Make your own free website on Tripod.com

Notícias de Junho

30/06

Torcedores pedem perdão a jogadores

Vendo que a reconciciliação de Edílson com o Corinthians está complicada, José Cláudio Moraes, o Dentinho, presidente da Gaviões da Fiel, esteve ontem à tarde no Parque São Jorge e admitiu que, se precisar, vai pedir desculpas ao Capetinha. “Se o Edílson falar que só voltará atrás na decisão se a Gaviões pedir perdão, está tudo bem”. Ele acha que o que aconteceu foi culpa de uma parte isolada da torcida e tem consciência da importância do jogador. “A gente sabe que o Edílson é o melhor atacante do Brasil”.
Dentinho garante que, no entanto, que não está arrependido. “Houve um excesso. Não precisava ter ocorrido a agressão”, reconheceu. Ele também culpa o Corinthians pelo que aconteceu. “Foi um erro de organização como um todo”.
Com uma situação delicada como esta, até os jogadores admitem que o clima não está tão bom quanto antes. “Se eu falar que está tudo bem, estarei mentindo”, reconheceu o meia Ricardinho.
Ele culpa esse mau momento pela invasão da Gaviões. “Não tem outro motivo. O episódio da torcida mexeu com os jogadores. Antes vínhamos ganhando tudo, fazendo um grande trabalho”.
Apesar de amigo de Edílson, Ricardinho não vai dar opiniões. “Dessa vez não vou me meter. Converso com ele diariamente, mas não vou pedir para ele ficar. É uma decisão muito pessoal”. Ele lembrou que já fez isso uma vez, no caso Marcelinho com Luxemburgo, em 98. “Eu intermediei a negociação e o Marcelinho voltou”. Ele lamenta que o que ocorreu não foi na rua. “O Edílson foi pegar o carro e tudo aconteceu na nossa casa”, comentou, referindo-se ao Parque São Jorge.
Reapresentação — O volante Vampeta ficou de folga, ontem, e hoje se reapresenta após servir a Seleção Brasileira. O goleiro Maurício, que tem seu contrato vencendo hoje, está conversando com a diretoria para renovação.

Dida dá adeus evolta para o Milan

Depois de vender o volante Edu ao Arsenal da Inglaterra, por US$ 9 milhões, o Corinthians está perdendo também o goleiro Dida. Campeão Brasileiro em 99 e do Mundial de Clubes este ano, ele foi ontem à tarde ao Parque São Jorge e arrumou suas malas para ir jogar no Milan, clube que é o dono do seu passe. “Não houve acordo entre as diretorias dos clubes”, disse o ex-corintiano, que viajará no fim de semana para a Itália. “Me reapresento ao Milan na segunda-feira. Volto ao meu clube sempre em busca de novos desafios”, disse.
Mesmo que o Milan já tenha inscrito seus dois goleiros, ele espera ser aproveitado e garante que não está preocupado se vai ser o camisa 1. “Nunca me achei titular e não vai ser agora. Vou trabalhar para que isso aconteça.”
Dida acredita que é uma boa oportunidade para mostrar o seu futebol no exterior. “Para mim, vai ser muito bom ter uma experiência internacional”. Ele também procurou agradecer os bons momentos que teve no Timão. “Tive grandes momentos e conquistas e isso é muito gratificante”. Dida também não teve do que se queixar da Fiel. “A torcida só me incentivou. Sempre houve respeito”.

29/06

Edílson confirma: quer sair do Timão

Parece que de nada adiantou toda a corrente positiva que o elenco fez para a permanência de Edílson no Corinthians. O Capetinha parece que está mesmo disposto a deixar o campeão do mundo.
“Falei com ele ontem (terça-feira) e ele me pediu para ser negociado”, disse José Roberto Guimarães, representante da Hicks Muse, parceira do Corinthians no futebol.
“Ele (Edílson) está irredutível”, explicou o dirigente. O Corinthians, entretanto, não vai desistir tão fácilmente. “Vamos fazer uma reunião com o Edílson e com o Alberto Dualib, presidente do clube”, informou Guimarães. Ele contou que até havia tentado marcar uma reunião para hoje, mas decidiu cancelar de última hora. “É bom o Edílson ficar afastado um pouco mais de toda esta situação.”
O Capetinha ainda não conseguiu engolir o vexame da última segunda-feira, quando apanhou da Fiel Torcida, e precisou deixar o Parque escoltado por policiais militares e também seguranças do próprio clube. Os próprio técnico Vadão já havia explicado que nada poderia fazer caso o jogador quisesse sair: “Ele não é patrimônio meu. É do clube. Não posso obrigá-lo a jogar.”
O atacante Dinei também não vai condenar a atitude de Edílson. “Ninguém pode falar nada. O que o Edílson fizer está bem feito.”
José Roberto Guimarães confirmou também que o goleiro Sílvio Luís, do São Caetano, foi oferecido, mas o Timão não manifestou interesse em contratá-lo. Intertemporada — A diretoria do Corinthians também definiu que a partir de segunda-feira o time vai fazer uma intertemporada em Atibaia (SP). Inicialmente o elenco vai ficar uma semana por lá, mas o técnico Vadão quer que o trabalho se prolongue por pelo menos mais uma semana.

Dia de visitas no Parque

Ontem foi dia de visitas no Parque São Jorge. Pela manhã apareceram os ex-corintianos Zé Elias, Paulo Sérgio e o expatriado Romeu. À tarde foi a vez de Wilson Mano. Zé Elias está no Olimpiakos, da Grécia; Paulo Sérgio, no Bayern de Munique, enquanto Romeu, cujo passe pertence ao Timão, está emprestado ao Ravena, da Itália. Wilson Mano é o técnico do XV de Jau.
Volantes — Com Gilmar e Marcos Senna recuperando-se de operações no joelho e a confirmada venda de Edu ao Arsenal da Inglaterra, a prioridade do Corinthians é contratar um volante, como adiantou Vadão. “Primeiro vamos atrás de volantes.” Vágner era um dos nomes especulados, mas o interesse foi desmentido. “Foi uma notícia plantada. Daqui um ano ele receberá passe livre da Roma”, ressaltou José Roberto Guimarães. Rubens Alexandre Nunes, irmão e procurador de Vágner, também desmentiu a notícia. “Não recebi nenhuma proposta”, afirmou. “Ele está 80% acertado com o São Paulo, faltando pequenos detalhes.” Segundo Nunes, Vágner deve renovar por quatro anos: “O Vágner quer ficar no Morumbi.”

Chegada de André estimula Kleber

Depois de ser promovido das equipes de base do Corinthians, barrar o titular Augusto e conseguir se firmar como titular da camisa 6, Kleber se mostra bastante tranqüilo no Corinthians, mesmo com a ameaça de perder a lateral-esquerda para André Luís, que foi contratado por empréstimo de um ano ao Tenerife, da Espanha. Pelo contrário, Kleber garante que “a pedra no sapato”, só serve para aumentar seu ânimo na briga pela posição:
“Serve como um grande estímulo para mim. Procurar sempre melhorar meu futebol, consertar os erros”, diz.
Kleber assegura que não vai se abater com a presença do concorrente. “O negócio é continuar trabalhando com a mesma humildade, mostrando o meu futebol e procurando o meu espaço no clube.”
O lateral-esquerdo se mostra determinado a continuar com a camisa titular. “Não muda nada com a chegada do André Luiz. Este ano também foi contratado o Édson para a posição.” Ele lembra que teve pouco contato com André Luís em 97, quando este era o titular: “Eu estava nos juniores e dificilmente cruzávamos para fazer treinamentos coletivos.”
Titular — O goleiro Maurício, cujo contrato termina amanhã, diz que só aceitará continuar no clube caso seja titular. Ele começou a conversar com a diretoria ontem. Mas já avisou: “Quero ter quatro ou cinco partidas para mostrar o meu trabalho. Se ficar no banco, ai não vai dar.” Ele quer que a situação seja resolvida até segunda-feira.

27/06

Arsenal contrata Edu

Depois de ter conquistado a posição de titular do Corinthians após a saída de Rincón, o volante Edu foi negociado ontem com o Arsenal, da Inglaterra, por US$ 9 milhões.
O jogador, no entanto, se surpreendeu com a notícia. “Não sabia que meu passe estava valendo tanto assim. Afinal, não sou jogador de Seleção Brasileira e assumi a condição de titular há quatro meses”, disse. “Estou indo embora com o coração bastante apertado. Mas prometo, se um dia voltar ao Brasil, será para o Corinthians”.

André Luís volta ao Corinthians

Por outro lado, o lateral-esquerdo André Luís, que foi campeão paulista em 97 pelo Timão, acertou ontem a sua volta ao Parque São Jorge, por empréstimo de um ano. O seu passe pertence ao Tenerife, da Espanha. Ele deve se apresentar hoje.

Capeta apanha da Fiel

O que era para ser uma festa no Corinthians com a chegada do técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, e a sua comissão, acabou em grande confusão. Como prometido, a Gaviões da Fiel, com 50 torcedores, apareceu ontem no Parque São Jorge e protestou contra a eliminação do Corinthians da Libertadores. Não satisfeitos, agrediram o atacante Edílson com tapas e chutes. O estrago só não foi maior porque o jogador acabou contando com a proteção de vários seguranças. Revoltado, o Capetinha garante que não pisa mais no Parque São Jorge.
“Prefiro ir para qualquer outro time, porque desse jeito não dá mais para ficar no Corinthians. Imagine se for assim cada vez que acontecer uma derrota...”, afirmou Edílson.
Os torcedores também pediram a saída do diretor de futebol, Carlos Nujud, o Nei, através de faixas, e exigiram a conquista do Brasileiro. “Faz dois, três anos que o Nei está aqui sem fazer nada. É hora de renovação”, falou Douglas Deungaro, o Metaleiro, vice-presidente da Gaviões da Fiel, isentando o presidente Alberto Dualib.

26/06

Começa hoje a era Vadão no Timão

A “Era Vadão” começa hoje no Parque São Jorge. O novo treinador, contratado na última sexta-feira, vai ser apresentado oficialmente às 14h.
Juntamente com o técnico, também vai ser anunciada toda a comissão técnica: o preparador físico Walter Grassmman; o auxiliar de preparador físico, Ivo Secchi; o preparador de goleiros, Juarez Francisco dos Santos; e também o psicólogo, João Serapião.
Todo o elenco também estará de volta, após 19 dias de férias, com exceção de Vampeta e Dida, que estão treinando com a Seleção Brasileira.
Aliás, o titular no gol da camisa verde e amarela, como adiantou A Gazeta Esportiva na edição de sábado, tem chances de continuar no clube. O Milan, que é dono do passe, não o inscreveu para a próxima temporada italiana.
Dessa forma, a diretoria do Timão, que dava como certa a volta de Dida ao clube italiano, deverá fazer uma renegociação. No entanto, a principal dificuldade é com o próprio jogador, que iria ganhar aproximadamente US$ 2 milhões por um contrato de um ano.
O único atleta que tem contrato a vencer no próximo dia 30 é Maurício, que vai começar a conversar com a diretoria nesta semana. Com a chegada de Vadão, quem também deverá ser contratado é Capone, campeão da Copa da Uefa pelo Galatasaray, da Turquia. O zagueiro trabalhou com o treinador no Mogi Mirim.
O lateral-esquerdo André Luís, que foi campeão paulista pelo Timão em 97, também poderá ser contratado. Seu passe pertence ao Tenerife.
Amor eterno — O preparador físico da Seleção Brasileira, Antônio Mello, revelou estar profundamente chateado com sua demissão do Corinthians. “Saio triste porque aprendi a amar este clube”, disse Mello. “É uma pena que eu deixe o Corinthians por pressões externas”, disse, referindo-se à Gaviões da Fiel.

25/06

Clássico para lotar o Ibirapuera

O primeiro clássico do Campeonato Paulista Sub-20 será realizado hoje, às 20h, entre Corinthians e Santos, no estádio Ícaro de Castro Melo, no Ibirapuera, e será mostrado ao vivo pela TV Gazeta, com narração de Celso Cardoso, comentários de Mário Marinho e reportagens de Wagner Lima e Osmar Garraffa. O Corinthians, que recentemente conquistou o título do Campeonato Paulista de Aspirantes - “Brasil 500 Anos”, é considerado o favorito. Apenas o goleiro Yamada e o meia Andrezinho, que têm mais de 20 anos, estão impedidos de atuar. O técnico José Carlos Serrão já confirmou Rubinho, que em várias oportunidades atuou pela Seleção Brasileira sub-17, no gol corintiano.
Outros destaques são os zagueiros Marquinhos e Éder, e o volante Wellington.
No Santos, a maior novidade está no comando do time. Pita assumiu os juniores. Ex-jogador de Santos e São Paulo, Pita vinha treinando a garotada do Tricolor, pelo qual foi campeão estadual em 99 e da Copa São Paulo deste ano. Ele substitui Giba, promovido a treinador do time profissional.
“Considero essa competição muito importante para a revelação de novos valores. Trata-se de uma vitrine. Eu mesmo disputei muitos campeonatos juvenis e aspirantes antes de me tornar profissional”, contou o técnico, revelado pelo Santos em meados dos anos 70.
O Santos praticamente manteve a base de seu elenco, que ficou em quarto lugar na Copa São Paulo de Juniores, em janeiro, e que chegou à fase semifinal do Campeonato de Aspirantes, recém-terminado.
Os zagueiros André Luís e Preto, e os atacantes Aílton e Canindé, integrados ao time profissional, são os jogadores mais experientes da atual safra produzida na Vila Belmiro.

Vadão pede apoio da Fiel Torcida

Osvaldo Alvarez, o Vadão, está pronto para assumir, amanhã, às 14h, o maior desafio de sua carreira: o cargo de técnico do Corinthians. Caipira de Monte Azul Paulista, o treinador de 43 anos sabe que antes de definir o elenco, os titulares, o esquema de jogo do time e analisar os adversários, terá de conquistar a confiança de uma nação: a Fiel Torcida. Assim, Vadão terá meio caminho andado para obter o esperado sucesso à frente do campeão mundial.
E ele já sabe como ganhar os fiéis: trazendo a força que ela representa para junto de si. “Vejo a Fiel Torcida corintiana como uma grande aliada e não como adversária”, ressaltou Vadão, que teve uma grande experiência no Atlético-PR. “Assim como aqui existe a Gaviões, lá tem também ‘Os Fanáticos’, uma torcida de massa e também muito exigente. Mas saí de Curitiba com eles muito próximos de mim.” Vadão ressalta que, para o sucesso da equipe, todos precisam ter o mesmo objetivo. “Lá todos nós, jogadores, diretoria, comissão técnica e os torcedores, tivemos uma perfeita integração, por isso chegamos ao objetivo comum que era o título paranaense.”
Em São Paulo, ele pretende contar com o apoio da Fiel. “Ainda não sei como funciona esse laço de torcedor e técnico em São Paulo, mas espero sempre contar com o apoio deles”, falou.
Vadão não teme que a Fiel pegue no seu pé no início, e pede a mesma paciência que a torcida teve com Wanderley Luxemburgo para que o trabalho dê resultado. “Não podemos esquecer que, logo que o Luxemburgo assumiu o Corinthians, em seis jogos sofreu várias derrotas no Torneio Rio-São Paulo. Depois, se firmou na equipe, conquistando o título brasileiro de 98.”
Mesmo sendo eliminado de três competições seguidas (Copa do Brasil, Paulistão e Libertadores), Vadão não considera o grupo fraco. “O Corinthians é um time vencedor, que ganhou um Paulista, dois Brasileiros e um Mundial. Por isso, não vai ser preciso mexer muito no atual elenco. Todos esquecem que o Corinthians foi derrotado devido ao cansaço e ao estresse por vários jogos disputados ”, discursou.
Ele garante que ainda não discutiu sobre reforços com a diretoria. “Ainda não tive tempo suficiente para conversar com os dirigentes, já que estava de férias. Fui convidado para trabalhar em São Paulo depois de conquistar o título paranaense”, lembrou. Antes de dirigir o Atlético, Vadão teve oportunidades de mostrar o seu trabalho apenas em equipes do Interior paulista, como Guarani, Araçatuba, Matonense, XV de Piracicaba (conquistou o Brasileiro da Série C, em 95) e Mogi Mirim. , onde ficou conhecido por criar o ‘Carrossel Caipira’, numa alusão ao ‘Carrossel Holandês’ formado pelo técnico Rinus Michel, na Copa de 1974.
Vadão ressalta que trabalhar no Timão não o assusta. “Estou subindo degrau por degrau e agora chegou a minha vez de comandar um grande time. Tenho certeza que o trabalho vai dar certo”.
Vadão também explicou porque resolveu trocar a comissão técnica. “Só mexi na parte do campo, porque é um grupo que vinha trabalhando comigo há um certo tempo.” O preparador físico Walter Grassmman o acompanha há nove anos. Ivo Secchi, auxiliar de preparação física, trabalhou com Vadão no Araçatuba e no Mogi Mirim; Juarez Francisco dos Santos, o preparador de goleiros, estava no Guarani, e o psicólogo João Serpião veio do Atlético-PR. “O João eu conheço desde que eu era jogador do juvenil do Guarani, em 74”, revelou. Da antiga comissão técnica, ficou apenas o médico Joaquim Grava e o fisiologista Renato Lotufo.
O Xodó da Fiel, Neto, também deverá compor a equipe. “Até onde eu sei ele está contratado. Ainda não sei qual será a sua função. Ele é um amigo particular meu.”

24/06

Vadão chega e limpa área

Apartir de segunda-feira o Corinthians começa vida nova. E a reformulação se inicia com a chegada do técnico Osvaldo Alvarez, o Vadão, que foi anunciado ontem como sucessor de Oswaldo de Oliveira, demitido há duas semanas. O novo treinador assinou contrato com o clube por um ano e será apresentado às 14h, juntamente com o elenco, que volta aos treinos após as férias.
Vadão chega ao Parque São Jorge com uma missão: apagar o passado recente de amarguras no clube. Dessa forma, a antiga comissão técnica também foi demitida, como o preparador físico Antônio Mello e o preparador de goleiros Paulo César Gusmão, ambos da Seleção Brasileira.
Vadão trará consigo seus homens de confiança: Walter Grassmman (preparador físico); Ivo Secchi (auxiliar de preparador físico) e Juarez Francisco dos Santos (preparador de goleiros).
Antônio Mello, que estava no clube há dois anos, foi comunicado da demissão pelo diretor de futebol do clube, Carlos Nujud. E estranhou a decisão: “Alguma coisa deve ter acontecido para eles terem tomado essa decisão.”
Mello lembra que tinha contrato a vencer no próximo dia 30, mas nele havia uma cláusula para renovação por mais seis meses.
O preparador físico, no entanto, acha a mudança de comando um fato normal. “Isso é comum no futebol. O novo treinador sempre traz a comissão técnica de confiança.”
Já o técnico Wanderley Luxemburgo tratou de defender os amigos e não poupou críticas à diretoria corintiana. “Não faltou respeito porque cada um faz o que quer. Faltou inteligência”, disparou. “Demitir é um direito que o clube tem. Mas para os profissionais, que são de Seleção Brasileira e de alto nível, foi demais.”
Mas o treinador da Seleção elogia o trabalho de Vadão. “Ele vinha fazendo um grande trabalho há muito tempo, principalmente no Atlético-PR.” Luxemburgo recomenda calma a Vadão, para suportar a pressão da torcida corintiana, algo que conhece bem.

Dinei aprova Alvarez

Quando Osvaldo Alvarez chegar ao Corinthians encontrará no atual elenco apenas dois jogadores com quem já trabalhou.
Tratam-se do atacante Dinei, que jogou sob o comando do treinador no Guarani, em 1997, e do meia Luiz Mário, que, com Vadão, defendeu as cores do Mogi Mirim no Campeonato Paulista de 1998.
Entretanto, Luiz Mário e Dinei, assim como todo o elenco corintiano, deverão mostrar qualidades ao novo treinador para conquistar um lugar entre os titulares do Timão.
O Corinthians certamente apostará todas as suas fichas no Campeonato Brasileiro, único caminho possível para que o time do Parque São Jorge retorne à Copa Libertadores no próximo ano e retome o antigo sonho de conquistar a América. “Trabalhei com ele (Vadão) um ano inteiro e posso afirmar que é um excelente treinador”, diz o atacante Dinei. O talismã da Fiel, aliás, ressaltou que aprendeu muito com Alvarez, não apenas taticamente, mas também com relação à vida. “Se hoje estou jogando novamente no Corinthians, o Vadão tem uma parcela de responsabilidade”, disse Dinei, que ressaltou, entretanto, ter ficado triste com a saída de Oswaldo de Oliveira.
Para Dinei, entretanto, o Corinthians acertou em contratar Vadão, que segundo ele merece uma chance num grande clube de São Paulo. “Ele entende os problemas do jogador. Tenho certeza de dará certo no Corinthians.”

Pai diz: filho era santista

O técnico Vadão, que na segunda-feira assume o comando do Corinthians, era santista. Quem entrega o ouro é o pai dele, seu Osvaldo Alvarez, 81 anos, que mora em Monte Azul Paulista, no Interior do Estado. “O Vadão torcia para o Santos antigamente, por causa das glórias de Pelé”, disse, ressaltando que o filho deixou a paixão de lado quando se tornou profissional de futebol: “Agora que ele se tornou profissional, não torce mais para ninguém.”
Por outro lado, seu Osvaldo está realizando um sonho, já que é corintiano. “Torço para o Corinthians desde quando conheci o futebol, e era moleque. Estou muito satisfeito que o Vadão acertou com o Corinthians. Agora o meu coração vai bater mais forte, em dobro”, disse.
Seu Alvarez ficou sabendo que o filho assumiria o Timão na noite de quinta-feira. “Meu outro filho, o José Alvarez Neto, foi quem me deu a notícia”, contou. “Para mim, foi uma grande surpresa. Não esperava que ele chegasse tão cedo ao Corinthians”, revelou.
Mas como não se pode agradar a gregos e troianos, a família vai ficar dividida. O sogro Waldemar Garcia, que reside em Monte Azul Paulista, e a filha Carolina, de 16 anos, que mora em Mogi Mirim, torcem pelo São Paulo. “Mas podem ter certeza: sou Vadão Futebol Clube. Onde ele for, torcerei pelo seu sucesso, afinal quero o bem dele e da minha filha”, diz Garcia. “Quando jogar São Paulo e Corinthians, torcerei para o Timão.”

23/06

“Justiça foi feita”
fonte: Gazeta Esportiva

"Eu sabia que a justiça iria prevalecer”. Com esta frase, José Cláudio Moraes, o Dentinho, presidente da Gaviões da Fiel, a maior torcida organizada do Corinthians, analisou a derrota do Palmeiras para o Boca Juniors na final da Copa Libertadores.
Dentinho ressaltou que o rival não merecia ficar com o título. “Ficou provado que quem devia ser campeão era o Corinthians”, lamentou. Ele disse que estava em Atibaia na hora do jogo e festejou como qualquer outro corintiano. “Curti a derrota deles na rua.”
Sobre o futuro técnico do Timão, Dentinho acha que tanto Luiz Felipe Scolari quanto Oswaldo Alvarez, o Vadão, têm capacidade para dirigir o Timão. “Os dois tudo bem. Mas o Parreira não. Ele nunca deu certo como treinador de clubes”.
Ele espera que a equipe seja mantida. “Precisamos de reforços: dois laterais e dois meias”, pediu.
A diretoria corintiana pode apresentar hoje o técnico Vadão. Com relação a reforços especula-se as contratações dos laterais Zé Maria, do Cruzeiro, e André Luis do Tenerife, da Espanha, além dos goleiros Velloso e Rogério Ceni.

 

22/06

Timão corre risco de ficar sem CT
fonte: Gazeta Esportiva

A fase não anda boa no Corinthians. Depois de ser eliminado de três competições (Copa do Brasil, Paulistão e Libertadores), o clube corre o risco de ficar sem o Centro de Treinamento, em Itaquera.
Arselino Tatoo, vereador do PT, vai entrar terça-feira com um projeto de lei, tentanto desativar o CT do Timão. “Aquela área é da prefeitura e nós queremos que sejam construídos áreas de lazer para a população do bairro”, disse.
O vereador está indignado com a situação. “Não tem sentido fornecer uma área nobre tão grande para uma equipe de futebol”, reclamoou. Ele afirmou que existe um decreto em que a prefeitura cedeu o terreno para o Corinthians. “Mas nós queremos a revogação.”
No entanto, Tatoo não está muito entusiasmado com o resultado. “É difícil, porque há muitos vereadores corintianos”, ressaltou ele, que é são-paulino. “Mas uma coisa não tem dada a ver com a outra”, assegurou o vereador.
Indefinição — Quanto ao futuro do novo técnico, continuam as especulações entre Vadão, Carlos Alberto Parreira e também Felipão para o cargo que era de Oswaldo de Oliveira. Este último também foi barrado pelo técnico Wanderley Luxemburgo para voltar à Seleção Brasileira.

20/06

Além de técnico, time busca goleiro
fonte: Gazeta Esportiva

Não é apenas de um técnico que o Corinthians está precisando. Enquanto não define o nome do novo comandante da equipe campeã mundial de clubes, os dirigentes começam a correr atrás de outra posição estratégica: a de goleiro. Ontem, o diretor de futebol, Carlos Nujud, o Nei, confirmou que a prioridade da equipe é encontrar um substituto para Dida, que está mesmo deixando a equipe.
“A negociação para que Dida permaneça conosco está cada vez mais difícil”, admitiu Nei. Como o contrato do reserva Maurício termina no dia 30, o dirigente está louco atrás de novo camisa um.
Nas especulações, nomes não faltam e o de Fábio Costa, reserva de Carlos Germano no Santos, é um dos mais fortes. O problema é que a diretoria do Santos, inicialmente, fez uma proposta considerada absurda: nada menos do que US$ 30 milhões, valor absolutamente fora dos padrões do futebol brasileiro — e até mesmo internacional, pois o próprio Dida não vale mais do que US$ 5 milhões, valor pelo qual normalmente os goleiros são cotados.
A principal novidade de ontem no Parque São Jorge foi a confirmação da devolução do lateral Daniel, que disputará o próximo Campeonato Brasileiro pela Ponte Preta. Por meio de uma carta, a direção corintiana conseguiu desvincular a compra do passe do zagueiro Fábio Luciano — emprestado ao time juntamente com Daniel — e, assim, fazer o negócio.
Fábio Luciano, uma das gratas revelações da equipe, foi contratado por US$ 1,6 milhão. O valor deve ser depositado nos próximos dias e, desta forma, ele prossegue no elenco para o Brasileirão.
Adílson e Marcelinho, que poderiam deixar o clube, devem ganhar mais uma chance, de pelo menos seis meses. No caso do zagueiro, seu contrato ainda tem duração de mais um ano e meio e dificilmente ele será negociado porque não há jogadores com a mesma experiência na posição.
José Roberto Guimarães, da Hicks Muse, confirmou que o empresário Reinaldo Pitta ofereceu o passe de Edmundo em troca de Edílson, mas o negócio não interessa ao Corinthians no momento. Edmundo já teve uma conturbada passagem pelo clube, no qual deixou inimigos que ainda trabalham no departamento de futebol.

Título alivia Oswaldo Alvarez
fonte: Gazeta Esportiva

A conquista do título paranaense da temporada 2000 — depois do empate de 1 a 1 com o Coritiba, no sábado — aliviou o técnico Oswaldo Alvarez. Alvo de todo o tipo de especulação desde a saída do técnico Oswaldo de Oliveira do comando do clube, na semana passada, Vadão temia que uma derrota para o arqui-rival do Atlético-PR pudesse prejudicar sua carreira.
“Com certeza, iriam dizer que eu estava com a cabeça voltada para o Corinthians e não teria me empenhado na decisão. Ainda bem que ganhamos o título”, disse ele, que ontem estava em Curitiba — ao contrário do que chegou a ser veiculado durante a tarde, quando um boato dando conta da presença do técnico no Parque São Jorge ganhou força em São Paulo.
Alvarez não mudou seu discurso mesmo depois de levantar a taça com o Atlético-PR: garante que nem sequer foi procurado por dirigentes do Corinthians. Diz que seria uma honra treinar o clube do Parque São Jorge, mas que o convite ainda não veio.
No clube, as informações são desencontradas. Um jantar entre Carlos Alberto Parreira e José Roberto Guimarães, da Hicks Muse, poderia apontar para outra direção, mas o fato é que o Cruzeiro — que também tem co-gestão com a Hicks — quer o técnico carioca.

19/06

Atlético-PR libera o técnico Vadão
fonte: Gazeta Esportiva

Agora só depende mesmo do técnico Vadão a iniciativa de se transferir para o Corinthians. O presidente do Atlético-PR, Ademir Adur, liberou o treinador que foi campeão paranaense no último sábado.
“Não vou segurar o Vadão caso ele tenha uma proposta”, disse. Não vou impedir que ele tenha um futuro bom para ele”, discursou o dirigente. Até mesmo o técnico admitiu para a imprensa paranaense que estava de partida. “Ir para um time grande sempre foi meu sonho. Se tiver a proposta não pretendo perder a oportunidade”, falou Vadão.
A diretoria do Corinthians também garante que o Vadão só não aceita a proposta se não quiser. “Ele só não vem se receber uma proposta bem melhor, ou senão se não houver acerto financeiro”.
A diretoria do Vasco procurou o Timão para propor a troca de Edílson por Edmundo. José Roberto Guimarães, da Hicks Muse, confirmou a negociação.
Campeão — O Corinthians foi campeão da Copa Brasil 500 anos. O time de aspirantes do Parque São Jorge venceu o Rio Branco por 2 a 1. Os gols corintianos foram de Gil e André. Osmar descontou para o Rio Branco, de pênalti.

18/06

Vadão é mesmo o escolhido
fonte: Gazeta Esportiva

O técnico Vadão é mesmo o escolhido pela diretoria corintiana para comandar o time no segundo semestre. Quem afirmou foi um dirigente do clube, que não quis se identificar.
“O Vadão é o nome mais forte”, confidenciou. “Ele só não vem se receber uma proposta bem melhor ou se não houver acordo financeiro”. Até ontem, o treinador não confirmou nada, já que estava disputando o título do campeonato paranaense, pelo Atlético-PR, contra e Coritiba.
Depois de definir a contratação do novo técnico, a diretoria também precisa agir rápido, já que corre o risco de perder os principais jogadores que levantaram os títulos paulistas, brasileiros e mundial. O goleiro Dida, cujo passe pertence ao Milan, está de malas prontas para retornar à Itália. O lateral-direito Daniel, com fracas atuações com a camisa 2, deverá ser devolvido à Ponte Preta.
Outro que deverá sair é o zagueiro Adílson, que foi contratado para disputar a Libertadores. Como o Corinthians foi eliminado, ele não deve ficar.
O meio-campo corintiano também vai ser mexido. Vampeta está sendo sondado por clubes europeus. Marcelinho, apesar de ter perdido o pênalti que eliminou o time da Libertadores, deve continuar. Ele tem crédito pelos títulos que conquistou. Edílson também pode sair. O Vasco, que estáperdendo Edmundo,quer o Capetinha como substituto.
Comissão — A permanência da comissão técnica que trabalhou com Oswaldo de Oliveira, também é uma grande incógnita e dependem da chegada do novo técnico para acertarem suas situações. Os jogadores voltam aos treinos somente no dia 26.

17/06

Drama - Gilmar sofre AVC
fonte: Gazeta Esportiva

O melhor goleiro da história do futebol brasileiro, Gilmar dos Santos Neves, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) na madrugada de ontem e está inconsciente na UTI do Hospital Sírio Libanês.
Segundo boletim médico da equipe do Dr. Milberto Scaff, divulgado no início da noite, o quadro é bastante delicado e a saúde do ex-jogador está em fase de estabilização. Os médicos ainda não têm previsão de alta.
Conhecido por sua segurança e reflexos rápidos, Gilmar começou no Jabaquara e teve brilhantes passagens pelo Corinthians - em que conquistou três títulos estaduais (1951, 52 e 53) e dois Torneios Rio-São Paulo (1953 e 54) - e pelo Santos, que lhe rendeu 14 faixas de campeão, dentre elas dois Mundiais Interclubes, de 1962 e 1963. Gilmar é também bicampeão do Mundo pela Seleção Brasileira, na qual disputou 103 partidas (só perdendo para o lateral-direito Djalma Santos, com 112 participações). Foi titular nas Copas do Mundo de 1958 e 1962, nas quais foi eleito o melhor goleiro da competição. disputou também a Copa de 66, mas na reserva.
Nos últimos dias, o ex-jogador vinha experimentando uma nova posição: trabalhou como Secretário dos Esportes para a Prefeitura de São Paulo durante os 19 dias de mandato do vice-prefeito, Régis de Oliveira. Após o retorno de Celso Pitta, voltou a suas atividades particulares.

Investimento continua
fonte: Gazeta Esportiva

José Roberto Guimarães, executivo da Hicks Muse, parceira do Corinthians, garante que a eliminação na Copa Libertadores da América não vai influir em nada na parceria com o clube.
“Não é porque tivemos um tropeço que mudaremos os nossos planos”, assegurou. “Aquilo que aconteceu foi apenas um acidente de percurso. Tivemos erros, como qualquer outro time”, explicou.
O dirigente, no entanto, defende a idéia que o time é bom, e não deve sofrer grandes mudanças. “Eu não mexeria muito no time, já que conquistamos o bicampeonato brasileiro (98/99), o campeonato paulista (99) e o Mundial de Clubes deste ano. Mas não sou eu quem decido, já que o Corinthians tem o diretor de futebol, que é o Carlos Nujud.”
Indefinido — O nome do novo treinador que vai substituir Oswaldo de Oliveira no comando técnico do Timão continua indefinido. O mais cotado é Osvaldo Alvarez, o Vadão. Mas Carlos Alberto Parreira também é um nome forte, mas o treinador tetracampeão garante que ainda não foi procurado. “Até agora ninguém veio conversar comigo.” De uma coisa é certa, ele quer trabalhar no segundo semestre. “Quero dirigir algum clube no Campeonato Brasileiro”, admitiu.
O goleiro Maurício, único jogador que tem contrato a vencer no dia 30, só vai conversar depois da volta das férias, no dia 26.

16/06

A volta do xodó
fonte: Gazeta Esportiva

O Xodó da Fiel está de volta ao Corinthians pela terceira vez. Decisivo na conquista do primeiro título brasileiro do clube, em 1990, contra o São Paulo, o ex-jogador agora vai experimentar uma nova função: a de dirigente esportivo, como consultor técnico.
Apesar de ter sido um grande ídolo no passado, Neto está ciente de que vai precisar mostrar serviço nesta nova empreitada, assim como aconteceu na carreira de jogador. “Tem que trabalhar, independente do nome. Eu estou bastante ansioso para começar nesta nova função, mas tenho certeza da minha competência para exercer o cargo”, disse, convicto.
Neto ficou muito satisfeito pelo convite feito pela atual diretoria corintiana. “Existe realmente uma grande possibilidade de voltar a trabalhar no Corinthians, mas vai precisar do aval do treinador.” Ele até garantiu que ainda não foi anunciado oficialmente. “O que adiantaria me contratar agora, que não tem nada definido?”
Mas o novo dirigente corintiano já deu algumas opiniões a respeito do atual elenco. Segundo ele, a equipe deve manter a sua base para a seqüência do trabalho. “Poucas peças terão que ser mexidas. Deve continuar com o mesmo grupo.”
O ex-camisa 10 do Timão acredita na reviravolta. “É claro que ser eliminado da Copa Libertadores, ainda mais por um rival, é um momento muito difícil que o time tem de superar, mas acredito na volta por cima”, ressaltou.
Neto também procurou isentar o meia Marceinho pela eliminação contra o Palmeiras. “O Marcelinho deve continuar no clube, como grande jogador que é”, discursou. “Ele não pode ser marginalizado por um pênalti perdido. Ele foi muito homem de cobrar aquele pênalti. E também não podemos esquecer que ele deu sete títulos para o Corinthians”, concluiu, procurando consolar o Pé de Anjo.

Sai Oswaldo. Entra Osvaldo?
fonte: Gazeta Esportiva

Corintians está momentaneamente sem comando. O técnico Oswaldo de Oliveira esteve na tarde de ontem no Parque São Jorge para dar adeus, já que ele foi demitido.
O seu sucessor, que está cotado entre Osvaldo Alvarez, o Vadão, Carlos Alberto Parreira e Leão, deverá iniciar os trabalhos juntamente com a volta dos jogadores das férias, na próxima segunda-feira.
Oswaldo de Oliveira garante que a saída é um até breve. “Até uma próxima vez, se Deus quiser. Levo o Corinthians no meu coração”, disse. “Não saio decepcionado com nenhum jogador. Tive momentos de muita felicidade no Corinthians. No futuro, quando fizer uma avaliação, saberei que o saldo foi positivo.”
O ex-técnico do Timão também contou que não saiu revoltado pela sua demissão, da qual tomou conhecimento após a reunião que teve com os dirigentes corintianos. “Faz parte do ciclo no futebol.”
Oswaldo aproveitou para alfinetar algumas pessoas que condenaram o dúbio trabalho da comissão técnica no Timão e na Seleção. “Esse fato só foi lembrado agora, que perdemos três competições. Quando vencíamos, ninguém comentava sobre isso.” Ele lembrou que, na conquista do Mundial de Clubes, em janeiro, vários profissionais estiveram servindo a seleção canarinho.
Permanências — A situação da atual comissão técnica só vai ser definida com a chegada do novo treinador. O único que pediu demissão foi o auxiliar técnico Édson Cegonha. O restante tem contrato até o próximo dia 30. Oswaldo ressaltou que ainda não foi procurado para dirigir o Vasco.

Fábio Júnior e Edmundo no Timão?
fonte: Gazeta Esportiva

Com a saída de Oswaldo, vai começar um desmanche no clube que conquistou o Mundial 2000, o bi brasileiro (98/99) e o Paulistão 99.
Além do técnico, alguns jogadores deverão sair. O Corinthians pode fazer troca-troca com dois clubes: o Cruzeiro, que parceiro da Hicks Muse, e o Vasco.
Com o clube carioca, a transação seria a ida de Edílson para São Januário e a volta de Edmundo ao Timão, onde atuou em 96. O Animal abriu processo contra o Vasco (ver matéria na página 10) Com os mineiros, o meia Marcelinho iria para a Toca da Raposa, enquanto que Fábio Júnior voltaria ao Corinthians, já que ele disputou a Copa São Paulo em 97.
Mundial — Como campeão, o Corinthians foi confirmado com um dos times brasileiros na disputa do segundo Mundial da Fifa, a ser realizada em 2001.

15/06

Oswaldo sai e Vadão pode vir
fonte: Gazeta Esportiva

Terminou de forma melancólica a trajetória do técnico Oswaldo de Oliveira no Corinthians. Depois de ser eliminado de três competições seguidas — Copa do Brasil, Campeonato Paulista e Copa Libertadores da América, foi difícil sustentar a permanência do treinador. Até os torcedores pediram a cabeça do técnico.
Embora o diretor de futebol do clube, Carlos Nujud, desminta a informação, um integrante da comissão técnica, que pediu sigilo em torno de seu nome, comentou: “A casa caiu. Vem gente nova por aí.” E essa “gente nova” é Oswaldo Alvarez, o Vadão, que está no Atlético-PR e sábado decide o Campeonato Paranaense com o Coritiba. Vadão, talvez por isso mesmo, nega a informação. “Fiquei sabendo que o meu nome seria cogitado caso o Oswaldo de Oliveira não ficasse. Mas ainda não tem nada decidido”, disse.
Pode-se considerar que Oswaldo de Oliveira teve uma trajetória vitoriosa no comando da equipe, ganhando três títulos: campeonatos Paulista e Brasileiro 99 e Mundial de Clubes este ano.
Ontem Nujud procurava dar explicações, apesar do fato da demissão estar praticamente sacramentada: “Nós continuamos em compasso de espera. Até sexta-feira vamos conversar com Oswaldo de Oliveira. Não vamos fazer nada antes”, declarou. “Ele (Oswaldo) vai trazer um relatório para analisarmos e tudo vai depender dessa reunião.”

13/06

Mistério no Parque
fonte: Gazeta Esportiva

O clima é de mistério total no Parque São Jorge. O futuro da comissão técnica do Corinthians pode estar definido, mas ninguém fala sobre o assunto. A começar por Carlos Nujud, o diretor de futebol, que disse ontem não haver data marcada para um encontro com o técnico Oswaldo de Oliveira, contrariando informação do próprio treinador, que na semana passada disse que estaria hoje em São Paulo para o tal encontro. Nujud faz questão de ressaltar que o clima, apesar de triste, é de muita calma entre os diretores e a comissão corintiana. “Está todo mundo chateado, mas com a cabeça no lugar”, afirmou Nujud. “A reunião com a comissão técnica pode ser realizada ainda esta semana, nossa intenção e fazê-la o mais rápido possível”, acrescentou Nujud, que se diz cansado de tanta especulação: “Falaram até que o Neném estava retornando, sendo que ele já foi vendido”, disse, referindo-se ao zagueiro do Grêmio.
Carlos Nujud não quis comentar sobre um dos temas centrais que será abordado na reunião. Especula-se que a diretoria condicionaria a permanência da comissão técnica à exclusividade do trabalho no Corinthians. Dessa forma, o preparador físico Antônio Mello, o preparador de goleiros Paulo César Gusmão e até o médico Joaquim Grava — no Corinthians desde 1979 —, entre outros, deveriam abdicar do trabalho com Wanderley Luxemburgo na Seleção Brasileira ou sair do Timão. “São assuntos internos, prefiro não antecipar. Seria falta de ética”, disse Nujud.

Craque pede perdão
fonte: Gazeta Esportiva

O meia Marcelinho voltou a pedir desculpas à torcida do Corinthians ontem. Ainda com um nó na garganta, o Pé de Anjo falou a respeito da desclassificação na Copa Libertadores. O jogador garantiu também que vai permanecer no Parque São Jorge no segundo semestre. “Estou pedindo desculpas à torcida. Tenho uma dívida e pretende cumprir”, afirmou Marcelinho. O meia carioca tornou público ontem os momentos de tristeza que viveu após o jogo. “Entrei no vestiário e fiquei debaixo do chuveiro, com uniforme, chorando. Recebi o apoio de todos”, afirmou Marcelinho, que demorou cerca de trinta minutos para se recuperar do impacto do pênalti perdido contra o palmeirense Marcos. Com seu contrato renovado, Marcelinho dá a entender que vai brigar para ser, novamente, ídolo da Fiel. “Vamos tentar ganhar o Brasileiro e voltar à Libertadores”, afirmou.

Fernando Baiano está de volta
fonte: Gazeta Esportiva

Ainda não estão definidas as contratações para o segundo semestre, mas o Corinthians poderá contar com o reforço do atacante Fernando Baiano para o Campeonato Brasileiro. O jogador se recupera de uma “fratura de estresse no pé esquerdo”, como ele mesmo gosta de definir sua contusão.
“Estou me recuperando bem. Já estou correndo normalmente e começando agora o trabalho com bola”, declarou o atacante. “Quero ajudar o Corinthians”, disse. Além do fratura no pé esquerdo, Fernando Baiano afirmou que a contusão também gera estresse no dia-a-dia. “Você pára tudo e fica em casa”, diz.
Segundo o atacante corintiano, o fato de não jogar no primeiro semestre o fez refletir sobre sua carreira.
“Quero voltar e provar para a minha mãe, minha namorada e a meus amigos que posso jogar bem”, afirmou.
De acordo com Fernando Baiano, a eliminação corintiana de três competições é frustrante, principalmente porque a Fiel ficou triste com o fracasso simultâneo que encerra antecipadamente o semestre.

12/06

Gaviões pede cabeça de Oswaldo
fonte: Gazeta Esportiva

O treinador Oswaldo de Oliveira está com os dias contados como comandante do time do Parque São Jorge, pelo menos no que depender da vontade da Gaviões da Fiel. “O corintiano não aceita mais a comissão técnica”, afirmou ontem José Claudio de Almeida Moraes, o Dentinho, presidente da torcida organizada.
Também estão enganados os jogadores do Corinthians que acreditam que, com as férias do elenco, a torcida esquecerá o fiasco no primeiro semestre. Depois de corintianos terem pichado os muros do Parque São Jorge, a próxima manifestação já tem data marcada: 19 de junho, na reapresentação do elenco para o segundo semestre.
Quem convocou a torcida para o protesto foi Dentinho. “Tem que ir na reapresentação cobrar com faixas e gritos, mas sem violência”, pediu.
As pichações do último sábado criticavam diretamente a comissão técnica e o diretor de futebol Carlos Nujud.
Segundo Dentinho, apesar da frase pichada não mencionar o meia Marcelinho, o Pé de Anjo está longe de conseguir o perdão da Fiel. Como torcedor, Dentinho acredita que o fato de o meia ter perdido o pênalti ainda ficará por muito tempo na memória dos corintianos. “O perdão é difícil. Apenas se ele conseguir conquistar outro título importante.”

Diretoria corintiana pede calma à torcida
fonte: Gazeta Esportiva

“Não tenho nada para falar. Foi uma manifestação isolada”. Dessa maneira o diretor de futebol do Corinthians, Carlos Nujud, o Nei, comentou ontem a pichação dos muros do Parque São Jorge.
De acordo com o dirigente, todos têm direito de se manifestar, mas não de denegrir o patrimônio do Corinthians. “Temos de manter a calma nesse momento”. Ainda nesta semana, a diretoria do time do Parque São Jorge se reunirá com a comissão técnica para definir o futuro do Corinthians no segundo semestre. Apenas depois dessa reunião é que alguns jogadores poderão deixar o clube.

11/06

Oswaldo define terça
fonte: Gazeta Esportiva

Terça-feira é o dia do tudo ou nada para o técnico Oswaldo de Oliveira no Corinthians. Tudo, porque ele está negociando a renovação de contrato por mais um período, já que o atual contrato se encerra no próximo dia 30.
Nada se a diretoria decidir pela saída do treinador, provando que não suportou a eliminação em três competições seguidas: Copa do Brasil, Campeonato Paulista e Copa Libertadores da América.
Oswaldo, que aproveita os dias de folga no Rio, não quis conversa com a imprensa. Lacônico, limitou-se a dizer apenas: “Terça-feira estarei em São Paulo.”
O diretor de futebol do clube, Carlos Nujud, também confirmou o encontro. “Marcamos uma reunião com o Oswaldo de Oliveira para a próxima semana.” Ele ressaltou que vem mantendo contato com o treinador periodicamente. “Não foi conversado de números, de nada. Só a intenção da permanência”, diz Nujud, que quer evitar polêmicas em relação à comissão técnica, já que esta foi acusada de ficar mais na Seleção Brasileira do que no clube.
“Vamos analisar aquilo que fez falta. Se realmente interferiu, tentaremos corrigir os erros.” O dirigente aproveitou para evitar especulações sobre futuras negociações. “Vamos fazer a análise de cada jogador”, concluiu Nujud.

10/06

Torneio BrasiL 500 anos - Corinthians decide título
fonte: Gazeta Esportiva

Corinthians e Rio Branco de Americana iniciam hoje, às 13h, no Morumbi, a decisão do “Torneio Brasil 500 Anos” de futebol, categoria juniores. O segundo jogo será no próximo domingo, também na preliminar de Santos e São Paulo.
O time corintiano, orientado por José Carlos Serrão, obteve 35 pontos, provenientes de dez vitórias, três empates e duas derrotas. O Rio Branco, do técnico Diolei Cândido, ganhou 30 pontos em 17 partidas. Venceu oito, empatou seis e perdeu três.
Na equipe corintiana, Yamada, Pingo, Rodrigo, Andrezinho e Gil já atuaram na equipe principal. Nas mãos de Yamada estão as esperanças de conquista do título.
Por ter melhor campanha, o Corinthians joga por dois resultados iguais.
Na equipe do Rio Branco, que hoje iniciará a partida, apenas três jogadores já atuaram no time profissional: Luís Carlos, Rafa e Igor. O atacante Ludemar, com sete gol, artilheiro do time, também já jogou na equipe principal, mas ficará de fora cumprindo suspensão pelo segundo cartão amarelo.
Os dois times já se enfrentaram duas vezes este ano. Em Americana, o Rio Branco venceu por 1 a 0. E, na Capital, o alvinegro devolveu a derrota pela mesma contagem.
Para o jogo de hoje, o técnico José Carlos Serrão escala o Corinthians com: Yamada; Ângelo, Ânderson, Éder e Romão; Pingo, Rodrigo, Wellington e Andrezinho; Gil e Ferreti.
O Rio Branco terá: Gustavo; Raphael, Luís Carlos, Bruno e Evaldo; Gian, Da Silva, Rafa e Igor; Osmar e Ratinho.

Solidariedade para Marcelinho
fonte: Gazeta Esportiva

O meia Marcelinho deve permanecer no Corinthians para o segundo semestre. Pelo menos é o que deu a entender ontem à tarde o diretor de futebol Carlos Nujud. “Ele (Marcelinho) tem sete títulos importantes no clube. No primeiro semestre, disputou 31 partidas e marcou 17 gols, só perdendo no ataque para Luizão”, lembrou Nujud. O diretor de futebol se reuniu ontem com o presidente do Corinthians Alberto Dualib. Nujud reconheceu que o pênalti perdido está na memória do torcedor, mas que o meia corintiano merece solidariedade da Fiel. “Acredito que ele tem estrutura suficiente para suportar o momento ruim”, disse.
O goleiro Dida é outro jogador que está entusiasmado com a possibilidade de continuar defendendo o Corinthians, pelo menos na visão do diretor de futebol, que conversou com o goleiro na última quinta-feira. Mas está descartado, entretanto, a possibilidade de o time do Parque São Jorge comprar o passe do Milan.
O zagueiro Fábio Luciano é o que está mais perto de acertar sua situação com o Corinthians. “Ele é um fato consumado”, admitiu Nujud, se referindo às negociações com a Ponte Preta, que ainda é dona do passe do zagueiro.
Inalterada —A situação da comissão técnica está inalterada, ou seja, por enquanto Oswaldo de Oliveira e seus homens de confiança permanecem no Parque São Jorge. Mas Nujud adianta que a permanência da comissão depende de Oswaldo de Oliveira. Para o diritgente, a decisão de manter ou não a comissão técnica, bem como a permanência de Vampeta e outros jogadores, é apenas especulação.

07/06

Marcelinho acaba com o sonho
fonte: Gazeta Esportiva

O meia Marcelinho, que sempre foi o herói do Corinthians, viveu ontem o dia de vilão. O jogador perdeu o quinto e último pênalti da série, enterrando o sonho da Fiel de ver o Timão disputando o título da Copa Libertadores, uma ambição ainda inédita na história do clube.
E isso é só uma parte do sofrimento do Timão. Acabou agora o primeiro semestre para a equipe, eliminada de três competições seguidas: Copa do Brasil, Campeonato Paulista e Libertadores. Em janeiro, o Corinthians também foi desclassificado do Torneio Rio-São Paulo, vencido justamente pelo rival Palmeiras.
Marcelinho — além de perder o pênalti — teve uma atuação muito apagada durante a partida. Foram raros os momentos em que esteve com a bola, e se omitiu muitas vezes ao longo do jogo.
No final do jogo ele pediu desculpas e falou o óbvio: “Só perde quem está lá. Eu fui bater o pênalti muito confiante, mas o goleiro Marcos fez a defesa”, concluiu o camisa 7.

"Eu não fui feliz"
fonte: Gazeta Esportiva

O clima nos vestiários do Corinthians era de profunda tristeza pela desclassificação do time na Copa Libertadores da América — e especialmente contra o eterno rival Palmeiras. E pela segunda vez.
A única frase de Marcelinho, vilão da derrota, refletia bem o fim do sonho de chegar ao título da competição. “Não fui feliz”, disse o jogador, que perdeu o pênalti e, conseqüentemente, a classificação.
Para o meia Ricardinho, o Corinthians “deu a oportunidade da cobrança de pênaltis, que, aliás, é pura competência e sorte”. E criticou o time: “Tomamos dois gols de erros nossos. O terceiro, por exemplo, foi de bola parada”.
O técnico Oswaldo de Oliveira não quis conversa com a imprensa.
Mas a cena mais deprimente da desclassificação do Corinthians foi de Dinei. Ele simplesmente sentou-se na porta dos vestiários e ficou, calado, a amargar nova eliminação.

05/06

Sem medo das pressões
fonte: Gazeta Esportiva

Eliminado da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista em três dias, o Corinthians aposta todas as suas fichas na Copa Libertadores. Competição, aliás, que todos no Parque São Jorge tinham preferência.
Mas que, ao contrário, não deixavam transparecer a escolha durante as entrevistas. Mas as circunstâncias em que aconteceu a eliminação do Corinthians pelo São Paulo podem remeter uma injeção extra de pressão na veia dos corintianos para o jogo de amanhã. Oswaldo de Oliveira, o comandante do time, já garantia que não, mesmo antes de pagar para ver o resultado da partida do último sábado. “Também perdemos no domingo para o São Paulo e depois vencemos o Palmeiras na terça-feira”, disse.
Oswaldo esquece, ou prefere não lembrar, que a partida de amanhã é decisiva. Um dos grandes vai acordar do sonho de conquistar a América. “A derrota não nos abate de maneira alguma. Dá mais força para a conquista da Libertadores”, afirmou o treinador corintiano. Oliveira terá muito trabalho para reanimar o elenco, que deixou o gramado do Morumbi de cabeça baixa.
Eliminado das outras duas competições que tinha no primeiro semestre, o atacante Edílson escancarou o sonho da Libertadores. “Nos preparamos, neste semestre, para ganhar a Libertadores”, disse. De acordo com o atacante, o Corinthians agora só tem um objetivo.
“Pensaremos apenas nessa conquista e estamos perto de chegar à final. O jogo de terça (amanhã) será diferente da partida contra o São Paulo. Temos a vantagem do empate, o que é muito importante”, avaliou o atacante Edílson.
Papo furado ? —Oswaldo de Oliveira conquistou o coração dos jogadores do time do Parque São Jorge com uma palestra misteriosa na sexta-feira. O técnico tentava utilizar de tudo para motivar seus jogadores, que realizaram uma verdadeira maratona desde o mês de janeiro, que começou com a conquista do Campeonato Mundial. Depois, conversando com os repórteres, Oliveira foi humilde. Ressaltava a importância da conversa, mas dizia que ela não iria ganhar jogo. “Já ganhei jogos depois de ter dado as palestras, mas já perdi também”, disse.
Para a segunda partida das semifinais da Copa Libertadores, o Corinthians vai ter de colocar a cabeça no lugar, já que o time demonstrou nervosismo após o segundo gol do São Paulo, na partida de sábado, com duas expulsões. Fábio Luciano reconheceu que exagerou um pouco. Já Marcelinho preferiu o silêncio.
Depois de participar de tantos jogos decisivos, o zagueiro Adílson parece ter encontrado a fórmula mágica para a recuperação de seus companheiros de Parque São Jorge.
“Temos de reagir rápido para estarmos com cabeça na hora da decisão. Temos de ser igual a um tenista, de recuperação rápida”, disse.

04/06

Marcelinho deixa estádio mudo
fonte: Gazeta Esportiva

Depois de cometer falta violenta no lateral Belletti, do São Paulo, Marcelinho Carioca foi expulso. Na saída, mais confusão. Discutiu com Alfredo Santos Loebeling, um dos árbitros da partida, e desceu para o vestiário. Deixou o Morumbi sem falar com a imprensa, preferindo uma conversa no celular. Por fim, deu trabalho aos seguranças do Corinthians, já que o meia do time do Parque São Jorge sofreu hostilidades.
Não parecia o mesmo Marcelinho que, na última sexta-feira, estava entusiasmado com uma palestra do treinador Oswaldo de Oliveira, que falou com a imprensa. “Só restou a Libertadores?”, ironizava Oliveira nos vestiários.
“Estamos orgulhosos de chegar nessa fase do Campeonato Paulista e na Libertadores. Claro que não estamos satisfeitos. É natural que a equipe esteja abatida”, disse Oswaldo. O treinador corintiano afirmou que a arbitragem prejudicou seu time, se referindo a um suposto pênalti não marcado no lateral Daniel. “Mas o São Paulo jogou bem e mereceu a classificação”, declarou.
O zagueiro Fábio Luciano, ao contrário de Marcelinho Carioca, falou sobre sua expulsão. “Eu exagerei um pouco, mas queria parar a jogada. Não sou violento”, disse.

Antagônicos e competentes
fonte: Gazeta Esportiva

Oswaldo de Oliveira e Luiz Felipe Scolari provaram na última semana que são donos de comportamentos antagônicos. Na verdade, os dois são iguais apenas na escolha da profissão de treinador de futebol. As secretas conversas de vestiário que vieram à tona sintetizam a disparidade entre os comandantes dos times que sustentam atualmente a maior rivalidade do futebol brasileiro.
Oswaldo de Oliveira parece ser feito de gelo, passando incólume pelo fogo que Felipão às vezes solta pelas ventas. Foi assim quando o treinador palmeirense declarou sua raiva a seus comandados na última quarta-feira. Oswaldo permaneceu calmo, tranqüilo. Optou pelo silêncio, por não retrucar as pesadas declarações do colega de profissão.
Enquanto Felipão pega no pé de todos (só os assistentes de arbitragem sabem o que sofrem com o treinador do Palmeiras em jogos no Parque Antártica), Oswaldo de Oliveira é o retrato da tranqüilidade, até quando tudo parece perdido. Tanto isso é verdade que o treinador do time do Parque São Jorge até se comparou com o físico Isaac Newton.
Apesar de cativar seus jogadores com palestras consideradas “fantásticas” — termo usado pelo meia Marcelinho —, Oliveira também sabe criticar. Mas o faz de forma comedida. É assim quando reclama das arbitragens na Copa Libertadores e no Campeonato Paulista. “O Corinthians tem sido prejudicado no Paulista. Mas acho que não é nada premeditado”, afirmou o treinador corintiano.
Truculento como Scolari ou calmo como Oliveira, o fato é que os dois treinadores já provaram competência. Scolari acumula duas Libertadores. Oswaldo de Oliveira já sabe o que é levantar a taça de campeão brasileiro e também do mundo.

Dida está em dúvida sobre onde vai jogar
fonte: Gazeta Esportiva

Uma grande dúvida paira na cabeça do goleiro Dida: onde jogar no próximo semestre? Ele está emprestado ao Corinthians, mas o Milan — dono do passe — quer o camisa um da Seleção Brasileira de volta à Itália. O empréstimo termina no próximo dia 30.
Na coletiva da Seleção Brasileira, ele garante que espera as negociações entre os dois clubes: “Eles estão conversando. Prefiro não me meter e aguardar uma solução”.
A diretoria corintiana aguarda o desfecho da questão com ansiedade. O Milan está irredutível e pode forçar o retorno do jogador, que nunca vestiu a camisa da equipe (Dida foi emprestado antes mesmo de se apresentar ao clube).

Luizão está ansioso para chegar à final
fonte: Gazeta Esportiva

O atacante Luizão, que já foi campeão da Copa Libertadores da América com o Vasco, em 98, quer voltar a sentir esse gosto outra vez. E ele não vê a hora que disso acontecer.
Nas entrevistas, o camisa 9 não esquece a competição sul-americana e conta nos dedos para chegar o dia da decisão da Libertadores. “Faltam 19 dias para entrarmos mais uma vez na história do Corinthians”, completa o atacante.
Luizão tem motivos de sobra para pensar na Libertadores. Atualmente é o artilheiro maior da competição, com 12 gols marcados e pretende continuar na liderança: “É um dos meus objetivos.”
Com a camisa corintiana, Luizão conquistou o título de campeão brasileiro do ano passado e do Mundial de Clubes, em Janeiro. O jogador deve permanecer no clube no segundo semestre, já que não possui nenhuma proposta.

03/06

Super Timão tira o pé do freio
fonte: Gazeta Esportiva

O Corinthians precisa vencer hoje o São Paulo na partida de volta das semifinais para conquistar o direito de disputar, pelo quarto ano consecutivo, a final do Campeonato Paulista. Embora vivendo uma maratona de jogos desde o começo do semestre, o time do Parque São Jorge não poupará esforços para derrotar o Tricolor: vai tirar o pé do freio. O jogo acontece no Morumbi às 16h. Motivação não vai faltar, já que a palestra do treinador corintiano, Oswaldo de Oliveira, mexeu com os jogadores.
“Durante o primeiro jogo, nos demos ao luxo de tirar dois titulares no intervalo”, afirmou. “Eu tive de fazer planos. Hoje estamos mais à vontade”, completou Oliveira, referindo-se ao fato de ter sacado o meia Ricardinho e o atacante Luizão na derrota por 2 a 1, domingo passado. De acordo com o treinador, faz muita diferença ter mais mais um dia para descansar, antes de encarar o segundo jogo da semifinal da Copa Libertadores, contra o Palmeiras. Para o técnico corintiano, seu time vai pressionar o São Paulo, mas tem de dominar o adversário para conseguir acuar o Tricolor.
O atacante Luizão foi mais ao ponto. “Podemos dar o máximo contra o São Paulo. Será totalmente diferente, a motivação é maior”, afirmou. Segundo o camisa 9, na primeira partida das semifinais do Paulistão o time estava mais de olho na Libertadores. “Naquele jogo pensávamos muito mais no Palmeiras”. Luizão declarou também que costuma sempre marcar contra o São Paulo, desde os tempos em que atuava pelo Guarani.
O meia Marcelinho não tem dúvidas: “o Corinthians será o Corinthians amanhã (hoje)”, fazendo alusão ao bom futebol que levou o clube à conquista de títulos. “O Mário Sérgio (ex-técnico) já dizia isso, e ele tinha razão: o Corinthians sobrevivente é muito forte. Quando existe adversidade ele se supera, se entrega e consegue alcançar os objetivos. As conquistas são mais difíceis, mas também proporcionam maior prazer”, ressaltou Marcelinho.
Companheiro do camisa 7, o atacante Edílson também mostrou a mesma vontade para enfrentar o São Paulo. “Cansaço não vai existir nessa partida. O Corinthians vai com força total. Jogando com a obrigação da vitória o time é muito mais forte”, afirmou Edílson.
Seleção — Oswaldo de Oliveira não entende que o São Paulo ou o Corinthians foi mais prejudicado com as convocações de França, Vampeta e Dida. “As duas equipes perdem. O espetáculo perde porque são três grandes jogadores de nível”, disse o treinador.
Luizão tem a mesma visão de Oswaldo. “Temos de esquecer quem foi para a seleção”, afirmou.
O meia Edu destacou que a saída de Vampeta vai mudar as características da equipe. “Ele sai mais para o jogo. Mas quem entrar vai dar conta do recado.” O camisa 8 não sabe se vai ficar mais atento na marcação ou irá ao ataque com freqüência. “Mas temos que saber a hora exata de atacar e defender”.

Ficha técnica do jogo

CORINTHIANS
Maurício; Daniel, Fábio Luciano, Batata e Kléber; Edu, Rodrigo Pontes, Ricardinho e Marcelinho; Luizão e Edílson. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Belletti, Edmílson, Wílson e Fábio Aúrelio; Axel, Vagner, Raí e Marcelinho; Edu e Evair.

Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi), em São Paulo (SP).
Data: 03/06/2000.
Horário: 16h00.
Árbitro: Alfredo Santos Loebeling e Luciano Calabietto Quilichini.
Assistentes: Carlos Dionizio Pianosqui e Marcelo Thomaz de Brito Neto.

Time fica sem volantes para jogo
fonte: Gazeta Esportiva

O volante Vampeta está na Seleção Brasileira, seu substituto imediato, Marcos Senna, sofreu um entorse no joelho esquerdo. Para piorar, Gilmar — que estava garantido no time para o clássico — se machucou no joelho direito. Ambos estão fora do confronto contra o São Paulo. “Os dois não vão se recuperar a tempo de jogar amanhã (hoje)”, avaliou Paulo de Farias, médico do clube.
Dessa forma, Oswaldo de Oliveira ainda não definiu quem substituirá Vampeta. A dúvida está entre Rodrigo Pontes e Márcio Costa. “Ainda vamos examinar quem vai jogar. Mas podem ter certeza de que o time terá 11 jogadores em campo”, brincou o treinador corintiano durante entrevista.
Não é apenas em mudanças no meio-campo que Oswaldo está pensando. O treinador ainda não definiu se Adílson será o titular da zaga, ao lado de Fábio Luciano. “Vou esperar para conversar com o Batata e o João Carlos, que jogaram os 90 minutos contra o Botafogo”, afirmou Oswaldo.
O zagueiro Adílson, aliás, não quis falar com a imprensa ontem. “Não vou dizer nada” foi a única frase do jogador, antes de descer para o vestiário.
Titular —Com a ausência do goleiro Dida, que está com Vampeta na Seleção Brasileira, mais uma vez Maurício será o titular do gol do Timão. Ele foi o goleiro na primeira partida das semifinais do Campeonato Paulista, domingo passado, na derrota para o São Paulo por 2 a 1, no Morumbi.

Oswaldo faz o Corinthians chorar
fonte: Gazeta Esportiva

O técnico Oswaldo de Oliveira fez o Corinthians chorar. Não de tristeza, mas de emoção. Ontem pela manhã, antes de subir ao gramado para comandar o treinamento no Parque São Jorge, ele reuniu o elenco por aproximadamente 50 minutos, mas não revelou o assunto abordado.
Os jogadores, no entanto, ficaram boquiabertos com o dom da oratória do treinador. “Foi maravilhoso e diferente de tudo o que eu escutei até agora ”, constatou Marcelinho. “Fiquei emocionado. Ele foi muito inteligente porque mexeu com a parte emocional de todo o grupo. Serve para os dois jogos e a vida inteira. O grupo estava precisando ouvir isso.” Na opinião do camisa 7, as palavras foram até mais importantes do que o treino. “Nessa hora de decisão, vale mais o lado psicológico.”
Não foi só o Pé de Anjo que se derreteu pelas palavras de Oswaldo. O atacante Dinei não derramou lágrimas por muito pouco. “Quase chorei. Vindo dele não é surpresa nenhuma. Ele tem essa facilidade com as palavras”, disse o atacante. “Ele falou de todas as dificuldades que passamos até agora. Marcou a vida de todos.”
Edílson também parabenizou o chefe. “O treinador tem de agir com emoção aos jogadores. Ele não é bom só dentro de campo. Fora é um verdadeiro psicólogo. Ele acumula um carisma impressionante, acalmou os mais exaltados e animou todo o grupo.”
O treinador do Corinthians, Oswaldo de Oliveira, afirmou que as palestras são normais em seu trabalho. “Eu usei uma sala com vários gráficos e estatísticas para auxiliar”, contou, despistando os repórteres sobre o verdadeiro conteúdo da conversa nos vestiários. “É rotina do meu trabalho. O Marcelinho que gosta de mim”, afirmou, modesto.

02/06

Timão fora da Copa do Brasil
fonte: Gazeta Esportiva

O Corinthians está eliminado da Copa do Brasil. Ontem à noite, no Canindé, o time B do Parque São Jorge mostrou toda a sua fragilidade na defesa, falta de criatividade no meio-campo e inoperância no ataque e perdeu para o Botafogo-RJ por 2 a 1.
A equipe carioca, que já havia vencido há uma semana no Maracanã, por 1 a 0, agora enfrentará o Cruzeiro nas quartas-de-final.
O gramado escorregadio, em razão da fina garoa que caiu em São Paulo, contribuiu para os seguidos passes errados.
O Botafogo, melhor organizado em campo, criou jogadas embaraçosas para o goleiro Yamada. O árbitro ainda deixou de marcar um pênalti, de Yamada em cima de Tinga.
O primeiro gol foi anotado aos 39 minutos. Alexandre Gaúcho atacou pela esquerda e cruzou para a entrada de Donizete, que chutou de pé esquerdo sem chance para o goleiro.
Na etapa final, apesar das modificações, o Corinthians continuou sem força ofensiva. E o Botafogo ampliou aos 24 minutos. Donizete foi lançado pelo meio, livre de marcação, e chutou. Yamada defendeu com os pés, a bola bateu em Batata e foi para o gol.
O Corinthians descontou aos 37 com Luciano, após jogada de Gil pela direita.

Ficha técnica - Corinthians 1 x 2 Botafogo-RJ
fonte: Gazeta Esportiva

CORTINTHIANS 1 Yamada; Índio, Batata, João Carlos e Édson; Márcio Costa, Marcelo (Valdir), Pingo e Luiz Mário (Tom); Ewerthon (Luciano) e Gil. Técnico: Édson Cegonha.

BOTAFOGO-RJ 2
Wagner; Reginaldo, Valdson, Sandro (Jorge Luís) e Misso; Reidner, Marcelinho Paulista, Sérgio Manoel e Alexandre Gaúcho (Renato); Tinga (Rodrigo) e Donizete. Técnico: Joel Santana. 

Local: Estádio Oswaldo Teixeira Duarte, Canindé, em São Paulo. 
Data: 01/06/2000. Horário: 22h00. 
Árbitro: Fabiano Gonçalves (RS). 
Assistentes: Villi Tissot e Sérgio Buttes Cordeiro, ambos gaúchos. 
Renda: Não divulgada. 
Público: Não divulgado. 
Gols: Donizete, aos 39 minutos do primeiro tempo; Batata, aos 24 e Luciano, aos 37 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Batata (Corinthians); Misso e Donizete (Botafogo).

Técnico corintiano prefere o silêncio
fonte: Gazeta Esportiva

Oswaldo de Oliveira, treinador do Corinthians, não quis comentar ontem as polêmicas declarações do companheiro de profissão Luís Felipe Scolari. Apesar do aparente silêncio, Oliveira dava a entender pelo seu bom humor que não estava muito preocupado.
Sorridente, brincou com repórteres e também com Carlos Nujud, o diretor de futebol do time do Parque São Jorge. “Não vou falar nada sobre isso, não me diz respeito. É coisa do Palmeiras”, afirmou o treinador. O comandante corintiano justificou seu silêncio afirmando que o assunto não dizia respeito ao Corinthians.
“Toda vez que tem Corinthians e Palmeiras acontecem confusões. Não me interessa a réplica”, declarou Oswaldo. Entretanto, Oliveira deixou transparecer que não concorda com as palavras que Luís Felipe Scolari disse a seus jogadores. “O esporte tem de unir as pessoas”, declarou. “O Corinthians está preocupado com o Corinthians, com a Copa do Brasil e com o Campeonato Paulista”, afirmou Carlos Nujud, concordando com o treinador da equipe.
O meia Marcelinho também unificou seu discurso ao de Oswaldo e Edílson e afirmou estar preocupado apenas na segunda partida das semifinais do Campeonato Paulista. “Minha cabeça está voltada para o jogo contra o São Paulo”, declarou o Pé de Anjo.

Adílson entrega ex-técnico
fonte: Gazeta Esportiva

O zagueiro Adílson trabalhou com o treinador Luiz Felipe Scolari no Grêmio e, dessa forma, deve ser levada em conta sua afirmação de que Felipão pode ter premeditado que a conversa com seus comandados pudesse ultrapassar as paredes dos vestiários e chegar até a imprensa. “Acho que ele deixou a janela aberta e pegou muita gente”, declarou.
De acordo com o zagueiro Adílson, é o Corinthians que deve se precaver e não aceitar as provocações de Scolari.
“É um jogo que vale vaga para a final da Libertadores. Não será fácil, não vamos ter moleza”, afirmou o zagueiro corintiano.
Perguntado se a tática adotada por Felipão é válida, Adílson respondeu com uma aprovação tácita: “Ganhamos cinco títulos em dois anos.”

01/06

Luizão perdoado no Timão
fonte: Gazeta Esportiva

Luizão deixou o gramado do Morumbi, após a partida contra o Palmeiras, pelas semifinais da Copa Libertadores, reclamando com Oswaldo de Oliveira que o time corintiano estava com excesso de individualismo. Mas as críticas do atacante parecem ter sido compreendidas por todos no Parque São Jorge. A começar pelo técnico Oswaldo de Oliveira.
“Isso é normal do jogo. Ele saiu irritado, mas já é outra pessoa”, garantiu o treinador. Para justificar, Oswaldo lembra que, em uma das partidas contra o Atlético-MG, pelas quartas-de-final, o meia Marcelinho perdeu dois gols ao tentar servir companheiros. “Eu falei para o Marcelinho tentar a finalização porque, naquela oportunidade, o Edílson e o Luizão estavam marcados.”
O camisa 7 corintiano acha que o companheiro Luizão tem sua razão. “Ele é centroavante, tem de pedir mesmo as bolas. A primeira oportunidade tem sempre de ser dele (Luizão), já que é o matador.” O Pé de Anjo vê a cobrança do atacante sob outro aspecto. “Se ele estava pedindo a jogada é porque estava com muita vontade de jogar, merece respeito”, afirmou o meia corintiano. “Eu joguei mais pelas extremas e participei diretamente do primeiro gol.” O zagueiro Fábio Luciano também não condenou o companheiro. “O Luizão deve ter suas razões. Ele fica mais próximo do ataque. Minha preocupação maior é a marcação”, desconversou. “De repente, em um lance individual pode ser decidido o jogo.”
Acerto — No treino de ontem, Oswaldo de Oliveira afirmou que o planejamento para as primeiras partidas contra o São Paulo e Palmeiras foi positivo. “Ficou provado que o trabalho que fizemos foi bem feito”. E deu um exemplo: “O Vampeta jogou toda a partida no domingo e marcou o gol da vitória contra o Palmeiras nos acréscimos”.

Edílson evita polêmica
fonte: Gazeta Esportiva

O atacante Edílson procurou não polemizar as declarações do lateral-esquerdo Júnior e do técnico Luiz Felipe Scolari, do Palmeiras. Ambos ressaltaram que, na última terça-feira, o Capetinha abusou da violência.
“Não tenho nada contra eles. As provocações são coisas que acontecem nos clássicos. Mas o Júnior é meu amigo. A minha luta é apenas dentro de campo”, disse.
Já o zagueiro Fábio Luciano levou uma dura da esposa Viviane quando chegou em casa. “Ela queria saber porque eu puxei o Neném de uma jogada”. Depois, Viviane amaciou e mostrou uma surpresa: uma entrevista gravada do técnico Wanderley Luxemburgo elogiando seu futebol.
“É sempre bom saber que ele está me observando. Trabalho sério e espero uma oportunidade.” Se ela vier, será a primeira. “O negócio é vestir a camisa principal. Não adianta vestir a das outras categorias e não ser chamado depois.”

Vampeta incorpora raça
fonte: Gazeta Esportiva

O volante Vampeta parece ter incorporado definitivamente o espírito da ‘raça corintiana’. Nos jogos do Timão na Copa Libertadores deste ano, é sempre o camisa 5 que resolve. Na última terça-feira, de seu pé direito saiu o gol da vitória por 4 a 3, aos 45 minutos do segundo tempo. Na comemoração, Vampeta, de raiva, chutou uma placa de publicidade. “Foi um desabafo, a La Marcelinho”, explicou, ressaltando que o Pé de Anjo já comemorou gols socando a bandeira de escanteio. “Toda comemoração é válida, afinal é jogo de semifinal de Libertadores”, falou.
Vampeta ressaltou que , quando percebeu que a partida estava difícil e tinha um espaço, resolveu chutar. A bola acabou desviando em Roque Júnior e entrou. “Chamei o jogo para mim e deu certo. Foi sorte, mas muitas vezes também tomamos gols contra. Agora foi a nossa vez.” Vampeta espera que a equipe mantenha o espírito de luta para o segundo jogo. “Temos de colocar os pés no chão, pois ainda não ganhamos nada.”
Esta não é a primeira vez que Vampeta livrou a cara do Corinthians. No dia 5 de abril, o Timão perdia de 1 a 0 para o América, no Pacaembu. E, de fora da área, ele fez o gol de empate na vitória por 2 a 1.
No dia 19 de abril, Vampeta também foi fundamental na vitória por 5 a 4 contra o Olímpia, fazendo o terceiro gol do Timão.
Pausa — Vampeta e Dida se apresentaram ontem ao técnico Wanderley Luxemburgo, visando o jogo contra o Peru, em Lima, válido pelas Eliminatórias da Copa de 2002.

Time busca vaga na Copa do Brasil
fonte: Gazeta Esportiva

O time B do Corinthians quer imitar o A e conseguir a classificação para a próxima fase da Copa do Brasil. Para isso, tem de vencer o Botafogo por 2 a 0, hoje, às 21h50, no Canindé — na semana passada, perdeu por 1 a 0, no Maracanã. Caso o placar da ida se repita, a decisão vai para os pênaltis.
Os corintianos estão empolgados e acham que resolvem no tempo normal. “Temos condições de fazer dois gols no Botafogo”, disse o meia Luís Mário. Ele tem a receita para isso: “Temos que ser mais agressivos”.
O atacante Gil tem o mesmo pensamento de Luis Mário. “Aqui a história vai ser diferente.” Ele está ansioso para que o jogo comece logo. “Sabemos os pontos fortes e fracos deles. O Botafogo tem um ataque muito rápido, por isso temos de ter atenção na marcação.”
O volante Gilmar também mostra confiança na classificação. “Temos condições de passar à próxima fase”. Ele acredita que o adversário deverá jogar mais recuado.

Ficha técnica

Corinthians
Yamada; Batata, Márcio Costa e João Carlos; Índio, Pingo, Marcelo, Luís Mário e Édson; Ewerthon e Gil. Técnico: Édson Cegonha.

Botafogo-RJ
Wágner; Reginaldo, Valdson, Sandro e Misso; Reidner, Marcelinho Paulista, Tinga e Sérgio Manoel; Alexandre Gaúcho e Donizete. Técnico: Joel Santana.

Local: Estádio do Canindé, em São Paulo.
Data: 1/6/2000. Horário: 21h50.
Árbitro: Fabiano Gonçalves (RS).
Assistentes: Villi Tissot (RS) e Sérgio Buttes Cordeiro (RS).

FPF divulga preços e locais de venda
fonte: Gazeta Esportiva

A Federação Paulista de Futebol divulgou ontem os preços e locais das próximas partidas das semifinais do Campeonato Paulista.
Os dois jogos serão no estádio do Morumbi. O primeiro, entre Corinthians e São Paulo, no sábado, às 16h, e o segundo, entre Santos e Palmeiras, às 11h, no domingo.
Os principais pontos de venda serão o próprio Morumbi, Parque São Jorge, Pacaembu, Vila Belmiro e Parque Antártica.
Os ingressos já começaram a ser vendidos ontem à tarde e os preços vão de R$ 3 (para estudantes) nas arquibancadas superiores laranja e amarela até R$ 20, na cadeira superior especial azul.
Para incentivar os torcedores, já que o jogo entre Santos e Palmeiras será realizado na manhã de domingo, a Federação Paulista de Futebol estabeleceu preços mais baixos para os ingressos de todos os setores do estádio.
A arquibancada custa R$ 5; a cadeira superior especial, R$ 15 e R$ 20.

Voltar