio uma boa idéia no Timão
(fonte: Gazeta Esportiva)

Rodízio não é uma boa idéia somente para churrascarias e pizzarias. No Corinthians, por causa da maratona de partidas no Paulistão e na Copa Libertadores da América, o treinador Oswaldo de Oliveira resolveu adotar a mesma tática e os jogadores aprovaram. Sem reclamar.
“A idéia é excelente. Temos um grupo forte e todos concordam com o Oswaldo. Os jogos são difíceis e o revezamento terá de acontecer mesmo”, concorda o volante Vampeta. “A experiência de fazer trocas com os jogadores é válida. Precisamos de um tempo de descanso para jogar bem na Libertadores”, afirma o zagueiro Fábio Luciano.
O primeiro a entrar no esquema de rodízio é o zagueiro Adílson. Por causa de uma antiga lesão no joelho esquerdo, o xerife da zaga corintiana foi poupado do jogo de ontem contra a Ponte Preta. Tudo para entrar com 100% das suas condições físicas na partida contra o América do México, quarta-feira, no Pacaembu, pela Copa Libertadores. “A minha placa foi a primeira a ter de ficar de fora por causa do rodízio”, brinca Adílson. “O negócio é que preciso fazer a minha série de musculação por causa do joelho. Caso contrário, não vou agüentar lá na frente, com tantos jogos só neste mês”.
O zagueiro ressalta que não está nem um pouco chateado com o fato de ter sido o primeiro a entrar no rodízio. “O objetivo é ajudar. De todas as maneiras. A maratona será grande e todos têm de estar preparados para jogar”, comenta.
Com o início do revezamento, os reservas do Corinthians não querem perder a chance de mostrar trabalho para Oswaldo de Oliveira. Nos coletivos, a equipe suplente sempre dá sufoco nos titulares. “Quero ter a minha oportunidade no time. Para isso, sei que tenho que trabalhar forte. Nos treinamentos, dou o máximo em campo”, diz o atacante Luís Mário. “Ninguém pode bobear porque estou pronto para tirar alguém do time de cima”, desafia o volante Gilmar.

Fiel lota o Canindé
(fonte: Lance!)

Fazia tempo que o Canindé não recebia um público deste tamanho. A torcida do Corinthians compareceu em massa para prestigiar a equipe. O estádio estava lotado e muita gente ficou do lado de fora.

Até os 20 minutos do primeiro tempo, havia fila para a compra dos ingressos. Muitos não achavam lugares para estacionar os carros, e paravam no acostamento da Marginal Tietê, sem se preocupar com as multas.

Torcedores que chegaram atrasados a partida, se surpreenderam com o placar já inaugurado no início da partida.

– Jogo do Corinthians não dá para chegar atrasado.

Conselheiros da Lusa também estavam presentes na partida e gostaram do ótimo público que lotou o Canindé.

 

01/04

Timão 100% - briga é pela vaga
(fonte: Gazeta Esportiva)

Ainda faltam cinco rodadas para o fim da segunda fase do Paulistão, mas o arrasador Corinthians 100% já tem a chance de garantir matematicamente uma vaga para a etapa seguinte do campeonato. Para isso, basta uma vitória hoje contra a Ponte Preta, às 16 horas, no Canindé. O pensamento de todos no Timão é esse, já que os jogadores poderão ter um descanso no Paulista e se preparar melhor para a briga pela classificação na Copa Libertadores da América.
“A vitória contra a Ponte Preta é fundamental para o nosso futuro. Se ganharmos, esquecerei o Paulistão e pensarei apenas na Libertadores”, planeja o treinador Oswaldo de Oliveira, que utilizará seu bom retrospecto no estádio da Portuguesa como forma de motivar ainda mais a equipe. “Não me lembro de ter perdido lá desde que assumi o Corinthians. Não tem nada de tabu. É só uma maneira que encontrei para estimular mais os meus jogadores para o jogo.”
O Capetinha Edílson confirma que o técnico sempre fala de sua invencibilidade no Canindé, mas faz ressalvas com relação ao estado do gramado. “Não é de hoje que o campo é ruim, cheio de buracos. Não temos o costume de jogar lá, já que nossa casa é o Pacaembu. Mas o Oswaldo nos contou que nunca perdeu no Canindé e vamos lutar para manter isso.”
O que ninguém quer falar no Corinthians é sobre mais uma goleada. “Estamos conscientizando os torcedores para não ficarem tão eufóricos. Não é sempre que vai pintar uma goleada. A Ponte não é moleza”, disse Edílson. “Nós não entramos em campo com o pensamento de golear todo mundo. Queremos, sim, a vitória, que nos deixará em uma boa situação no Campeonato Paulista”, afirmou Vampeta.

Luizão é o carrasco da Macaca
(fonte: Gazeta Esportiva)

O centroavante Luizão só tem motivos para ficar alegre quando o adversário é a Ponte Preta. Revelado pelo Guarani, o atacante lembra que é o carrasco da Macaca. “Sempre me dou bem contra eles. O gol mais bonito da minha carreira foi num clássico, no “Moisés Lucarelli”. No jogo do ano passado, fui eu quem marcou o gol do Corinthians”, contou.
Mesmo assim, Luizão mantém amizades no rival. “Tenho imóveis em Campinas e, coincidentemente, eles estão alugados para diretores da Ponte”, comentou.
Suspensão - Anteontem à noite, o atacante foi punido pelo TJD da CBF com três jogos de suspensão por causa da expulsão na final do Brasileirão contra o Atlético-MG. Uma partida já foi cumprida e Luizão ficará de fora de duas partidas pela Copa do Brasil.

Ponte joga com cautela no Canindé
(fonte: Gazeta Esportiva)

Cautela será o principal recurso que a equipe da Ponte Preta utilizará na partida desta tarde diante do Corinthians, no Canindé. O técnico Estevam Soares decidiu escalar três volantes pegadores: Fabinho, Roberto e Mineiro.
Na zaga, porém, não terá o experiente quarto-zagueiro e capitão Ronaldão, que continua contundido na coxa esquerda. Rodrigo formará a dupla de zagueiros com André Santos. No ataque, Narcízio, com um corte na canela, também não joga. Fabiano entra em seu lugar e ao lado de Adrianinho.
Estevam tem orientado seus jogadores para não dar espaço aos perigosos e rápidos Edílson, Marcelinho e Ricardinho. “A ordem é marcar forte no meio-campo para evitar a pressão e os lances de perigo”, disse Estevam.

Lateral esquerdo se apresenta contundido
(fonte: Gazeta Esportiva)

O lateral esquerdo Édson foi apresentado ontem à tarde como novo reforço do Corinthians — era o terceiro nome para a posição, depois de Gilberto e Misso. Jogador de 23 anos, ele estava no Sport Recife, mas também já atuou pelo Olympique de Marselha (França).
Embora Édson tenha se apresentado ontem, o técnico Oswaldo de Oliveira vai ter de esperar para contar com ele, já que o lateral chegou contundido.
“Estou com uma contratura muscular na perna esquerda e devo estar à disposição daqui uns 15 ou 20 dias”, explicou o novo reforço, que assinou contrato por quatro anos e teria custado R$ 1 milhão.
Édson se define como um lateral moderno, que não só defende, mas também sabe apoiar. O chute forte é seu cartão de visitas: “Na Copa da Uefa, fiz um gol num chute de quase 30 metros”, relembra

Voltar