Make your own free website on Tripod.com

Notícias de Agosto

 

02/08

Vadão muda o time para espantar crise

Um novo Corinthians vai estar em campo nesta quarta-feira, contra o Nacional, do Uruguai, na estréia da Copa Mercosul, às 21h40, no estádio do Pacaembu. Sem contratações e precisando desesperadamente da vitória para não entrar em crise, o técnico Vadão vai mexer com o elenco que tem.
A principal novidade é a entrada de Batata na defesa, no lugar de Adílson. Na lateral entrará Kléber, e André Luís jogará no meio com Márcio Costa, Vampeta e Marcelinho. Ricardinho continua fora e Rodrigo Pontes volta ao banco.
“As mudanças são uma tentativa para encontrar a equipe ideal”, explica o treinador alvinegro. “Conversei com o Adílson e ele entendeu bem a minha colocação”. Ele fez questão de salientar que o zagueiro não é o único culpado pela má fase que o time está vivendo. “Culpado somos todos nós", salienta.
O novo Timão vai querer descontar os insucessos dos últimos jogos. Até agora foram duas derrotas: uma para o Goiás, por 3 a 0, na estréia da Copa João Havelange, e outra para o São Caetano por 3 a 1, além do empate com o Paris Saint-Germain por 2 a 2.
Caso os três pontos não cheguem hoje, o Caldeirão do Parque São Jorge poderá explodir a qualquer momento. “Existe uma preocupação porque os resultados não estão vindo, mas ainda não senti a pressão”, garante Vadão.
O jogo também ganhou dois atrativos extras. Esta será a primeira vez que a Fiel Torcida voltará a se encontrar com os jogadores após a eliminação da Libertadores, pelo Palmeiras; e Corinthians voltará a jogar no Pacaembu, o que não ocorria desde contra o Rosário Central, pela Libertadores.


CORINTHIANS
Maurício; Índio, Fábio Luciano, Batata e Kléber; Márcio Costa, Vampeta, Marcelinho e André Luís; Luizão e Éwerthon. Técnico: Oswaldo Alvarez.

NACIONAL
Romay; Del Campo, Lembo, Rodríguez e Bergara; Vanzini, Morales, Camejo e Rubem da Silva (Scotti); Varela e Regueiro. Técnico: Hugo de León.

Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP).
Data: 2/8/2000.
Horário: 21h40.
Árbitro: Ubaldo Aquino (Paraguai).
Assistentes: Ricardo Grance e Nestor Gonzalez, ambos paraguaios.

Time de esquina jamais

O Corinthians quer aproveitar a Mercosul para limpar definitivamente a imagem de que é um time que ganha competições apenas em nível nacional. Com exceção do Mundial Interclubes, disputado no Brasil, o melhor resultado em competições internacionais foi neste ano, quando chegou à semifinal da Libertadores.
O meia Marcelinho sabe da importância de disputar o campeonato sul-americano. “Disputar competições internacionais é muito importante para o clube e também ao jogador, porque proporciona uma projeção maior”, declarou.
Para conquistar os três primeiros pontos, nesta qurta-feira, contra o Nacional, ele espera que a torcida apóie o time. “É preciso que ela nos dê incentivo e que tenha calma. Que veja o esforço de cada jogador e esqueça o que aconteceu no passado”, disse o jogador.
O camisa 7 corintiano reconhece o esforço do técnico Vadão. “Ele está fazendo milagres, porque perdemos jogadores fundamentais à equipe”, disse. “A falta de entrosamento é a nossa maior dificuldade”, acrescentou.
Na opinião do Pé de Anjo, basta que aconteça a primeira vitória para que a tranqüilidade volte ao Parque São Jorge. “Com os três pontos teremos mais tranqülidade para trabalhar”, acredita.
Ewerthon — Novo titular do Corinthians - ocupa o lugar que era de Edílson - Ewerthon quer aproveitar a chance dada por Vadão. “Ele falou para o grupo que os jogadores que se empenhassem poderiam ter uma oportunidade. Chegou a minha vez e não vou desperdiçar esta chance”, disse.
Nem fato de ter de substituir o Capetinha parece preocupar. “Estou bem física e tecnicamente e pronto para jogar no lugar dele”, garantiu.

Ricardinho só no sábado

Meia corintiano segue contundido no tornozelo e não pega o Nacional, nesta quarta-feira, no Pacaembu, pela Copa Mercosul. Previsão de volta é contra o Gama.
O meia Ricardinho está fora do jogo desta noite, contra o Nacional. Quem deu a notícia foi o médico Joaquim Grava. “Ele fez uma ressonância magnética terça-feira e foi constatado um pequeno edema. Por isso resolvemos não arriscar”, disse. Grava, no entanto, garante que para sábado, contra o Gama, as chances de Ricardinho são grandes. “Ele deverá ser liberado para treinar na sexta-feira”. O camisa 11 recupera-se de uma contratura muscular na coxa esquerda.
Quem ocupará a vaga deixada pro Ricardinho é André Luís, que foi deslocado para o setor. “Vou tentar fazer o que o Ricardinho faz, mas é difícil porque ele é um dos melhores na posição”, disse.
André Luís, no entanto, vai procurar se esforçar. “Vou usar a minha experiência e vontade para ajudar o clube. O que vale é a intenção”, disse ele, que jogou na posição pela última vez contra o Real Madrid, atuando pelo Tenerife. “Faz seis meses que não atuo no meio, mas quem sabe não esquece. O importante é preencher o setor. Precisamos melhorar a segunda bola. Contra o Goiás eles ganharam todas”.
Vampeta vai ficar incumbido de atacar mais. “O Vadão me pediu para eu jogar mais à frente”". Ele, no entanto, não quer ser responsabilizado por fazer os gols corintianos. “Isso é lá com o Luizão e o Ewerthon”, brincou. “Meu negócio é vir de trás com a bola”.

Batata volta ao time

O zagueiro Batata está realizado. Nesta quarta-feira, contra o Nacional, ele será o titular do time.“ Vou ter a oportunidade de voltar a jogar. Tenho que mostrar muita vontade para que o Corinthians consiga a vitória”, disse o jogador.
Ele não culpa Adílson pelos maus resultados do Timão até agora. “Quando se perde, todos são culpados. Não adianta culpar apenas um setor”, disse Batata, garantindo que não vai haver problemas de entrosamento com Fábio Luciano. “Vamos conversar bastante durante a partida”, promete”.
O técnico Vadão espera que Batata renda o esperado. “Ele é canhoto e cobre bem o lado esquerdo. Dependendo do rendimento desta quarta-feira, ele poderá ser mantido no time”.
O zagueiro Adílson, sacado da equipe, entendeu o posicionamento do treinador. “É uma questão de respeitar a hierarquia. Sou profissional e o Batata vinha merecendo”.

01/08

Vadão preocupado

Nem mesmo uma vitória nesta quarta-feira contra o Nacional do Uruguai será suficiente para apagar da memória dos torcedores a série de resultados negativos do Corinthians. Quem afirma isso é o próprio técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão. “Será uma outra competição, com outro regulamento”, disse.
Apesar disso, o treinador sabe que o Corinthians tem obrigação de ser ofensivo e, por isso, confirmou Ewerthon no ataque ao lado de Luizão. “Independentemente do jogo ser realizado dentro ou fora de casa, o time tem que ter essa postura em campo”.
Vadão conhece bem o próximo adversário. No ano passado, quando ainda dirigia o Atlético-PR, ele venceu o Nacional em pleno estádio Centenário, em Montevidéu. Mesmo assim, Vadão prefere a cautela. “Preciso saber se os jogadores que virão a São Paulo são os mesmos que atuavam no ano passado”, despistou. Mas demonstrou saber o ponto forte do adversário. “O time vem com o mesmo treinador (Hugo de León) a bastante tempo. Além disso, tem um outro perfil, diferente do Goiás”, concluiu.
Ingressos — Os ingressos para a partida entre Corinthians e Nacional, às 21h40, estão à venda a partir desta terça-feira nas bilheterias do Parque São Jorge e no Pacaembu, das 10 às 17h. Quartafeira, no Parque São Jorge das 10 às 15h e no Pacaembu das 10 em diante.
Arquibancada especial e numeradas custam R$ 10 e arquibancada R$ 5. Estudante paga meia entrada. Edu — O volante poderá enfim acertar a sua transferência para o Arsenal, da Inglaterra. Ele deverá convocar uma coletiva para nesta quarta-feira, no Parque São Jorge.

Falta de conjunto serve de desculpa

Depois da derrota por 3 a 0 para o Goiás, no domingo, o time do Corinthians aguarda somente um reforço. Não se trata, porém, de nenhum craque para solucionar a escassez de gols do time ou ajudar a defesa, mas, mesmo assim, já é uma unanimidade no elenco. O que falta ao Timão, segundo jogadores e comissão técnica é entrosamento. O diagnóstico veio como um alívio para os jogadores da defesa, que vinham sendo apontados como os principais responsáveis pelo mau resultado na estréia da Copa João Havelange. O zagueiro Adílson, um dos mais criticados, se mostrou chateado diante dos comentários. “Acho que precisamos procurar o problema em sua origem. Lógico que tudo vai estourar em cima da zaga, porque, afinal, nós é que estamos lá para evitar os gols. Mas ninguém se preocupa em analisar outros setores do time.”
Apesar de se declarar imune às criticas da torcida por ter certeza de que seu trabalho está sendo bem feito, Fábio Luciano também quis explicar a derrota. “Em alguns momentos, ficavam cinco jogadores do Goiás contra apenas dois do Corinthians. Isso não poderia acontecer, mas vamos conseguindo esse entrosamento e o acerto no posicionamento com o decorrer dos jogos”, previu. “Quando o time vence, o mérito é de todos. Assim deveria ser nas derrotas. Todo mundo participou da derrota para o Goiás.” “Temos de melhorar na marcação e esse foi um problema apresentado por todo o time e não só pela defesa”, disse o meia Marcelinho.
O entrosamento não foi o único ponto que uniu as declarações. Quando o assunto era contratações, todos foram categóricos. “A gente não tem nada a ver com isso. Esse assunto compete à diretoria”, disse Marcelinho. Somente o lateral André Luís teve opinião diferente, deixando clro que o time “perdeu em qualidade de passe no meio.”

Timão acerta venda de Edílson para o Flamengo

Acabou a novela. Depois de muitas idas e vindas, o atacante Edílson acertou o seu destino. O "Capetinha" vai defender o Flamengo, junto com seu ex-companheiro Gamarra, pelos próximos três anos.

Entre Corinthians e Flamengo já está tudo certo. O clube carioca pagará US$ 7,5 milhões para contar com os dribles do "Capeta".

O jogador só deverá se apresentar ao clube carioca no final desta semana. O Corinthians está aguardando o aval bancário que deverá ser apresentado pela ISL (empresa parceira do Flamengo).

Antes disso, o Timão não libera o jogador para assinar contrato com o clube da Gávea.

Ingressos para estréia na Mercosul começam a ser vendidos na terça

Os ingressos para a estréia do Timão na Copa Mercosul, contra o Nacional, do Uruguai, quarta-feira, às 21h40, no Pacaembu, começam a ser vendidos a partir das 10 horas da manhã desta terça.

Os postos de venda serão o próprio Pacaembu e o Parque São Jorge. Na quarta-feira, dia do jogo, as bilheterias do Parque São Jorge fecharão às 15h, e as do Pacaembu permanecerão abertas até a hora da partida.

Nesse jogo já poderão ser notadas algumas mudanças no estádio municipal. As arquibancadas, agora, estão divididas em Normal (atrás do gol) e Especial (no meio do campo). Os preços também são diferenciados. Confira:

Arquibancada Especial: R$ 10,00
Arquibancada Normal: R$ 5,00
Numerada: R$ 20,00

Estudantes com carteirinha da UNE pagam metade do preço, exceto na arquibancada normal. Nesse setor o preço para estudantes será de R$ 3,00. (PA)

 

Voltar